NASA anuncia local de descida do rover na missão Mars 2020

A agência espacial Norte-americana, NASA, anunciou a escolha da Cratera Jezero como local de descida do rover da missão Mars 2020. Esta escolha surge no final de um período de cinco anos durante o qual todos os detalhes de mais de 60 localizações no planeta vermelho foram tomadas em conta.

A missão Mars 2020 deverá ser lançada para Marte em Julho de 2020, sendo o próximo passo da NASA na exploração do nosso vizinho planetário. A missão, não só irá procurar sinais de antigas condições de habitabilidade – bem como possível vida microbiana no passado – mas o rover irá também recolher rochas e amostras do solo, armazenando-as num «esconderijo» na superfície do planeta. A NASA e a Agência Espacial Europeia estão a estudar futuros conceitos de missões a Marte com o objectivo de proceder à recolha de amostras da superfície e posterior transporte para a Terra. Assim, este local de descida estabelece como que um palco para a próxima década de exploração de Marte.


A Cratera Jezero está localizada no bordo ocidental Isidis Planitia, uma gigantesca base de impacto mesmo a Norte do equador de Marte. A parte ocidental de Isidis é composta por uma das mais antigas e interessantes paisagens de Marte. Os cientistas crêem que a cratera com uma largura de 45 km, que em tempos terá sido o local de um delta ribeirinho, pode ter recolhido e preservado algumas moléculas orgânicas antigas e outros sinais potenciais de vida microbiana a partir da água e sedimentos que fluíram na cratera milhões de anos atrás.

O sistema de desta ribeirinho da cratera poderá oferecer muitos locais de prospecção promissores para pelo menos cinco tipos distintos de rochas, incluindo argilas e carbonatos que têm alto potencial para preservar restos de vidas passadas. Além disso, o material transportado para o delta a partir de uma grande bacia pode conter uma grande variedade de minerais de dentro e de fora da cratera.

A diversidade geológica que torna Jezero tão atraente para os cientistas da missão Mera 2020, é também um desafio para os engenheiros que programam e projectam os processos de entrada e descida atmosférica, e de pouso (entry, descent and landing – EDL) da equipa. Juntamente com o enorme delta do rio próximo e pequenos impactos de crateras, o local contém numerosos pedregulhos e pedras a Leste, falésias a Oeste e depressões cheias de formas de leito eólicas (ondulações derivadas do vento na areia que poderiam prender um rover) em vários locais.

Quando a busca do local de descida foi iniciada, os engenheiros da missão já haviam aperfeiçoado o sistema de descida de modo a reduzir a área de pouso da missão Mars 2020 para uma área 50% menor do que o local de descida da missão Curiosity na Cratera Gale em 2012. Isso permitiu à comunidade científica a considerar locais de pouso mais desafiadores. Os locais de maior interesse científico levaram a NASA a adicionar um novo recurso chamado Terrain Relative Navigation (TRN). A TRN permitirá o estágio de descida “sky crane”, o sistema movido a foguete que transporta o rover até a superfície, para evitar áreas perigosas.

A selecção antecipada de um local de descida permite que os pilotos e a equipe de operações científicas optimizem os planos para explorar a Cratera Jezero quando o rover estiver em segurança no solo do planeta. Usando dados provenientes das várias sondas da NASA em órbita de Marte, será feito um mapeamento do terreno com mais detalhes e serão identificadas regiões de interesse – locais com as características geológicas mais interessantes, por exemplo – onde a Mars 2020 poderia recolher as melhores amostras científicas.

O Projecto Mars 2020 no JPL gere o desenvolvimento do rover para SMD. O Programa de Serviços de Lançamento da NASA, baseado no Centro Espacial Kennedy, é responsável pela gestão dos lançamentos. O Mars 2020 será lançado a partir do Cabo Canaveral AFS, na Florida.

Para mais informações sobre Marte 2020, visite https://www.nasa.gov/mars2020.

Imagem: NASA

 

Comente este post

%d blogueiros gostam disto: