Rússia lança novo satélite meteorológico



Meteor-M2 04

A Rússia levou a cabo o lançamento de um novo satélite meteorológico, o Meteor-M2, às 1458:28UTC do dia 8 de Julho de 2014. O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão 14A14-1B Soyuz-2-1B/Fregat (Л15000-011/1025) a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 (17P32-6) do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão. A bordo encontravam-se também os satélites MKA-PN2 (Relek), UKube-1, Skysat-2, TechDemoSat-1 (TDS-1), AISsat-2 e DX-1.

O lançamento estava inicialmente previsto para ser transmitido em directo através dos canais usuais na Internet. Porém, uma decisão de última hora impediu a transmissão não sendo apresentada qualquer razão para tal.

Lançamento do Meteor-M2

O foguetão lançador foi transportado para a plataforma de lançamento no dia 4 de Julho de 2014 e os preparativos para a missão decorreram sem problemas.

Meteor-M2 02

Com a contagem decrescente a decorrer como previsto, o Cosmódromo de Baikonur assistiu ao seu 2986º lançamento bem sucedido. Abandonando a plataforma de lançamento propulsionado pelos motores do estágio central e dos quatro propulsores laterais (1º estágio), o foguetão 14A14-1B Soyuz-2-1B/Fregat (Л15000-011/1025) dirigiu-se para uma órbita inicial com um perigeu a 190,4 km, apogeu a 211,9 km e inclinação orbital de 98,8º, na qual se daria a separação da sua carga principal. O final da queima do 1º estágio ocorre a T+1m 56,0s, com a separação dos quatro propulsores laterais a ocorrer logo de seguida.

O final da queima do 2º estágio (estágio central ou Blok-A) ocorre a T+4m 46,9s e a separação tem lugar a T+4m 47,4s, com o 3º estágio (Blok I) a entrar em ignição. Por sua vez, a separação da carenagem de protecção tem lugar a T+4m 48,5s. O final da queima do terceiro estágio ocorre a T+9m 14,1s e a separação do estágio Fregat com os satélites tem lugar a T+9m 17,4s.

A primeira queima do Fregat tem lugar entre T+10m 16,93s e T+11m 7,95s, com a segunda queima a ter lugar entre T+57m 43,33s e T+58m 32,85s.

A separação do satélite Meteor-M2 tem lugar a T+59m 2,97s (1657:31UTC).

A terceira queima do estágio Fregat ocorre entre T+1h 38m 25,0s e T+1h 38m 37,11s. A separação do satélite MKA-FKI PN2 (Relek) ocorre a T+1h 40m 47,34s (1739:15UTC).

A quarta queima do estágio Fregat ocorre entre T+2h 26m 55,0s e T+2h 27m 2,76s. A separação dos satélites TDS-1 e SkySat-2 ocorre a T+2h 29m 32,76s (1828:01UTC), enquanto que a separação do satélite DX-1 ocorre a T+2h 33m 12,76s (1831:41UTC), e dos satélites AISsat-2 e Ukube-1 ocorre a T+2h 34m 12,76s (1832:41UTC). Pelas 1830:00UTC dá-se a separação do simulador de massa do satélite M3MSat que originalmente estava previsto para ser lançado nesta missão.

O estágio Fregat executa ainda uma quinta queima entre T+3h 27m 40,3s e T+3h 28m 3,49s para se afastar da órbita dos satélites recém colocados em órbita.

O satélite Meteor-M2 e a restante carga

Os satélite Meteor-M (Метеор-М) surgiram como uma nova geração de satélites meteorológicos para substituir os veículos da série Meteor-3M. Os dois primeiros satélites podem ser vistos como veículos experimentais, enquanto que o terceiro satélite irá conter uma configuração muito diferente. Tal como o Meteor-M n.º 1, o Meteor-M n.º 2 está equipado com um dispositivo para o mapeamento global e regional das nuvens (MSU-MR), uma unidade de multi-canais para a monitorização da superfície terrestre (KMSS), um dispositivo de rastreamento e de visualização para análise dos perfis atmosféricos de temperatura e humidade e dos ventos na superfície oceânica (MTVZA), um dispositivo de rastreio avançado de infravermelhos para análise dos perfis atmosféricos de temperatura e humidade (IRFS-2), um radar SAR para monitorização do gelo (Severjanin) e uma unidade rádio para análise dos perfis atmosféricos de temperatura e humidade (Radiomet).

