Resultados da investigação ao acidente do Proton-M/Briz-M



2015-025 MexSat 013

No dia 29 de Maio de 2015 a agência espacial Russa, Roscosmos, anunciou os resultados da investigação ao acidente com o foguetão 8K82KM Proton-M/Briz-M que levou à perda do satélite de comunicações Mexicano MexSat-1.

Segundo informou a Roscosmos, o motor de orientação do terceiro estágio do foguetão lançador falhou devido a excessivas cargas vibratórias, que foram causadas por um desequilíbrio progressivo do rotor na turbo-bomba. O problema foi relacionado com a degradação do material no rotor sobre a influência de altas temperaturas e devido ao fraco sistema de balanceamento. A falha foi caracterizada como uma falha de projecto.

A empresa GKNPTs Khrunichev deverá desenvolver um plano de acção com várias medidas para resolver o problema e que incluem a substituição do material que constitui o fuste do rotor da turbo-bomba, melhorar os procedimentos para balancear o rotor da turbo-bomba e melhorar a fixação do motor da turbo-bomba de orientação à estrutura do motor principal do terceiro estágio.

A investigação também revelou um determinado número de problemas na gestão dos assuntos de controlo de qualidade no interior da industria e prometeu o desenvolvimento de um plano de medidas para resolver estas questões no espaço de um mês.

2015-025 MexSat 019

A rápida identificação das causas deste acidente vêm em consequência das medidas tomadas após o acidente ocorrido em Maio de 2014 que levaram à colocação de novos sensores de vibração na turbo-bomba em futuros lançamentos. A telemetria proveniente desses sensores complementados com testes realizados no solo dentro de determinados limites, permitiram requalificar o problema (então erradamente diagnosticado). De facto, dentro de determinados limites um fuste da turbo-bomba não correctamente balanceado tende a vibrar de forma excessiva, deformando-se e acabando por falhar. Os investigadores identificaram que o mesmo problema aconteceu em três dos mais de 400 lançamentos do foguetão Proton.

Segundo Igor Komarov, dirigente máximo da Roscosmos, apesar dos exaustivos exames levados a cabo, não foram encontrados problemas com os procedimentos de controlo de qualidade durante os preparativos para a missão.

Imagem: Roscosmos

Deixe um comentário