Radiação espacial condenou a Fobos-Grunt




A agência espacial federal russa Roscosmos anunciou os resultados da comissão de inquérito que investigou as possíveis causas para o triste final da missão Fobos-Grunt.

Segundo os resultados da comissão, o sistema de computadores da sonda foi afectado por partículas espaciais carregadas que levaram ao «reboot» do sistema de forma espontânea. Após esta situação, a sonda ter-se-á colocado num modo de segurança.

Apesar de indicar que não existe maneira de regular o impacto da radiação espacial, os fabricantes da sonda deveriam ter tomando em consideração a influência da radiação espacial antes da missão. Anatoly Popovkin, dirigente máximo da Roscosmos, também referiu que a falha se ficou a dever aos maus circuítos electrónicos fabricados fora da Rússia que, referiu, eram distintos dos que eram utilizados no estágio de propulsão derivado do estágio Fregat.

A comissão governamental pôs de parte a ideia de qualquer influência externa no destino da Fobus-Grunt.

Lançada a 8 de Novembro de 2011 desde o Cosmódromo de Baikonur e transportando a sonda chinesa YG-1 Yinghuo-1, a Fobos-Grunt reentrou na atmosfera terrestre a 15 de Janeiro de 2012.

Imagem: Roscosmos

Deixe um comentário