Rússia lança Resurs-P3 para observar a Terra



ResursP3 26

Após sofrer uma rara abortagem do lançamento a 12 de Março, a Rússia levou a cabo o lançamento do satélite de observação da Terra, Resurs-P3 (Ресурс-П №3, 47KS n.º T150003), às 18:56:00,335UTC do dia 13 de Março de 2016. O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão 14A14-1B Soyuz-2.1B (T15000-016) a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão.

A separação do Resurs-P3 teve lugar às 19:03UTC.

O foguetão lançador com o Resurs-P3 foi transportado para a plataforma de lançamento a 10 de Março de 2016 e todos os preparativos decorreram como previsto tal como todas as fases do lançamento decorreram. O satélite separou-se do terceiro estágio do seu foguetão lançador às 1905UTC. O Resurs-P3 ficou colocado numa órbita inicial com um perigeu a 200 km, apogeu a 475 km e inclinação orbital de 97,285º.

O lançamento do satélite de observação da Terra, Resurs-P3, que deveria ter lugar às 18:56UTC do dia 12 de Março de 2016, foi adiado no último segundo. O adiamento surgiu logo após o comando ‘Pusk’ que assinala o início da ignição dos motores do foguetão lançador. A transmissão mostrou a usual nuvem de vapor a elevar-se da base do foguetão, mas não foi seguida pela iluminação da base da plataforma de lançamento, o que indicava uma boa ignição dos motores do lançador. Em vez disso, foi escutada a palavra ‘abort!’ que indicou a abortagem do lançamento. Segundo a agência espacial russa, Roscosmos, esta deu-se de forma automática.

ResursP3 18Após abandonar a plataforma de lançamento o lançador colocou-se na trajectória desejada para completar a sua missão. A separação dos quatro propulsores laterais teve lugar a T+1m 57s. O final da ignição e separação entre o segundo e o terceiro estágio ocorreu a T+4m 47s, com a estrutura de ligação entre o segundo e o terceiro estágio a separar-se um segundo mais tarde. A separação das duas metades da carenagem de protecção ocorreu a T+4m 59s. O satélite Resurs-P2 separa-se o terceiro estágio Blok-I a T+9m 22s. 

Posteriormente, o satélite manobra então para a sua órbita operacional a 477,5 km de altitude, com uma inclinação de 97,276º e com um período orbital de 93,97 minutos. As manobras orbitais têm lugar na 37º e 69ª órbita. As duas manobras alteram a velocidade do satélite em 74,4 m/s e 12,4 m/s, respectivamente.

Informações após o lançamento indicaram que um dos painéis solares do Resurs-P3 não se terá aberto na totalidade. Não se sabe nesta altura de que forma é que esta situação irá ter impacto no desempenho do satélite. Os controladores irão tentar abrir o painel solar no decorrer das manobras orbitais.

 

 

ResursP3 28

ResursP3 25

ResursP3 27

Resurs-P3

ResursP3 14Com uma massa no lançamento de 5.730 kg, o Resurs-P3 deverá operar por cinco anos, complementando as observações levadas a cabo pelos satélite Resurs-P1 e Resurs-P2 colocados em órbita a 25 de Junho de 2013 e a 26 de Dezembro de 2014, respectivamente. O satélite é baseado na plataforma Yantar e foi construído pela TsSKB Progress.

A bordo transporta uma série de instrumentos para a observação da superfície terrestre desenvolvidos pela TsSKB Progress e pela Krasnogorsky Zavod, entre os quais a Geoton-L1 de observação pancromática com uma resolução de 1,0 metros a 3,4 metros. Juntamente com o Geoton-L1 encontra-se o sistema de recepção e transformação de informação Sangura-1U.

Para além da Geoton-L1, o Resurs-P3 transporta uma carga de observação hiperespectral. Obtendo imagens em vários comprimentos de onda com uma resolução de 5 nm a 10 nm, as imagens obtidas da superfície têm uma resolução de 30 metros.

Перегрузка на вагон

Outros instrumentos a bordo incluem duas câmaras multi-espectrais de alta e média resolução que podem operar em modo multiespectral (com resoluções de 119 km e 23,8 km) ou modo pancromático (com resoluções de 11,9 km e 59,4 km).

