Pequena Gema Nebulosa mostra os seus tons de pedra preciosa



This colourful bubble is a planetary nebula called NGC 6818, also known as the Little Gem Nebula. It is located in the constellation of Sagittarius (The Archer), roughly 6000 light-years away from us. The rich glow of the cloud is just over half a light-year across — humongous compared to its tiny central star — but still a little gem on a cosmic scale. When stars like the Sun enter retirement, they shed their outer layers into space to create glowing clouds of gas called planetary nebulae. This ejection of mass is uneven, and planetary nebulae can have very complex shapes. NGC 6818 shows knotty filament-like structures and distinct layers of material, with a bright and enclosed central bubble surrounded by a larger, more diffuse cloud. Scientists believe that the stellar wind from the central star propels the outflowing material, sculpting the elongated shape of NGC 6818. As this fast wind smashes through the slower-moving cloud it creates particularly bright blowouts at the bubble’s outer layers. Hubble previously imaged this nebula back in 1997 with its Wide Field Planetary Camera 2, using a mix of filters that highlighted emission from ionised oxygen and hydrogen (opo9811h). This image, while from the same camera, uses different filters to reveal a different view of the nebula. A version of the image was submitted to the Hubble’s Hidden Treasures image processing competition by contestant Judy Schmidt.

O Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA já obteve antes imagens da NGC 6818, mas deu uma nova olhadela nessa nebulosa planetária, com uma nova mistura de filtros de cores, para exibi-la em toda sua beleza. Ao exibir os seus impressionantes tons turquesa e quartzo rosa nesta imagem, a NGC 6818 faz jus ao seu nome popular: Pequena Gema Nebulosa.

Esta nuvem de gás formou-se há cerca de 3500 anos atrás, quando uma estrela semelhante ao Sol atingiu o fim da sua vida e ejectou as suas camadas externas no espaço. À medida que as camadas de material estelar se espalhavam a partir do núcleo – o remanescente estelar branco no centro da imagem – acabaram por adquirir formas incomuns.

A NGC 6818 apresenta filamentos nodosos rosados e duas camadas diferentes de turquesa: uma região interna brilhante e oval e, envolta sobre ela como um tecido puro, uma região exterior esférica.

A estrela central tem um companheiro estelar fraco a 150 unidades astronómicas de distância, ou cinco vezes a distância entre o Sol e Neptuno. Pode simplesmente fazer isto: se você ampliar o centro, irá notar que o ponto branco no meio não é perfeitamente redondo, mas sim dois pontos muito próximos.

Com um diâmetro de pouco mais de meio ano-luz, a própria nebulosa planetária é cerca de 250 vezes maior do que o sistema binário. Mas o material da nebulosa ainda está perto o suficiente da sua estrela-mãe para a radiação ultravioleta que a estrela liberta ionizar o gás árido e fazê-lo brilhar.

Os cientistas acreditam que a estrela também liberta um fluxo de partículas de alta velocidade – um vento estelar – que é responsável pela forma oval da região interna da nebulosa. O vento rápido varre o gás árido que se move lentamente, perfurando a sua bolha interna nas extremidades ovais, observado nos cantos inferior esquerdo e superior direito da imagem.

A NGC 6818 está localizada na constelação de Sagitário e a cerca de 6000 anos-luz da Terra. Foi primeiramente filmada pela Câmara Planetária de Campo Amplo 2 do Telescópio Espacial Hubble em 1997, e novamente em 1998 e 2000, usando diferentes filtros de cores para destacar diferentes gases na nebulosa.

Notícia e imagem: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO1990

Deixe um comentário