Parabéns, Leonov!



Leonov, Alexei

С Днем Рождения, Леонов!!!

Aleksey Arkhipovich Leonov completa hoje 79 anos.

No dia 18 de Março de 1965 tornou-se no primeiro ser humano a fazer um passeio espacial, tornando-se num dos heróis da história espacial soviética.

Na minha vida profissional anterior, enquanto trabalhador de uma editora, guardo com especial tristeza o facto de não ter conseguido publicar 2 livros de divulgação científica absolutamente admiráveis, cada um no seu registo e valor histórico: «O Sonho», de Johannes Kepler, aquele que será um dos primeiros livros de grande ficção científica e revolucionário para a época e, com uma dinâmica, interesse e contexto muito diferente (ou talvez não) um outro livro chamado «Two Sides of the Moon – Our Story of the Cold War Space Race», escrito a duas mãos, pelo astronauta (americano) David Scott e pelo cosmonauta (soviético, na altura) Alexei Leonov.

Este último livro, de Leonov e Scott é uma pérola. Não apenas por ser uma biografia dual e paralela com um trabalho de edição notável, mas também porque é possível sentir a cada página como foi vivida a luta espacial na altura da Guerra Fria por dois dos seus intervenientes. Após a disputa, Leonov e Scott trabalharam em conjunto em programas de colaboração entre as duas potências mas, tempos antes, provavelmente teriam ordens para dispararem um sobre o outro em despiques aéreos!

O livro demonstra também a clara qualidade literária entre os autores – Scott muito mais frio, directo, pragmático em total antítese com um Leonov que, provavelmente por ter uma história de vida muito mais extrema em tudo, mostra-se de uma maneira muito mais emocional, afável, tocante! É um livro que, em determinados momentos, quase parece um romance, tal não é a transparência de sentimentos que transmite e provoca.

Deixo-vos com a primeira página escrita por Leonov; podia partilhar convosco as estórias do próprio sobre os seus feitos técnicos, mas prefiro mostrar-vos o que Leonov descreve como a sua primeira recordação da infância. E é para engolir em seco… e quem abre o coração desta maneira logo na primeira página… bom, imagine-se o resto!

Texto: Miguel Gonçalves

Deixe um comentário