Quatro satélites O3b colocados em órbita



VS07_Decollage

A tecnologia espacial russa demonstrou novamente a sua vitalidade com o sucesso da empresa comercial europeia Arianespace que levou a cabo o lançamento de quatro satélites de comunicações O3b às 1855:56,437UTC do dia 10 de Julho de 2014.

O lançamento dos satélites foi realizado pelo foguetão 372RN21B Soyuz-STB/Fregat-MT (005/1032) a partir do Complexo de Lançamento ZLS do CSG Kourou (Sinnamary), Guiana Francesa.

A carga total a bordo desta missão, denominada VS08 no sistema de numeraçãO3b 04o da Arianespace, foi de 3.204 kg, incluindo cerca de 2.800 kg para os satélites que operam na banda Ka e que foram construídos pela Thales Alenia Space para a empresa O3b.

Os satélites O3b fazem parte de uma constelação de satélites destinados a proporcionar um acesso mais barato à Internet. Colocados numa órbita equatorial, a constelação O3b (‘Other 3 billion‘) irá proporcionar um acesso de alta velocidade e baixo custo à rede mundial para os mercados emergentes da Ásia, África, América Latina, Austrália e Médio Oriente, cobrindo cerca de 150 países que ainda não gozam de um acesso a Internet de banda larga.

O3b 02

Os satélites irão operar numa órbita de altitude média e irão fornecer serviços de telecomunicações e de Internet combinando a cobertura global por satélite com a velocidade de comunicações por fibra óptica.

O estágio superior Fregat-MT realizou quatro queimas propulsivas nesta missão. O estágio superior foi colocado numa órbita com perigeu a -1.167 km, apogeu a 192 km e inclinação orbital de 5,27º. A primeira queima colocou o conjunto numa órbita com perigeu a 153 km, apogeu a 227 km e inclinação orbital de 5,15º. Por seu vez, a segunda queima coloca o conjunto numa órbita com um perigeu a  242 km, apogeu a 7.875 km e inclinação orbital de 3,24º. Finalmente, a terceira queima colocava o conjunto numa órbita com um perigeu a  7.833 km de altitude, apogeu a 7.835 km de altitude e inclinação orbital de 0,02º. A última queima do Fregat-M serviu para o colocar numa órbita afastada dos satélites, ficando colocado numa órbita com um perigeu a  8.003 km de altitude, apogeu a 8.041 km de altitude e inclinação orbital de 0,02º.

Os dois primeiros satélites foram separados do sistema de transporte de carga às 2056:43UTC (T+2h 0m 47s) enquanto que os restantes dois satélites separaram-se às 2118:23UTC (T+2h 22m 27s).

O3b 01


Soyuz-2_2014-03-23_14-08-06O foguetão 14A14 Soyuz-2

O foguetão 14A14 Soyuz-2 representa a mais recente evolução do épico míssil balístico intercontinental R-7 desenvolvido por Sergei Korolev nos anos 50 do século passado. O novo lançador apresenta motores melhorados, modernos sistemas aviónicos digitais e uma reduzida participação de componentes de fabrico não russo.

O lançador é também conhecido pela designação Soyuz-ST (quando lançado desde o CSG Kourou) e foi especialmente desenhado para uma utilização comercial aumentando a sua performance geral apesar de o desenho básico do veículo permanecer o mesmo. As alterações foram realizadas ao nível de uma melhoria da performance dos motores do primeiro e do segundo estágio com novos injectores e alteração da mistura dos propolentes; aumento na performance do terceiro estágio; introdução de um novo sistema de controlo permitindo uma alteração do plano orbital já durante o voo ; introdução de um novo sistema de telemetria digital para a monitorização do lançador e a introdução de uma nova ogiva de protecção de carga com um diâmetro de 3,6 metros.

O foguetão 14A14 Soyuz-2 pode ser equipado com um quarto estágio, nomeadamente o estágio Fregat, utilizando as carenagens de protecção do tipo ST e SF.
 
Este lançador é capaz de colocar uma carga de 7.800 kg numa órbita terrestre a 240 km de altitude com uma inclinação de 51,80º. No lançamento desenvolve uma força de 4.144.700 kN. A sua massa total é de 310.000 kg, o seu diâmetro no estágio principal é de 2,95 metros e o seu comprimento total é de 43,40 metros.

O primeiro estágio do 14A14 Soyuz-2 é composto pelos quatro propulsores laterais (Blok B, V, G e D) com uma massa bruta de 44.400 kg, tendo uma massa de 3.810 kg sem combustível. Cada propulsor tem um motor RD-107A (14D22) que desenvolve uma força de 1.021.097 kN (vácuo), com um Ies 310 s e um Tq de 120 s. Têm um comprimento de 19,60 metros, um diâmetro de 2,69 metros e consomem LOX e querosene.

O segundo estágio (Blok-A) tem um comprimento de 27,80 metros, um diâmetro de 2,95 metros, um peso bruto de 105400 kg e um peso sem combustível de 6.975 kg. Está equipado com um motor RD-108A que no lançamento desenvolve 999.601 kgf (vácuo), com um Ies de 311 s e um Tq de 286 s. Consome LOX e querosene.