Meteor-M2

O Meteor-M n.º 2 foi desenvolvido pela NPP VNIIEM, tendo uma massa de 2.878,5 kg e deverá operar durante cinco anos. Está equipado com dois painéis solares para o fornecimento de energia que é armazenada em baterias internas.

Meteor-M2 09

O satélite MKA-FKI (PN-2), МКА-ФКИ (ПН2), tem como objectivo realizar estudos magnetosféricos. A bordo do satélite encontrMKA-FKIa-se a carga Relek (Рэлек) para estudar a precipitação de electrões. O satélite foi desenvolvido pela Lavochkhin e é baseado na plataforma Karat. O satélite tem uma massa de 288,2 kg e está equipado com três painéis solares para o fornecimento de energia que é armazenada em baterias internas.

Com uma massa de 157 kg e baseado na plataforma SSTL-150, o satélite TechDemoSat-1 (TDS-1), em baixo à direita, foi desenvolvido pela Surrey Satellite Technology Ltd (SSTL) após a atribuição de um contrato em Outubro de 2010 para o desenvolvimento de um satélite de demonstração tecnológica. A bordo do satélite encontram-se várias experiências entre as quais um dispositivo para monitorização da radiação e seus efeitos; um instrumento compacto para detectar electrões e iões; um dispositivo para medir a dose total de radiação, fluxo dtechdemosat-1__1e partículas e identificar electrões, protões e iões; um dispositivo para medição e caracterização da energia, tipo, intensidade e direccionalidade de partículas de alta energia; um radiómetro modular de infravermelhos; uma vela para remoção orbital; um subsistema de controlo e determinação da orientação do satélite; e um dispositivo que utiliza um GPS melhorado e componentes de um radar SAR para monitorizar sinais reflectidos da superfície oceânica para determinar o estado do mar.

O satélite SkySat-2, em baixo, tem uma massa de 82 kg e foi desenvolvido pela Skybox Imaging. O satélite tem como objectivo a obtenção de imagens pancromáticas de alta-resolução bem como imagens multi-espectrais da superfície terrestre. O satélite deverá operar durante seis anos. A sua superfície está coberta de células solares para o fornecimento de energia que é armazenada em baterias internas.

skysat-1__1

O satélite DX-1, em baixo, é um pequeno satélite tecnológico construído pela Dauria Aerospace e é o primeiro satélite russo financiado por completo com capitais privados russos. Com uma massa de 27 kg, o satélite irá testar equipamentos, tecnologia e software para criar uma plataforma unificada de pequenos satélites que irão permitir à empresa o desenvolvimento de uma nova geração de satélites para vários propósitos com um rearranjo mínimo para funções específicas. Tendo uma forma cúbica com 0,40 x 0,40 x 0,30 metros, o satélite transporta também um receptor Automatic Identification System (AIS) para seguimento do tráfedx-1__1go marítimo.

O satélite norueguês AISsat-2 tem uma massa de 15 kg e tem como objectivo investigar a fiabilidade e performance de um veículo baseado num sensor Automatic Identification System (AIS) a operar numa órbita terrestre baixa como meio de seguir transportes marítimos e a integração de dados AIS num normal sistema nacional de informação marítima. O satélite é baseado no Generic aissat-1__1Nanosatellite Bus (GNB) e foi desenvolvido em conjunto pelo Instituto para Estudos Aeroespaciais da Universidade de Toronto (Canadá) e pela Kongsberg Seatex, que desenvolveu a carga a bordo. O satélite deverá operar durante seis meses e meio.ukube-1__1

O pequeno UKube-1, à direita, tem uma massa de 5,4 kg e foi desenvolvido pela agência espacial britânica e tem como objectivo testar novas tecnologias em órbita. O satélite é baseado no modelo CubeSat-3U.

