Os planos espaciais da China




Com o lançamento da missão SZ-10 Shenzhou-10 em Junho de 2013, a China irá terminar a utilização do módulo espacial TG-1 Tiangong-1. Este deverá ser retirado de órbita terrestre no ano seguinte e em 2014 deverá ser colocado em órbita a TG-2 Tiangong-2 para a qual serão lançadas várias missões espaciais entre 2014 e 2016.

No entanto, a China está já a desenvolver os seus futuros planos de explorar espacial tripulada que verá em 2020 a utilização em órbita de uma estação espacial do tipo Mir. Esta estação será composta por um módulo central, dois módulos experimentais e um veículo de carga, além dos veículos de transporte Shenzhou. Para o desenvolvimento deste programa estão em preparação os foguetões CZ-5 Chang Zheng-5 e CZ-7 Chang Zheng-7.


Assim, para além da utilização da Tiangong-2 entre 2014 e 2016, a China irá começar a utilizar neste período o foguetão CZ-7, levando também a cabo o lançamento dos primeiros veículos de carga para a realização de testes de reabastecimento, de missões tripuladas com uma maior duração e a realização de tarefas de manutenção em órbita.

A estação espacial do tipo Mir deverá estar finalizada em 2020. Esta estação terá uma capacidade de expansão, com o seu módulo principal a ter a capacidade de controlo e gestão da estação, além de proporcionar apoio e espaço de actividades para os tripulantes em estadias de longa duração. Os dois módulos experimentais serão utilizados para estudos de ciências espaciais e para experiências de aplicações.


Durante a fase de construção várias tripulações irão permanecer na estação em períodos distintos e com durações dependentes dos requerimentos de cada missão. Durante a permanência em órbita, as tripulações poderão realizar actividades extraveículares para a construção da estação espacial e sua manutenção. A estação deverá ser visitada uma ou duas vezes por ano e os veículos de carga também deverão ser lançados uma ou duas vezes por ano.

Cada tripulação de três elementos deverá permanecer a bordo da estação por períodos de 6 meses.

Imagens: China Daily e apresentação de Yang Liwei na Conf. Int. sobre Espaço e Aeronáutica da Arábia Saudita

Deixe um comentário