O comprimentos máximo do Resurs-P3 é de 7,93 metros e um diâmetro máximo de 2,72 metros. O satélite está equipado com dois painéis solares para o fornecimento de energia interna. Os painéis solares têm um comprimento de 5,00 metros e uma largura de 4,50 metros.

Перегрузка на вагон

Перегрузка на вагон

O Resurs-P3 será utilizado para inventariação e monitorização de recursos naturais e controlo de processos para racionalizar a agricultura, silvicultura, pescas, recursos hidráulicos e outros sectores da economia; monitorização de áreas de emergência; fornecimento de dados para a elaboração e actualização de mapas topográficos a várias escalas; controlo da poluição e degradação ambiental; controlo de protecção da água e de áreas protegidas; recolha de dados sobre reservas de petróleo, gás natural, minérios e outros depósitos minerais; controlo de áreas de desenvolvimento e obtenção de dados de áreas de avaliação de engenharia e para o benefício da actividade económica; suporte de informação para a construção de estradas, ferrovias, oleodutos e gasodutos, e sistemas de comunicação; detecção de cultivos ilícitos de plantas de narcotráfico e controlo da sua destruição; e avaliação da situação das camadas de gelo.

Soyuz-2_2014-03-23_14-08-06O foguetão 14A14 Soyuz-2

O foguetão 14A14 Soyuz-2 representa a mais recente evolução do épico míssil balístico intercontinental R-7 desenvolvido por Sergei Korolev nos anos 50 do século passado. O novo lançador apresenta motores melhorados, modernos sistemas aviónicos digitais e uma reduzida participação de componentes de fabrico não russo.

O lançador é também conhecido pela designação Soyuz-ST (quando lançado desde o CSG Kourou) e foi especialmente desenhado para uma utilização comercial aumentando a sua performance geral apesar de o desenho básico do veículo permanecer o mesmo. As alterações foram realizadas ao nível de uma melhoria da performance dos motores do primeiro e do segundo estágio com novos injectores e alteração da mistura dos propolentes; aumento na performance do terceiro estágio; introdução de um novo sistema de controlo permitindo uma alteração do plano orbital já durante o voo ; introdução de um novo sistema de telemetria digital para a monitorização do lançador e a introdução de uma nova ogiva de protecção de carga com um diâmetro de 3,6 metros.

O foguetão 14A14 Soyuz-2 pode ser equipado com um quarto estágio, nomeadamente o estágio Fregat, utilizando as carenagens de protecção do tipo ST e SF.
 
Este lançador é capaz de colocar uma carga de 7.800 kg numa órbita terrestre a 240 km de altitude com uma inclinação de 51,80º. No lançamento desenvolve uma força de 4.144.700 kN. A sua massa total é de 310.000 kg, o seu diâmetro no estágio principal é de 2,95 metros e o seu comprimento total é de 43,40 metros.

O primeiro estágio do 14A14 Soyuz-2 é composto pelos quatro propulsores laterais (Blok B, V, G e D) com uma massa bruta de 44.400 kg, tendo uma massa de 3.810 kg sem combustível. Cada propulsor tem um motor RD-107A (14D22) que desenvolve uma força de 1.021.097 kN (vácuo), com um Ies 310 s e um Tq de 120 s. Têm um comprimento de 19,60 metros, um diâmetro de 2,69 metros e consomem LOX e querosene.

Вывоз на СК

Вывоз на СК

Установка на ПУ

O segundo estágio (Blok-A) tem um comprimento de 27,80 metros, um diâmetro de 2,95 metros, um peso bruto de 105400 kg e um peso sem combustível de 6.975 kg. Está equipado com um motor RD-108A que no lançamento desenvolve 999.601 kgf (vácuo), com um Ies de 311 s e um Tq de 286 s. Consome LOX e querosene.

O terceiro estágio (Blok-I) tem um comprimento de 6,74 metros, um diâmetro de 2,66 metros, um peso bruto de 25.200 kg e um peso sem combustível de 2.355 kg. Está equipado com um motor RD-0110 que no lançamento desenvolve 294.000 kgf (vácuo), com um Ies de 359 s e um Tq de 300 s. Consome LOX e querosene.

