Ondas sonoras no céu – o lançamento do SDO



Esta fantástica imagem obtida por George C. Privon, mostra ondas sonoras criadas durante o lançamento do observatório Solar Dynamics Observatory no dia 11 de Fevereiro.

O que terá criado estas ondas e porque é que eles levaram à desaparição de um fenómeno denominado ‘sundog‘ observado durante o lançamento? 

Uma observação mais atenta da imagem em cima não só mostra o foguetão lançador Atlas-V, mas o conjunto pouco usual de ondulações em seu redor e um ‘sundog’ colorido à direita na imagem. As ondulações, que foram observadas cerca de 1 minuto e 10 segundos após o lançamento, surgiram como uma surpresa para quem observava o lançamento, bem como o desaparecimento repentino do ‘sundog‘ a quando da sua passagem.

O fenómeno de refracção ‘sundog’ é explicado pela visualização de outras imagens do Sol criadas por cristais de gelo em queda na atmosfera terrestre. À medida que a água dela na atmosfera são formados pequenos cristais de gelo planos e haxagonais. Suspensos na atmosfera, passam muito tempo com as suas faces paralelas ao solo. Um observador pode passar através do mesmo plano de muitos dos cristais em queda perto do nascer do Sol ou do pôr-do-Sol. Durante este alinhamento, cada cristal pode actuar como uma lente em miniatura, refractando a luz solar para o nosso campo de visão e criando assim o fenómeno ‘parhelia‘, o termo técnico de ‘sundog‘.

O fenómeno das ondulações durante o lançamento do SDO foi testemunhado e registado por centenas de pessoas e tem surgido muita especulação acerca da sua origem. A principal hipótese aponta para a formação destas ondas durante passagem da barreira do som (Mach 1), que depois influenciou uma camada fina de cristaisde gelo que estavam alinhados criando o fernómeno de refracção observado. Uma questão actual pergunta porque é que outros lançamentos não têm produzido estas ondulações?

O fenómeno pode ser visto no seguinte vídeo…

Imagem: George C. Privon

Vídeo: NASA

Deixe um comentário