Rosetta: A ambição de transformar a ficção científica em facto científico



Imagine: com um terreno baldio como cenário, o Mestre e a sua jovem Aprendiz decidem transformar os pedregulhos em planetas e luas, asteroides e cometas. Levitam os mundos acima das suas cabeças, fazendo-os rodar em órbita, à volta do seu sol simbólico.

Qual é a chave para a vida na Terra?” pergunta o Mestre

A Aprendiz abana a cabeça. A resposta é óbvia: água.

Durante muito tempo, as origens da água, e da vida, no nosso planeta, permaneceram um mistério absoluto. Então começamos a procurar respostas para além da Terra,” o Mestre continua.

A certa altura voltamo-nos para os cometas. Um bilião de bolas celestes de pó, gelo, moléculas complexas, que sobraram do nascimento do nosso Sistema Solar. Já foram vistos como mensageiros da desgraça e da destruição, apesar de serem tão encantadores.“

E nós queremos apanhar um: um plano incrivelmente ambicioso.”

Ficção científica? Não – facto científico.

Como o filme de Tomek Bagiński,  Ambition (Ambição),evidencia, faz parte da essência do ser humano tentar atingir coisas difíceis, atingir o que parecem ser objetivos impossíveis, aprender, adaptar-se e evoluir.

E no centro deste filme está a Rosetta, uma missão real da ESA que fez um rendezvous, acompanha e aterrará num cometa. Uma missão que começou como um sonho mas que depois de uma década de planeamento, construção e viagem através do Sistema Solar, chegou ao seu destino.

O seu objectivo? Revelar os segredos escondidos no gelo durante 4,6 mil milhões de anos. Para estudar a sua história. Para procurar pistas sobre as nossas origens.

De uma distância de 100 km, até aos 50, 30 e depois, desafiando todas as expectativas, para apenas 10 km, a Rosetta continua a cativar e intrigar com cada imagem e cada pacote de dados enviados. Irá reescrever os livros de ciência de cometas.

Mas há mais, um desafio ainda maior, uma outra estreia ambiciosa: aterrar num cometa.

O cenário está montado. A data: 12 de Novembro 2014.

Como escritor de ficção científica, é difícil pensar num tema mais excitante do que a origem e destino da vida no Universo,” diz Alastair Reynolds.

Com a chegada da Rosetta ao 67P/Churyumov–Gerasimenko – um feito técnico  impressionante e audaz, literalmente matéria de ficção científica –estamos à beira de um novo e ousado capítulo do entendimento do nosso lugar no Universo.”

A Rosetta está a menos de 10 km de um cometa, e ambos correm pelo espaço a mais de  60 000 km/h,” diz Matt Taylor, cientista de projecto da ESA.

No próximo mês, tentaremos aterrar num cometa, e com a nossa nave em órbita, continuaremos a manter o ritmo do cometa durante um ano ou mais, vendo como é que este evolui ao longo do tempo.

Tudo isto é novo e único e nunca tinha sido feito antes. Pode parecer ficção científica, mas é uma realidade para as equipas que dedicaram a sua vida inteira a esta missão, desenhada para aumentar os limites da nossa tecnologia em benefício da ciência e na procura de respostas às grandes questões relacionadas com as origens do nosso Sistema Solar.”

Mais sobre Ambition

O filme Ambition é um projecto de colaboração entre a ESA e a Platige Image. Dirigido por Tomek Baginski, com Aiden Gillen e Aisling Franciosi, foi filmado na Islândia, e estreado a 24 de outubro durante as celebrações da Ficção Científica do British Film Institute: Days of Fear and Wonder (Dias de Medo e Espanto), em Southbank, Londres.

Visite o site de Ambition: http://ambitionfilm.com

Veja o trailer aqui

Veja o filme aqui

Veja o Makink of de Ambition aqui

Notícia e imagem: ESA

Deixe um comentário