O que é que a China colocou em órbita



No espaço de análise internacional decorre uma interessante discussão acerca do último lançamento orbital da China.

No passado dia 5 de Março a China lançou o satélite YaoGan Weixing-9 que, segundo as autoridades chinesas, é um satélite de detecção remota. Porém, ao se proceder à análise dos objectos em órbita resultantes deste segundo lançamento chinês em 2010, verifica-se a presença de vários objectos que parecem operacionais ao contrário dos usuais detritos que surgem após um lançamento deste tipo.

De facto, verificando-se os parâmetros orbitais nota-se uma semelhança com os parâmetros orbitais usualmente associados aos satélites NOSS norte-americanos. Estes satélites, usualmente lançados em tripletos, são utilizados para vigilância naval electrónica. Curiosamente, parece que de facto o satélite YaoGan Weixing-9 será na realidade um conjunto de três satélites (um veículo principal e dois sub-satélites).

Certamente que as autoridades chinesas não irão revelar a natureza destes veículos. Tal como acontecia com a União Soviética e a intensiva utilização da designação “Cosmos” para identificar milhares de satélites, talvez a designação “YaoGan” tenha a mesma utilização por parte da China.

Nesta altura só nos resta esperar pelas observações dos entusiastas que todas as noites observam as órbitas e a passagem de inúmeros satélites e tentar perceber a movimentação destes novos objectos em órbita, ficando no entanto «em órbita» a questão “O que terá a China colocado em órbita?”.

Deixe um comentário