Rússia lança Angara em voo sub-orbital



Angara 12PP

O primeiro foguetão russo desenvolvido na era pós-soviética, teve o seu voo inaugural a 9 de Julho de 2014, sendo lançado desde a Plataforma de Lançamento LC35/1 do Cosmódromo GIK-1 Plesetsk, Arkhangelsk. O lançamento teve lugar às 1200:00UTC.

angara-1.2Este foi um voo sub-orbital para o foguetão 14A125-01 Angara-1.2PP (com o número de série 71601), um lançador construído pela GKNPTs Khrunichev em especial para esta missão. O primeiro estágio deste veículo é composto por um único módulo URM-1, que mais tarde será utilizado nos foguetões Angara-1, Angara-3 e Angara-5. O segundo estágio é composto por um módulo URM-2 com o objectivo de o certificar para o voo do foguetão Angara-5.

Nesta missão sub-orbital, o lançador transportou uma carga de instrumentos para medir e transmitir os dados e informações relacionados com vários parâmetros que irão auxiliar a descrever o desempenho do veículo nas diferentes fases de voo.

Originalmente previsto para ter lugar a 25 de Junho, o lançamento seria adiado por 48 horas devido à necessidade de se proceder a verificações adicionais no lançador. Uma nova tentativa de lançamento foi agendada para as 1115:00UTC do dia 27 de Junho, mas o lançamento foi adiado 60 minutos devido a problemas técnicos não especificados com a ignição a ser adiada de forma automática. No dia 28 de Junho o lançamento estava previsto para as 1115:00UTC, mas seria adiado a 19 segundos da ignição devido a novos problemas técnicos.

O voo do Angara-1.2PP

Após abandonar a plataforma de lançamento, o motor RD-191 do primeiro estágio propulsiona o lançador na fase inicial de voo, com o veículo a atingir uma altitude de cerca de 118 km. A T+3m 36,28s dá-se a diminuição da força do motor em preparação para o final da sua ignição que ocorre a T+3m 39,28s. A separação entre o primeiro e o segundo estágio ocorre a T+3m 42,28s e é auxiliada por um conjunto de pequenos motores sólidos colocados na secção de transferência entre os dois estágios e que irá permanecer acoplada ao estágio inicial. Após a separação, dar-se-á a ignição do segundo estágio a T+3m 44,28s que é equipado com um motor RD-0124A, aumentando a velocidade do veículo mas não atingindo a velocidade orbital. A separação da carenagem de protecção ocorre a T+3m 52,30s.

A fase final do voo inicia-se a T+8m 9,28s com a diminuição da força da ignição do segundo estágio em preparação para o final da sua queima que ocorre a T+8m 11,78s. Colocado numa trajectória sub-orbital (perigeu a -1.008,53 km, apogeu a 188,88 km, inclinação orbital de 75,2º), o Angara-1.2PP irá voar sobre o território russo reentrando na atmosfera. Todo o voo será observado por estações de rastreio localizadas em território russo. Os restos do segundo estágio deverão impactar no local de teste de Kura, Península de Kamchatka a T+21m 2,47s.

O foguetão 14A125-01 Angara-1.2PP (Ангара-1.2ПП), Pervyy Polyot (Primeiro Voo), tem um comprimento de 42,8 metros e uma massa de 171.000 kg no lançamento. O seu primeiro estágio tem um diâmetro de 2,9 metros e o segundo estágio um diâmetro de 3,6 metros.

O primeiro voo orbital do foguetão Angara está previsto para ter luAngara versõesgar em Dezembro de 2014 com um foguetão Angara-5 equipado com um estágio superior Briz-M a ser lançado desde o Complexo de Lançamento LC35/1 do Cosmódromo GIK-1 Plesetsk transportando uma carga simulada GVM (ГВМ).

O foguetão Angara foi desenhado a partir de uma aproximação modular que no futuro poderá vir a substituir a actual frota de lançadores orbitais da Rússia, com excepção dos foguetões Soyuz-2.

O foguetão Angara-1 pode ser utilizado em duas versões, o Angara-1.1 e o Angara-1.2. O Angara-1.1 irá utilizar um estágio URM-1 equipado com um estágio superior Briz-KM, enquanto que o Angara-1.2 (com uma performance ligeiramente superior à versão anterior) utilizará um novo estágio superior derivado do estágio Blok-I utilizado no foguetão Soyuz-2-1B.

O foguetão Angara-3 será composto por dois estágios URM-1 em paralelo (primeiro estágio) em lado do estágio central (segundo estágio). O terceiro estágio será composto por um URM-2. O Angara-3 poderá ainda utilizar um quarto estágio para missões para órbitas mais elevadas (Briz-M ou o estágio criogénico KVSK).

O foguetão Angara-5 terá uma configuração semelhante ao Angara-3, mas o primeiro estágio será composto por quatro URM-1 em torno do estágio central.

Angara primeiro voo 02

Angara primeiro voo 03

Angara primeiro voo 04

Angara primeiro voo 05

Angara primeiro voo 06

Angara primeiro voo 07

Angara primeiro voo 08

Imagens: Ministério da Defesa da Rússia; Tsenki; Vesti.ru

Deixe um comentário