O regresso à luz dos astronautas subterrâneos



CAVES 2

Na passada Quinta-feira 7 de Julho, a equipa internacional de seis astronautas da China, Japão, EUA, Espanha e Rússia regressou à superfície da Sardenha, Itália, depois de passar seis noites no subsolo para a simulação de uma missão de exploração noutro planeta.

O ambiente nas cavernas da Sardenha é uma maravilha e parece certamente extraterrestre mas os autores do programa recriam uma verdadeira missão espacial com o máximo de fidelidade possível. Desde caminhadas nas cavernas subterrâneas, a Conferências de Planeamento Diárias como aquelas realizadas na Estação Espacial Internacional, assim como comida e fornecimento de equipamento e realização de experiências científicas, os seis cavernautas foram colocados à prova durante a sua aventura subterrânea.

O curso de formação subterrânea da ESA ‘Aventura Cooperativa de Valorização e Exercício’ de comportamento humano e habilidades de desempenho – CAVES – concentra-se em abordagens multiculturais de liderança, execução de ordens, trabalho de equipa e tomada de decisões de maneira a que os astronautas possam melhorar as suas capacidades, assim como áreas de enriquecimento pessoal.

Este ano, foi atribuído a cada astronauta um papel para a expedição subterrânea: o astronauta Japonês Aki Hoshi partilhou as funções de comandante e os deveres do acampamento com o astronauta da NASA Ricky Arnold, trocando o comando a meio da missão. O Chinês Ye Guangfu foi o pesquisador da equipa e engenheiro de dados, enquanto o Russo Sergei Korsakov ficou com as funções de engenharia de foto e vídeo. O astronauta da ESA Pedro Duque foi o cientista da expedição para a ciência ambiental, geologia e microbiologia, enquanto Jessica Meir da NASA foi a bióloga.

A equipa explorou mais além do que qualquer outro curso CAVES, mapeando o seu progresso e recolhendo amostras do ambiente e seres vivos que encontravam.

Testaram novas técnicas para fazer modelos exactos em 3D de objectos e do ambiente usando câmaras fotográficas normais – uma tecnologia que poderia ser usada em explorações futuras de outros planetas.

A directora de missão Loredana Bessone passou seis dias no subsolo com a equipa. “Para além de preparar os astronautas para o voo espacial, este curso ensina-nos a mover da Estação Espacial para expedições mais autónomas, onde os astronautas serão mais responsáveis pela segurança, planeamento e manutenção do equipamento.”

Desde o início mostraram ser uma equipa excecional e eu acredito que eles estão preparados para explorar as cavernas do nosso Sistema Solar.”

Loredana conclui: “Não houve fronteiras nesta equipa, e a variedade organizacional, profissional e culturas nacionais enriqueceu a equipa de uma multitude de habilidades e novas perspectivas.”

Assista aos registos em vídeo dos astronautas e mais em CAVES blog.

Notícia e imagem: ESA

Tags:  ,

Deixe um comentário