Primeira missão logística para a ISS em 2014



Cygnus_2014-01-09_18-08-22

A Orbital Sciences Corporation (OSC) levou a cabo o lançamento do veículo de carga Cygnus Orb-1 (CRS1) para a estação espacial internacional. O lançamento teve lugar às 1807:00UTC do dia 9 de Janeiro de 2014 e foi levado a cabo por um foguetão Antares-120 a partir do Complexo de Lançamento LP-0A do MARS Wallops Island. A separação do Cygnus Orb-1 teve lugar às 1817UTC.

Juntamente com o Cygnus Orb-1 (CRS1) seguiram a bordo do lançador mais 33 pequenos satélites: 28 satélites Flock-1, o LitSat-1, o LituanicaSAT-1, o ArduSat-2, o SkyCube-1 e o UAPSat-1.

O foguetão Antares (anteriormente designado Taurus-2) é um veículo lançador a dois estágios projectado para proporcionar um acesso fiável e de baixo custo à órbita terrestre e à órbita de escape para cargas de classe média com um peso de 5.000 kg. O Antares foi projectado para ser um lançador altamente fiável para cumprir os critérios de Categoria 3 da NASA e de missões similares para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, incorporando subsistemas já testados em voo para assim reduzir os custos de desenvolvimento, tempo de preparação e riscos.

Antares_fact 

O primeiro estágio do foguetão Antares utiliza dois motores AJ26-62, sendo a propulsão do segundo estágio fornecida por um motor de combustível sólido Castor-30B (baseado na herança do motor Castor-120). Está também disponível um segundo estágio opcional Castor-30XL, um terceiro estágio de bi-propolente BTS (Bi-propellant Third Stage) e um terceiro estágio baseado no motor Star-48. O primeiro estágio foi desenvolvido em conjunto entre a OSC e as empresas ucranianas KB Yuzhnoye e PO Yuzhmash.

Antares-120_2014-01-07_12-27-43

O motor AJ626-62 é uma modificação do venerável motor russo NK-33 por sua vez derivado do motor NK-15 desenhado e construído em finais dos anos 60 e princípios dos anos 70 e que eram inicialmente destinados ao foguetão lunar soviético N-1. As modificações introduzidas no motor abrangeram a introdução de sistemas electrónicos, a sua qualificação para a utilização de propolentes norte-americanos e a modificação do seu sistema de orientação.

Sendo um lançador de classe média, o Antares preenche o espaço existente entre o foguetão Minotaur-IV (de classe leve e média) e os foguetões Delta-IV e Atlas-V.

Cygus_2013-11-03_16-33-31

A designação do foguetão Antares utiliza um código de três dígitos  que diferenciam as diferentes variantes do lançador, onde o primeiro dígito (que será sempre ‘1’) indica o primeiro estágio standard, o segundo dígito (‘1’ – Castor-30A, ‘2’ – Castor-30B, ‘3’ – Castor-30XL) indica o segundo estágio e o terceiro dígito (‘0’ – não existente, ‘1’ – BTS, ‘3’ – Star-48BV) indica o terceiro estágio.

Mission Overview-7

A OSC desenvolveu o veículo espacial de manobra avançada Cygnus ao abrigo do contrato COTS com a NASA. Adicionalmente ao programa de desenvolvimento e de demonstração COTS, a OSC irá utilizar o Cygnus para realizar missões logísticas de abastecimento da ISS ao abrigo do contrato CRS. A partir de 2013 a OSC irá realizar oito missões para transportar cerca de 20.000 kg de carga para a ISS.

O sistema Cygnus é um sistema de baixo risco que incorpora elementos de tecnologias já existentes provenientes da Orbital e dos seus companheiros no programa. A Cygnus consiste num módulo de serviço comum e um módulo de carga pressurizado. A Cygnus irá transportar mantimentos para a tripulação, peças sobressalentes e experiências científicas para a ISS. O módulo de serviço incorpora sistemas aviónicos da linha de produção dos satélites LEOStar e GEOStar da OSC juntamente com sistemas de propulsão e sistemas de fornecimento de energia dos satélites de comunicações GEOStar. O módulo de carga pressurizado tem por base o Multi-Purpose Logistics Module (MPLM) desenvolvido pela Thales Alenia Space para a NASA.

Cygnus_2014

Cygnus_

A energia é fornecida ao módulo de serviço a partir de duas asas solares fixas capazes de gerar 3,5kW. O seu sistema de propulsão consome N2H4 / MON-3 ou somente N2H4. A secção pressurizada pode transportar 2.000 kg de carga (ou 2.700 kg na versão melhorada), tendo um volume pressurizado de 18,9 m3 (27 m3 na versão melhorada).

Tal como foi referido, juntamente com o Cygnus Orb-1 (CRS1) seguiram a bordo do lançador mais 33 pequenos satélites: 28 satélites Flock-1, o LitSat-1, o LituanicaSAT-1, o ArduSat-2, o SkyCube-1 e o UAPSat-1. Os satélites serão transportados para a estação espacial internacional a partir de onde serão colocados em órbita utilizando o sistema Nanoracks no módulo Kibo.

