Primeira missão comercial de abastecimento para a ISS




A SpaceX levou a cabo o lançamento da cápsula Dragon na missão SpaceX-1 (ou CRS-1) tendo por destino a estação espacial internacional na primeira de doze missões de reabastecimento da ISS ao abrigo do programa CRS – Commercial Resupply Services. Com a ausência do vaivém espacial, a cápsula Dragon é agora o único veículo capaz de transportar de volta para a Terra grandes quantidades de carga.

O lançamento desta missão teve lugar às 0035:07UTC do dia 8 de Outubro de 2012 e foi levado a cabo pelo foguetão Falcon-9 v1.0 (F-4) a partir do Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral AFS. O foguetão Falcon-9 é desenhado e fabricado pela SpaceX. Ambos os estágios utilizam oxigénio líquido e querosene, podendo lançar 4.450 kg para uma órbita a 350 km de altitude.

A cápsula Dragon, também desenhada e fabricada pela SpaceX, pode transportar até 3.310 kg de carga no lançamento e regressar com 2.500 kg. É composta por três elementos principais: o cone frontal que protege a cápsula e o mecanismo de ancoragem durante o lançamento, sendo ejectado após a ascensão; uma secção pressurizada que é ancorada à ISS e na qual se transporta carga pressurizada, contendo também uma escotilha lateral para a introdução tardia de carga e acesso ao seu interior após o regresso, além de uma secção de serviço que contém os sistemas aviónicos, motores de controlo, pára-quedas e outras infra-estruturas de suporte; uma secção despressurizada que alberga carga que não necessita de pressurização e serve de apoio estrutural aos painéis solares e radiadores térmicos. Esta secção é ejectada antes da reentrada.

O lançamento decorreu sem qualquer problema e a cápsula Dragon ficou colocada numa órbita inicial com um apogeu a 328 km e perigeu a 197 km.

A Dragon deverá ser capturada e ancorada à ISS a 10 de Outubro no seu terceiro dia de voo. O acesso ao seu interior terá lugar no dia seguinte. A missão deverá terminar a 28 de Outubro, podendo ser prolongada se necessário.

A bordo da Dragon seguem equipamentos necessários para o programa de investigação científica e outras cargas para o dia-a-dia da estação. Ainda a bordo seguiu o satélite Orbcomm-2G que se separou do segundo estágio do Falcon-9 após a separação da cápsula Dragon.

Durante o lançamento o computador de bordo detectou uma anomalia num dos seus nove motores do primeiro estágio, levando à sua desactivação. Em consequência, a queima dos restantes oito motores acabou por ser mais longa, bem como a queima do segundo estágio. 

 
 
 
 
 


Imagens: SpaceX

Deixe um comentário