O terceiro estágio (Blok-I) tem um comprimento de 6,74 metros, um diâmetro de 2,66 metros, um peso bruto de 25.200 kg e um peso sem combustível de 2.355 kg. Está equipado com um motor RD-0110 que no lançamento desenvolve 294.000 kgf (vácuo), com um Ies de 359 s e um Tq de 300 s. Consome LOX e querosene.

As modificações introduzidas no novo lançador foram sendo testadas em duas versões do mesmo veículo o 14A14-1A Soyuz-2-1A e o 14A14-1B Soyuz-2-1B. Este último veículo é um lançador a três estágios no qual o motor RD-0124 é já empregado no último estágio.

Com dimensões semelhantes ao motor RD-0110 utilizado nas versões anteriores dos lançadores Soyuz, o motor RD-0124 apresenta como principal diferença a introdução de um sistema de ciclo fechado no qual o gás do oxidante que é utilizado para propulsionar as bombas do motor é então direccionado para a câmara de combustão onde é queimado com restante propolente em vez de ser descartado. Esta melhoria no motor aumenta a performance do sistema e, como consequência, aumenta a capacidade de carga do lançador em 950 kg. Um propolente especial de ignição é utilizado para activar a combustão do motor e são utilizados dispositivos pirotécnicos para controlar o funcionamento do motor. Cada uma das quatro câmaras de combustão pode ser movimentada ao longo de eixos para manobrar o veículo.

Em 1996 tiveram início os testes do motor RD-0124 e foram finalizados em Fevereiro de 2004 nas instalações da Khimavtomatika em Voronezh. Nesta altura previa-se que a produção em série do novo motor teria início em 2005. A 27 de Dezembro de 2005 teve lugar outro teste do motor, abrindo caminho para os ensaios em grupo de todo o terceiro estágio do lançador 14A14-B Soyuz-2-1B nas instalações da NIIKhimMash em Sergiev Posad.

No início de 2005 a Arianespace anunciava que a primeira missão de teste do foguetão 14A14-1B Soyuz-2-1B teria lugar desde o Cosmódromo GIK-5 Baikonur para colocar em órbita o satélite astronómico CoRoT. Este lançamento dependeria dos resultados de novos ensaios do motor RD-0124 que tiveram lugar em Março e Abril de 2006. Um último teste teve lugar a 20 de Outubro de 2006 e o satélite CoRoT acabaria por ser lançado a 21 de Dezembro desse ano.

Dados estatísticos

– Lançamento orbital: 5373

– Lançamento orbital com sucesso: 5025

– Lançamento orbital Arianespace: 228

– Lançamento orbital Arianespace com sucesso: 219

– Lançamento orbital desde CSG Kourou: 237

– Lançamento orbital desde CSG Kourou com sucesso: 225

A seguinte tabela mostra os totais de lançamentos executados este ano em relação aos previstos para cada polígono à data deste lançamento: 1ª coluna – lançamentos efectuados (lançamentos fracassados); 2ª coluna – lançamentos previstos à data; 3ª coluna – satélites lançados:

Baikonur – 10 (1) / 28 / 18

Plesetsk – 5 / 12 / 9

Dombarovskiy – 1 / 4 / 37

Cabo Canaveral AFS – 7 / 21 / 12

Wallops Island MARS – 1 / 3 / 34

Vandenberg AFB – 2 / 6 / 2

Kauai TF – 0 / 1 / 0

Jiuquan – 1 / 2* / 1

Xichang – 0 / 6* / 0

Taiyuan – 0 / 3* / 0

Tanegashima – 2 / 5 / 13

Kourou – 5 / 14 / 10

Satish Dawan, SHAR – 3 / 5 / 7

Odyssey – 1 / 1 / 1

Palmachim – 1 / 1 / 1

* Valores não precisos

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo: 39,5% foram realizados pela Rússia; 26,3% pelos Estados Unidos (incluindo ULA, SpaceX e Orbital SC); 2,6% pela China; 13,2% pela Arianespace; 5,3% pelo Japão, 7,9%  pela Índia, 2,6% por Israel e 2,6% pela Sea Launch.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

12 Jul (1714:00) – Antares-120 – MARS Wallops Island, LP-0A – Cygnus Orb-2 (CRS2); Flock-1b (x28); MicroMAS

14 Jul (1321:00) – Falcon-9 v1.1 (F-5) – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – Orbcomm-G2 3, Orbcomm-G2 4, Orbcomm-G2 6, Orbcomm-G2 7, Orbcomm-G2 9, Orbcomm-G2 11

18 Jul (2050:00) – 14A14-1A Soyuz-2.1A (020) – Baikonur, LC31 PU-6 – Foton-M n.º 4 (Фотон-М №4)

23 Jul (2142:44) – 11A511U Soyuz-U (Е15000-140) – Baikonur, LC1 PU-5 – Progress M-24M (Прогресс М-24М)

23 Jul (2200:00) – Delta-IV-M+(4,2) (D368) – Cabo Canaveral AFS, SLC-37B – AFSPC-4: (GSSAPх2); ABGELS

Imagens: Arianespace; Roscosmos

Deixe um comentário