Rússia lança Angara-A5 em missão orbital de teste



Angara-A5 001086Após o lançamento inaugural desta família de lançadores a 9 de Julho de 2014 com o foguetão Angara-1.2PP, a Rússia levou a cabo o lançamento do foguetão 14A127 Angara A5-1LM/Briz-M (71751/88801) numa missão de teste a partir do Cosmódromo GIK-1 Plesetsk, Arkhangelsk. O lançamento teve lugar às 0557:00.398UTC do dia 23 de Dezembro de 2014 a partir do Complexo de Lançamento LC35/1.

Este é o mais potente foguetão russo desde o lançamento do foguetão 11K25 Energia com o vaivém espacial Buran a 15 de Novembro de 1988 e o foguetão mais potente alguma vez lançado desde território Russo, sendo a primeira missão para a órbita geossíncrona lançada desde Plesetsk.

Esta missão teve como objectivo analisar os parâmetros do novo lançador numa missão para uma órbita quase geostacionária transportando uma carga de avaliação GVM (ГВМ Габаритно-Весовой Макет) que representa um modelo de um satélite geostacionário. O GVM tinha uma massa de 2.400 kg.

Angara-A5 001078

Angara-A5 001084

Angara-A5 001089

Angara-A5 001096

Angara-A5 001098

Angara-A5 001100

Lançamento do primeiro Angara-A5

Angara-A5 07Os diferentes componentes do primeiro 14A127 Angara A5 deixaram as instalações da GKNPTs Khrunichev, em Moscovo, a bordo de dois comboios a 15 de Julho de 2014. Chegados ao Cosmódromo de Plesetsk, os componentes foram removidos dos contentores de transporte e colocados nas respectivas estações de trabalho no MIK-1 (anteriormente designado MIK-142) onde seriam inspeccionados para verificar que não haviam sido danificados durante a viagem. Os testes integrados do lançador foram iniciados a 27 de Agosto em preparação para os testes que seriam realizados na plataforma de lançamento.

No dia 10 de Novembro o Angara A5-1LM/Briz-M era transportado desde o edifício de integração e montagem para a plataforma de lançamento. Estes testes na plataforma de lançamento LC35/1 incluíram testes eléctricos e testes de interface com os sistemas da plataforma. O lançador foi abastecido com os propolentes num ensaio de abastecimento, tendo-se procedido à drenagem dos depósitos logo de seguida. Os procedimentos de abastecimento do estágio superior Briz-M foram também testados quando o foguetão foi transportado para a plataforma de lançamento.

O lançador foi transportado de volta para o edifício de integração e montagem a 4 de Dezembro para se proceder aos preparativos finais para o lançamento. A 15 de Dezembro o lançador era transportado para a estação de abastecimento dos tanques de baixa pressão do estágio superior Briz-M. Os procedimentos de abastecimento demoraram dois dias. A 17 de Dezembro a Comissão Estatal para o lançamento do primeiro Angara-A5 levou a cabo uma reunião para analisar os preparativos para a missão e autorizou o transporte do lançador para a plataforma de lançamento. O abastecimento dos tanques do estágio Briz-M ocorreu a 18 de Dezembro e no dia 20 de Dezembro o foguetão era definitivamente transportado para a plataforma de lançamento.

Angara-A5 08Não foram revelados detalhes sobre as diferentes fases de voo do Angara-A5. No entanto, o voo inicia com a ignição do primeiro (propulsores laterais) e do segundo estágio (bloco central) na plataforma de lançamento. O veículo é lançado para uma órbita com uma inclinação de 63º, que é a inclinação orbital mais baixa que é possível atingir desde Plesetsk. Funcionando a máxima potência durante os primeiros 47 segundos de voo, o motor central irá diminuir então a sua potência para 30% da sua capacidade. A T+3m 33s termina a função dos quatro propulsores laterais que constituem o primeiro estágio, separando-se então. Os quatro URM-1 laterais separam-se com a ajuda de propulsores que os afastam do segundo estágio que entretanto entra em potência máxima.

O motor do segundo estágio regressa então à sua potência máxima, tendo uma queima com uma duração total de cerca de 5 minutos e 25 segundos, separando-se do terceiro estágio após um pequeno atraso. Esta separação é conseguida com a ajuda que quatro pequenos retro-motores na área interestágio. O terceiro estágio irá continuar a missão colocando o lançador numa velocidade quase orbital. O final da sua queima deverá ter lugar por volta de T+12m 30s. Num perfil semelhante ao que acontece com as missões do foguetão 8K82KM Proton-M/Briz-M, o estágio Briz-M irá realizar de seguida uma curta queima (0611UTC) para colocar o conjunto numa órbita inicial em torno da Terra.

Nas horas seguintes o estágio Briz-M realiza mais três queimas às 0703UTC, 0926UTC e às 1444UTC. A separação simulada da carga GVM tem lugar às 1457UTC. O estágio Briz-M ainda irá executar duas novas queimas para se colocar numa órbita acima da órbita geostacionária para impedir o possível impacto com outros satélites a esta altitude.

O foguetão 14A127 Angara-A5

O foguetão 14A127 Angara-A5 é o mais potente da família de lançadores modular Angara. O foguetão é composto por quatro propulsores laterais URM-1 em torno de um módulo central URM-1 (segundo estágio), sendo todos equipados com o motor RD-191. O terceiro estágio é composto por um módulo URM-2. Todos estes componentes foram testados no voo sub-orbital do foguetão Angara-1.2PP que teve lugar em Julho de 2014.

No estágio superior (quarto estágio) pode ser utilizado o Briz-M ou o KVTK. O estágio Briz-M utiliza propolentes hipergólicos, com o estágio KVTK a utilizar propolentes criogénicos.