Установка на ПУ

Установка на ПУ

As modificações introduzidas no novo lançador foram sendo testadas em duas versões do mesmo veículo o 14A14-1A Soyuz-2-1A (Союз-2-1A) e o 14A14-1B Soyuz-2-1B (Союз-2-1Б). Este último veículo é um lançador a três estágios no qual o motor RD-0124 é já empregado no último estágio.

Com dimensões semelhantes ao motor RD-0110 utilizado nas versões anteriores dos lançadores Soyuz, o motor RD-0124 apresenta como principal diferença a introdução de um sistema de ciclo fechado no qual o gás do oxidante que é utilizado para propulsionar as bombas do motor é então direccionado para a câmara de combustão onde é queimado com restante propolente em vez de ser descartado. Esta melhoria no motor aumenta a performance do sistema e, como consequência, aumenta a capacidade de carga do lançador em 950 kg. Um propolente especial de ignição é utilizado para activar a combustão do motor e são utilizados dispositivos pirotécnicos para controlar o funcionamento do motor. Cada uma das quatro câmaras de combustão pode ser movimentada ao longo de eixos para manobrar o veículo.

Em 1996 tiveram início os testes do motor RD-0124 e foram finalizados em Fevereiro de 2004 nas instalações da Khimavtomatika em Voronezh. Nesta altura previa-se que a produção em série do novo motor teria início em 2005. A 27 de Dezembro de 2005 teve lugar outro teste do motor, abrindo caminho para os ensaios em grupo de todo o terceiro estágio do lançador 14A14-B Soyuz-2-1B nas instalações da NIIKhimMash em Sergiev Posad.

No início de 2005 a Arianespace anunciava que a primeira missão de teste do foguetão 14A14-1B Soyuz-2-1B teria lugar desde o Cosmódromo GIK-5 Baikonur para colocar em órbita o satélite astronómico CoRoT. Este lançamento dependeria dos resultados de novos ensaios do motor RD-0124 que tiveram lugar em Março e Abril de 2006. Um último teste teve lugar a 20 de Outubro de 2006 e o satélite CoRoT acabaria por ser lançado a 21 de Dezembro desse ano.

Dados Estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5529

– Lançamento orbital com sucesso: 5177

– Lançamento orbital Rússia: 3185

– Lançamento orbital Rússia: 3028

– Lançamento orbital desde Baikonur: 1456

– Lançamento orbital desde Baikonur com sucesso: 1371

Ao se referir a ‘lançamentos com sucesso’ significa um lançamento no qual algo atingiu a órbita terrestre, o que por si só pode não implicar o sucesso do lançamento ou da missão em causa (como foi o caso do lançamento do Progress M-27M).

A seguinte tabela mostra os totais de lançamentos executados este ano em relação aos previstos para cada polígono à data deste lançamento.

2016-016 1

2016-016 2Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo: 25,0% foram realizados pela Rússia; 25,0% pelos Estados Unidos (incluindo ULA (50,0%), SpaceX (50,0%) e Orbital SC); 12,5% pela China; 12,5% pela Arianespace; 12,5% pela Índia, 6,3% pelo Japão, 0% pelo Irão e 6,3% pela Coreia do Norte.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC): 

14 Mar (09:31:00) – 8K82KM Proton-M/Briz-M – Baikonur, LC200 PU-39 – ExoMars-2016 (TGO+EDM Schiaparelli)

18 Mar (21:26:00) – 11A511U-FG Soyuz-FG – Baikonur, LC1 PU-5 – Soyuz TMA-20M

23 Mar (03:05:00) – Atlas-V/401 (AV-064) – Cabo Canaveral AFS, SLC-41 – Cygnus OA-6 (CRS5)

31 Mar (16:20:00) – 14A14-1A Soyuz-2-1A – Baikonur, LC31 PU-6 – Progress MS-2

?? Mar (????:?? – CZ-3B Chang Zheng-3B/G2 – Xichang – Beidou-22; Beidou-23

Deixe um comentário