 


Soyuz-2_2014-03-23_14-08-06O foguetão 14A14 Soyuz-2

O foguetão 14A14 Soyuz-2 representa a mais recente evolução do épico míssil balístico intercontinental R-7 desenvolvido por Sergei Korolev nos anos 50 do século passado. O novo lançador apresenta motores melhorados, modernos sistemas aviónicos digitais e uma reduzida participação de componentes de fabrico não russo.

O lançador é também conhecido pela designação Soyuz-ST (quando lançado desde o CSG Kourou) e foi especialmente desenhado para uma utilização comercial aumentando a sua performance geral apesar de o desenho básico do veículo permanecer o mesmo. As alterações foram realizadas ao nível de uma melhoria da performance dos motores do primeiro e do segundo estágio com novos injectores e alteração da mistura dos propolentes; aumento na performance do terceiro estágio; introdução de um novo sistema de controlo permitindo uma alteração do plano orbital já durante o voo ; introdução de um novo sistema de telemetria digital para a monitorização do lançador e a introdução de uma nova ogiva de protecção de carga com um diâmetro de 3,6 metros.

O foguetão 14A14 Soyuz-2 pode ser equipado com um quarto estágio, nomeadamente o estágio Fregat, utilizando as carenagens de protecção do tipo ST e SF.
 
Este lançador é capaz de colocar uma carga de 7.800 kg numa órbita terrestre a 240 km de altitude com uma inclinação de 51,80º. No lançamento desenvolve uma força de 4.144.700 kN. A sua massa total é de 310.000 kg, o seu diâmetro no estágio principal é de 2,95 metros e o seu comprimento total é de 43,40 metros.

O primeiro estágio do 14A14 Soyuz-2 é composto pelos quatro propulsores laterais (Blok B, V, G e D) com uma massa bruta de 44.400 kg, tendo uma massa de 3.810 kg sem combustível. Cada propulsor tem um motor RD-107A (14D22) que desenvolve uma força de 1.021.097 kN (vácuo), com um Ies 310 s e um Tq de 120 s. Têm um comprimento de 19,60 metros, um diâmetro de 2,69 metros e consomem LOX e querosene.

O segundo estágio (Blok-A) tem um comprimento de 27,80 metros, um diâmetro de 2,95 metros, um peso bruto de 105400 kg e um peso sem combustível de 6.975 kg. Está equipado com um motor RD-108A que no lançamento desenvolve 999.601 kgf (vácuo), com um Ies de 311 s e um Tq de 286 s. Consome LOX e querosene.

O terceiro estágio (Blok-I) tem um comprimento de 6,74 metros, um diâmetro de 2,66 metros, um peso bruto de 25.200 kg e um peso sem combustível de 2.355 kg. Está equipado com um motor RD-0110 que no lançamento desenvolve 294.000 kgf (vácuo), com um Ies de 359 s e um Tq de 300 s. Consome LOX e querosene.

Meteor-M2 05

Meteor-M2 01

As modificações introduzidas no novo lançador foram sendo testadas em duas versões do mesmo veículo o 14A14-1A Soyuz-2-1A e o 14A14-1B Soyuz-2-1B. Este último veículo é um lançador a três estágios no qual o motor RD-0124 é já empregado no último estágio.

Com dimensões semelhantes ao motor RD-0110 utilizado nas versões anteriores dos lançadores Soyuz, o motor RD-0124 apresenta como principal diferença a introdução de um sistema de ciclo fechado no qual o gás do oxidante que é utilizado para propulsionar as bombas do motor é então direccionado para a câmara de combustão onde é queimado com restante propolente em vez de ser descartado. Esta melhoria no motor aumenta a performance do sistema e, como consequência, aumenta a capacidade de carga do lançador em 950 kg. Um propolente especial de ignição é utilizado para activar a combustão do motor e são utilizados dispositivos pirotécnicos para controlar o funcionamento do motor. Cada uma das quatro câmaras de combustão pode ser movimentada ao longo de eixos para manobrar o veículo.

