Passeio espacial resolve fuga na ISS



EVA11Maio2013

Os astronautas Christopher Cassidy e Thomas Marshburn iniciaram uma saída para o espaço às 1244UTC do dia 11 de Maio de 2013 para resolver uma fuga de amoníaco que foi detectada a 9 de Maio num dos sistemas de arrefecimento da ISS.

De recordar que a fuga foi detectada pelo Comandante da Expedição 35, Christopher Hadfield, que observou pequenos flocos brancos a flutuarem no exterior da ISS a partir de uma zona próxima da estrutura P6. A tripulação utilizou então câmaras fotográficas e imagens de vídeo para obterem imagens para ajudar a localizar com mais precisão o local da fuga. A fuga de amoníaco encontra-se no sistema utilizado para arrefecer os sistemas aviónicos em um dos canais de fornecimento de electricidade fornecida pelos painéis solares da ISS. O complexo orbital principalmente fornecido de energia pelos grandes painéis solares norte-americanos que se encontram montados em quatro secções em cada lado da estação espacial.

Pouco depois a NASA instruiu os astronautas Christopher Cassidy e Thomas Marshburn para se prepararem para a realização de uma passeio espacial de emergência no dia 11 de Maio para auxiliarem os especialistas a isolarem o problema e possivelmente resolvê-lo. Assim, o objectivo do passeio espacial seria o de determinar onde se encontrava a fuga de amoníaco e dependendo da quantidade de amoníaco perdido, determinar se o sistema poderia ser reiniciado. Uma outra actividade extraveícular poderá ser necessária para substituir o amoníaco perdido.

Nesta actividade extraveícular os dois astronautas procederam à inspecção do sistema de arrefecimento do canal de fornecimento de energia 2B na estrutura P6. os dois astronautas utilizaram a ferramenta Pistol Grip Tools (PGTs) para separar os parafusos H1 e H2 no Pump Flow Control Subassembly (PFCS) para encerrar as válvulas Fluid Quick Disconnect Coupling (FQDC) entre o PFCS e a estrutura P6. Nesta altura, os dois astronautas reportaram que não observavam qualquer efeito da presença ou fuga de amoníaco, apesar de notarem algumas gotas no parafuso H2.

De seguida, separaram os parafusos estruturais H3 e H4 permitindo assim remover o PFCS do conjunto Integrated Equipment Assembly (IEA) da estrutura P6. Mais uma vez, a origem da fuga não foi detectada e os dois astronautas poderiam voltar a colocar o PFCS no seu lugar. Porém, foi decidido instalar uma nova unidade PFCS. A quantidade de amoníaco no interior da nova unidade irá substituir o fluído perdido na fuga de 9 de Maio.

Imagem: NASATV

Deixe um comentário