O estágio URM-1 consome querosene e oxigénio líquido no seu motor RD-191. O estágio tem 2,9 metros de diâmetro, 25,695 metros de comprimento e uma massa de 9.800 kg sem propolente. A massa do propolente é de 132.600 kg, atingindo uma massa de 142.400 kg no lançamento.

Angara-A5 04

Angara-A5 03

O motor RD-181 está colocado num sistema de suspensão que lhe permite rodar até 8º para dirigir o lançador nos eixos vertical e lateral. A rotação do veículo é controlada através de dois estabilizadores aerodinâmicos e quatro propulsores instalados na parte inferior do lançador e alimentados pelo gás quente gerado pelo motor. O RD-191 desenvolve uma força de 1.922 kN (nível do mar) ou 2.085 kN (vácuo), tendo um impulso específico de 311,4 segundos (nível do mar) ou 337,5 segundos (vácuo). O seu tempo de queima é de 214 segundos (propulsor lateral) ou 325 segundos (módulo central).

O estágio URM-2 tem 3,6 metros de diâmetro e 6,87 metros de comprimento, transportando 35.800 kg de propolente (25.100 kg de LOX e 10.700 kg de querosene) e tendo uma massa de 4.000 kg sem propolentes (no lançamento tem uma massa total de 39.800 kg). Tal como o URM-1 consome querosene e oxigénio líquido que são consumidos pelo motor RD-0124A.

O RD-0124A desenvolve uma força de 294,3 kN (vácuo), tendo um impulso específico de 359 segundos (vácuo). O seu tempo de queima é de 424 segundos.

Angara-A5 02

Angara-A5 01

No lançamento o Angara-A5 tem uma massa de cerca de 773.000 kg (Briz-M) ou 790.000 (KVTK). Lançado desde o Cosmódromo de Plesetsk, este lançador é capaz de colocar uma carga de 24.500 kg numa órbita terrestre baixa a 200 km de altitude e com uma inclinação de 63,1º. Utilizando o estágio Briz-M é capaz de colocar uma carga de 5.400 kg numa órbita de transferência geostacionária ou de 3.000 kg directamente para a órbita geostacionária. Com o estágio KVTK, o Angara-A5 é capaz de colocar uma carga de 7.500 kg numa órbita de transferência geostacionária ou de 4.600 kg directamente para a órbita geostacionária.

De forma geral, o Angara-A5 tem um comprimento de 55,4 metros (Briz-M) ou 64,0 metros (KVTK), tendo um diâmetro no módulo central de 2,9 metros e uma envergadura de 8,86 metros.

Angara-A5 05

Angara

O estágio Briz-M tem um comprimento de 2,61 metros e um diâmetro de 4,10 metros. No lançamento tem uma massa de 22.170 kg, dos quais 19.800 kg são propolente (2.370 kg sem propolente). O seu motor S5.98M consome UDMH e N2O4. Desenvolve uma força de 19,6 kN, tendo um impulso específico de 326 segundos e um tempo de queima de 3.000 segundos.

Dados Estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5421

– Lançamento orbital com sucesso: 5072

– Lançamento orbital Rússia: 3152

– Lançamento orbital Rússia com sucesso: 2999

– Lançamento orbital desde GIK-1 Plesetsk: 1600

– Lançamento orbital desde GIK-1 Plesetsk com sucesso: 1567

– Lançamento orbital desde GIK-1 Plesetsk em 2014: 8

A seguinte tabela mostra os totais de lançamentos executados este ano em relação aos previstos para cada polígono à data deste lançamento: 1ª coluna – lançamentos efectuados (lançamentos fracassados); 2ª coluna – lançamentos previstos à data; 3ª coluna – satélites lançados:

Baikonur – 18 (1) / 21 / 26

Plesetsk – 8 / 9 / 12

Dombarovskiy – 2 / 2 / 42

Cabo Canaveral AFS – 16 / 16 / 29

Wallops Island MARS – 3 (1) / 3 / 63

Vandenberg AFB – 4 / 4 / 4

Jiuquan – 8 / 8 / 10

Xichang – 1 / 2 / 1

Taiyuan – 5 / 6 / 7

Tanegashima – 4 / 4 / 18

Kourou – 11 / 11 / 23

Satish Dawan, SHAR – 4 / 4 / 8

Odyssey – 1 / 1 / 1

Palmachim – 1 / 1 / 1

* Valores não precisos

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo: 32,1% foram realizados pela Rússia; 26,2% pelos Estados Unidos (incluindo ULA, SpaceX e Orbital SC); 16,7% pela China; 13,1% pela Arianespace; 4,8% pelo Japão, 4,8% pela Índia, 1,2% por Israel e 1,2% pela Sea Launch.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

25 Dez (0240:00) – 14A14-1B Soyuz-2-1B (78031199) – GIK-1 Plesetsk, LC43/4 – Lotos-S1

26 Dez (1900:00) – 14A14-1B Soyuz-2-1B (L15000-009) – Baikonur, LC31 PU-6 – Resurs-P2

27 Dez (2137:49) – 8K82KM Proton-M/Briz-M (6304287978 93549/99552) – Baikonur, LC200 PU-29 – Astra-2G

31 Dez (????:??) – CZ-3A Chang Zheng-3A (Y24) – Xichang, LC3 – FY-2G Fengyun-2G

6 Jan (1118:00) – Falcon-9 v1.1 – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – Dragon SpX-5 (CRS5); SERPENS; Flock-1d’1; Flock-1d’2; AESP-14

Deixe um comentário