Em 1996 tiveram início os testes do motor RD-0124 e foram finalizados em Fevereiro de 2004 nas instalações da Khimavtomatika em Voronezh. Nesta altura previa-se que a produção em série do novo motor teria início em 2005. A 27 de Dezembro de 2005 teve lugar outro teste do motor, abrindo caminho para os ensaios em grupo de todo o terceiro estágio do lançador 14A14-B Soyuz-2-1B nas instalações da NIIKhimMash em Sergiev Posad.

No início de 2005 a Arianespace anunciava que a primeira missão de teste do foguetão 14A14-1B Soyuz-2-1B teria lugar desde o Cosmódromo GIK-5 Baikonur para colocar em órbita o satélite astronómico CoRoT. Este lançamento dependeria dos resultados de novos ensaios do motor RD-0124 que tiveram lugar em Março e Abril de 2006. Um último teste teve lugar a 20 de Outubro de 2006 e o satélite CoRoT acabaria por ser lançado a 21 de Dezembro desse ano.

Meteor-M2 07

Dados estatísticos

– Lançamento orbital: 5372

– Lançamento orbital com sucesso: 5024

– Lançamento orbital Rússia: 3139

– Lançamento orbital Rússia com sucesso: 2986

– Lançamento orbital desde Baikonur: 1425

– Lançamento orbital desde Baikonur com sucesso: 1341

A seguinte tabela mostra os totais de lançamentos executados este ano em relação aos previstos para cada polígono à data deste lançamento: 1ª coluna – lançamentos efectuados (lançamentos fracassados); 2ª coluna – lançamentos previstos à data; 3ª coluna – satélites lançados:

Baikonur – 10 (1) / 29 / 18

Plesetsk – 5 / 12 / 9

Dombarovskiy – 1 / 4 / 37

Cabo Canaveral AFS – 7 / 22 / 12

Wallops Island MARS – 1 / 3 / 34

Vandenberg AFB – 2 / 6 / 2

Kauai TF – 0 / 1 / 0

Jiuquan – 1 / 2* / 1

Xichang – 0 / 6* / 0

Taiyuan – 0 / 3* / 0

Tanegashima – 2 / 5 / 13

Kourou – 4 / 14 / 8

Satish Dawan, SHAR – 3 / 5 / 7

Odyssey – 1 / 1 / 1

Palmachim – 1 / 1 / 1

* Valores não precisos

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo: 40,5% foram realizados pela Rússia; 27,0% pelos Estados Unidos (incluindo ULA, SpaceX e Orbital SC); 2,7% pela China; 10,8% pela Arianespace; 5,4% pelo Japão, 8,1%  pela Índia, 2,7% por Israel e 2,7% pela Sea Launch.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

10 Jul (1855:20) – Soyuz-STB/Fregat-MT (005/1032/VS08) – CSG Kourou (Sinnamary), ZLS – O3b FM03; O3b FM06; O3b FM07; O3b FM08

11 Jul (1740:00) – Antares-120 – MARS Wallops Island, LP-0A – Cygnus Orb-2 (CRS2); Flock-1b (x28); MicroMAS

14 Jul (????:??) – Falcon-9 v1.1 (F-5) – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – Orbcomm-G2 3, Orbcomm-G2 4, Orbcomm-G2 6, Orbcomm-G2 7, Orbcomm-G2 9, Orbcomm-G2 11

18 Jul (2050:00) – 14A14-1A Soyuz-2.1A (020) – Baikonur, LC31 PU-6 – Foton-M n.º 4 (Фотон-М №4)

23 Jul (2142:44) – 11A511U Soyuz-U (Е15000-140) – Baikonur, LC1 PU-5 – Progress M-24M (Прогресс М-24М)

Deixe um comentário