Reentrada do GOCE (Actualização III)



Às 0145UTC do dia 11 de Novembro de 2013 a ESA confirmou numa curta actualização no seu sítio da Internet, que o satélite GOCE havia reentrado na atmosfera terrestre.

A reentrada na atmosfera terrestre deu-se numa passagem orbital descendente que se estendeu ao longo da Sibéria, Pacífico Oeste, ao longo da parte Este do Oceano Índico e Antárctica.

Depois de mais de quatro anos a mapear a gravidade terrestres, com uma precisão única, a missão GOCE chegou ao fim.  O Explorador de Gravidade e da Circulação Oceânica – GOCE – esteve em órbita da Terra desde Março de 2009, na mais baixa altitude de qualquer satélite de investigação.  Apelidado de o ‘Ferrari do espaço’, graças ao seu design fino e aerodinâmico, o GOCE mapeou as variações na Gravidade terrestre com um detalhe extremo. 

O resultado  é um modelo único do geoide, que é essencialmente uma superfície virtual em que a água não escoa de um ponto para o outro. Em meados de Outubro a missão chegou ao seu fim quando ficou combustível e o satélite começou a sua descida em direcção à Terra, a partir de uma altitude de 224 km.

Enquanto a maior parte do GOCE se desintegrou na atmosfera, várias partes poderão ter atingido a superfície da Terra. Tendo em conta que dois terços da Terra estão cobertos por oceanos e uma área muito vasta está despovoada, o risco para a vida e para os bens materiais era muito baixo.

Todos os anos atingem o solo cerca de 40 toneladas de lixo espacial, mas o seu tamanho e dispersão implicam que o risco individual de ser atingido por um destes pedaços é inferior ao de ser atingido por um meteorito.   

A descida do satélite foi monitorizada a nível internacional, com o envolvimento do Comité Coordenador Inter-Agências para o Lixo Espacial. A situação foi monitorizada continuamente pelo Gabinete de Lixo Espacial da ESA, que foi emitindo previsões de reentrada e análise de risco.

Deixe um comentário