A constelação Flock-1 é composta por 28 CubeSats-3U destinados à observação da superfície terrestre. Sendo baseados nos satélites Dove, os satélites Flock irão operar numa órbita a uma altitude de 400 km com uma inclinação de 52º.

O LitSat-1 é um CubeSat-1U desenvolvido pela Federação Espacial Lituana e juntamente com o LituanicaSAT-1 é um dos dois primeiros satélites da Lituânia. O satélite utiliza software e hardware open-source de baixo custo para os computadores de voo primário e secundário que controlam a carga a bordo. Esta carga é composta por uma câmara VGA, um receptor GPS, um repetidor linear e um transreceptor de rádio AX.25. Tem uma massa de 1 kg.

O pequeno LituanicaSAT-1 é um CubeSat-1U desenvolvido pela Universidade de Tecnologia de Kaunas. O satélite transporta uma câmara VGA, um receptor GPS, um sinal de telemetria 9k6 AX25 FSK e um repetidor de voz FM a 150 mW V/U. Tem uma massa de 1 kg.

O satélite ArduSat-2, também designado Arduino Satellite 2, é um CubeSat-2U desenvolvido pela NanoSatisfi Inc. que tem por missão fornecer uma plataforma na qual os estudantes e entusiastas espaciais poderiam projectar e levar a cabo as suas experiências espaciais baseadas no Arduino. O satélite foi financiado através de uma plataforma de crowdfunding e tem uma massa de 2 kg.

Desenvolvido pela SkuCube, o SkyCube-1 foi também financiado através de uma campanha de crowdfunding e tem como missão tweetar mensagens submetidas pelos seus investidores e obter imagens dos lugares que requererem. No final da sua vida útil em órbita, o satélite irá inflacionar um balão prateado para que possa ser observado a partir da Terra. O satélite transporta quatro câmaras, painéis solares e um balão de 3 metros que irá também ajudar a retirar o satélite de órbita ao aumentar o atrito atmosférico. O SkyCube-1 tem uma massa de 2 kg.

O Universidade Alas Peruanas Satellite (UAPSat-1) é um CubeSat-1U do Peru construído pelo Instituto para Radioastronomia da Pontificia Universidad Católica de Peru (INRAS-PUCP). Com uma massa de 1 kg, o satélite está revestido de células solares para carregar as suas baterias. A bordo transporta um minicomputador, transmissores e receptores de rádio, um sistema de controlo de energia e ímanes para alinha o UAPSat-1 com o campo magnético da Terra. O satélite irá transmitir informação telemétrica na qual estarão informações sobre a temperatura interna e externa, voltagem e dados do satélite.

Estatísticas:

– Lançamento orbital: 5338

– Lançamento orbital com sucesso: 4991

– Lançamento orbital EUA: 1565**

– Lançamento orbital EUA com sucesso: 1437**

– Lançamento orbital desde MARS Wallops Island: 37

– Lançamento orbital desde MARS Wallops Island com sucesso: 34

** Valor corrigido em relação ao último lançamento registado para os EUA.

A seguinte tabela mostra os totais de lançamentos executados este ano em relação aos previstos para cada polígono à data deste lançamento(entre parêntesis estão os lançamentos fracassados se for o caso):

Baikonur – 0 / 32

Plesetsk – 0 / 18

Dombarovskiy – 0 / 5

Cabo Canaveral AFS – 1 / 25

Wallops Island MARS – 0 / 3

Vandenberg AFB – 0 / 6

Kauai TF – 0 / 1

Jiuquan – 0 / 1*

Xichang – 0 / 6*

Taiyuan – 0 / 3*

Hainan – 0 / 1

Tanegashima – 0 / 6

Kourou – 0 / 16

Satish Dawan, SHAR – 1 / 5

Odyssey – 0 / 1

Semnan – 0 / 2

* Valores não precisos

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo 0% foram realizados pela Rússia; 66,7% pelos Estados Unidos (incluindo ULA, SpaceX e Orbital SC); 0% pela China; 0% pela Arianespace; 0% pelo Japão; 33,3 % pela Índia e % pel0 Irão.

Os próximos cinco lançamentos orbitais previstos são:

24 Janeiro (0205:00) – Atlas-V/401 – Cabo Canaveral, SLC-41 – TDRS-L

?? Janeiro (????:??) – Ariane-5ECA (VA217) – CSG Kourou, ELA3 – ABS-2; Athena-Fidus

05 Fevereiro (1623:34) – 11A511U-PBV Soyuz-U (?15000-139) – Baikonur, LC1 PU-5 – Progress M-22M

14 Fevereiro (1836:00) – 8K82KM Proton-M/Briz-M (93543/99544) – Baikonur, LC81 PU-27 – Turksat-4A

19 Fevereiro (????:??) – Ariane-5ECA (VA216) – CSG Kourou, ELA3 – Astra-5B; Amazonas-4A

Deixe um comentário