O transporte do futuro para a ISS: CST-100



262420_CST-100_Infographic_Final copy3A NASA anunciou a 16 de Setembro de 2014 que havia seleccionado a Boeing Co. e a SpaceX para desenvolver os veículos espaciais tripulados que irão transportar os astronautas norte-americanos para a estação espacial internacional a partir de 2017.

O Administrador da NASA, Charles Bolden, anunciou numa conferência de imprensa que os veículos CST-100 e Dragon iriam agora entrar numa fase de desenvolvimento e teste juntamente com especialistas da NASA em engenharia e tecnologia que irão trabalhar em conjunto com as equipas da Boeing e da SpaceX para garantirem que tudo é feito com segurança e fiabilidade.

O Boletim Em Órbita apresenta hoje de forma mais detalhada as características principais destes dois veículos.

O Crew Space Transportaion-100

Fabricado pela Boeing Co. em colaboração com a Bigelow Aerospace, o Crew Space Transportaion-100 (CST-100) foi projectado como parte do Commercial Crew Program iniciado pela agência espacial NASA para encontrar parceiros comerciais para o desenvolvimento de transportes tripulados para a ISS, libertando assim a agência espacial para se concentrar em projectos de exploração espacial.

262420_CST-100_Infographic_Final copy3

NASA CST-100

O CST-100 foi projectado para transportar até sete astronautas ou uma combinação de tripulação e carga para destinos na órbita terrestre baixa tais como a estação espacial internacional ou a prevista estação espacial da Bigelow.

O veículo foi projectado no Centro de Apoio de Produtos de Houston (Houston Product Support Center) e será construído nas instalações C3PF, Commercial Crew Processong Facility, anteriormente designadas OPF3 (Orbiter Processing Facility-3) no Centro Espacial Kennedy, Florida. A empresa irá iniciar a fabricação de três artigos estruturais de teste que serão utilizados para testes de abortagem na plataforma de lançamento em 2016, no primeiro voo não tripulado no início de 2017 e no primeiro voo tripulado em meados de 2017.

Entre as principais características do CST-100 encontra-se a possibilidade de ser reutilizado até 10 vezes, a sua estrutura sem soldaduras, tecnologia de tablet,  a utilização de Internet wireless e a iluminação interior por LED. O CST-100 é capaz de permanecer em voo autónomo durante 60 horas e pode permanecer em órbita durante 210 dias acoplado com a ISS. O seu diâmetro é de 4,56 metros e tem um comprimento de 5,03 metros (cápsula e módulo de serviço). No lançamento a sua massa será de cerca de 10.000 kg.

262420_CST-100_Infographic_Final copy3

CST-100 ISS

Deixe um comentário