O Spirit é agora uma plataforma científica estacionária



Este artigo é uma tradução autorizada do artigo Spirit is Now a Stationary Science Platform do [email protected]

Após seis anos de uma exploração sem precedentes do Planeta Vermelho, o veículo robótico de exploração da superfície marciana Spirit da NASA já não é um robot totalmente móvel. A NASA designou o Spirit como uma plataforma científica estacionária após vários esforços sem sucesso levados a cabo nos passados meses para o libertar de uma verdadeira armadilha de areia.

A principal tarefa do venerável robot nos próximos meses  será de se posicionar para combater o Inverno marciano. Se o Spirit sobreviver, irá continuar a levar a cabo trabalhos científicos significativos da sua posição final. A missão do veículo robótico pode continuar por longos meses ou mesmo anos.

"O Spirit não está morto; apenas entrou numa outra fase da sua longa vida," disse Doug McCuistion, director do Programa de Exploração de Marte nas instalações da NASA em Washington.

"Dissemos ao mundo no último ano que as tentativas para libertar o tão amado robot poderiam não ser bem sucedidas," acrescenta McCuistion. "Parece que a actual localização do Spirit em Marte será o seu local de descanso final."

Há dez meses atrás, quando o Spirit estava a dirigir-se para Sul através do bordo Oeste de uma planície baixa denominada Home Plate, as suas rodas irromperam através de uma superfície quebradiça e enterraram-se na suave areia escondida por baixo.

Após o Spirit ficar atolado na areia, a equipa do veículo elaborou planos para tentar tirar o veículo de seis rodas utilizando as suas cinco rodas funcionais – a sexta roda deixou de funcionar em 2006, limitando a mobilidade do Spirit. O plano incluía experiências com um veículo de teste numa caixa de areia no Laboratório de Propulsão a Jacto da NASA em Pasadena, Califórnia, para além de análises, modelos e revisões. Em Novembro, outra roda deixou de funcionar tornando mais complicada uma situação já de si muito difícil.

Recentes movimentações levaram aos melhores resultados desde que o robot ficou preso. Porém, a aproximação do Inverno obriga a uma alteração na estratégia. Estamos a meio do Outono em Marte. O Inverno irá começar em Maio. A energia solar está a diminuir e espera-se que se torne insuficiente para fornecer energia a mais tentativas por volta de meados de Fevereiro. A equipa do Spirit planeia utilizar as restantes rodas  para melhorar o posicionamento do robot. Presentemente o Spirit está ligeiramente inclinado para o Sul. O Sol de Inverno permanece no céu a Norte, assim diminuindo a inclinação para Sul deverá aumentar a quantidade de luz solar nos painéis solares do robot.

"Necessitamos de elevar a parte traseira do veículo, ou o seu lado esquerdo, ou ambos," disse Ashley Stroupe, uma condutora do Spirit no JPL.

No seu corrente ângulo, provavelmente o Spirit não terá energia suficiente para manter as comunicações com a Terra ao longo do Inverno de Marte. Mesmo uma diminuição de poucos graus de inclinação pode fazer a diferença suficiente para permitir as comunicações em diferentes dias.

"Passar o Inverno resume-se assim à temperatura e ao quão frios os sistemas electrónicos do Spirit irão ficar," disse John Callas, gestor do projecto para o Spirit e para o Opportunity no JPL. "Cada bocadinho de energia produzida pelos painéis solares do Spirit será canalizada para manter quentes os sistemas electrónicos, mantendo-os activados ou activando os aquecedores essenciais."

Mesmo num estado estacionário, o Spirit continua a sua pesquisa científica ("Sandtrapped Rover Makes Big Discovery.").

"Existe uma classe de ciência que podemos fazer somente no estado estacionário e que pusemos de parte ao longo de todos os anos de movimento," disse Steve Squyres, um investigador na Universidade de Cornell e principal investigador para o Spirit e Opportunity. "Uma mobilidade degradada não significa que a missão termina de forma abrupta. Em vez disso, vamos transferir para a ciência estacionária."

Uma experiência estacionária que o Spirit já iniciou foi o estudo de pequenas alterações na rotação de Marte para se obter mais informação acerca do interior do planeta. Esta experiência requer meses de detecção por rádio do movimento de um ponto na superfície de Marte para assim calcular o movimento a longo prazo com uma precisão de alguns centímetros.

"Se o último preciosismo do Spirit for a determinação de que o núcleo de Marte é líquido ou sólido, isso seria maravilhoso – é tão diferente dos outros conhecimentos que obtivemos do Spirit," disse Squyres.

As ferramentas no braço robótico do Spirit podem estudar as variações do solo mais próximo que foi afectado pela água. A ciência estacionária também incluí a observação da forma como o vento move as partículas no solo e amonitorização da atmosfera marciana.

O Spirit pode ter parado, mas não parou na descoberta dos segredos de Marte.

Imagens: NASA

Deixe um comentário