Módulo de aterragem da Rosetta desce ao cometa a 12 de Novembro



Landing_site_J_in_Rosetta_s_NavCam_21_September_large

A missão Rosetta da Agência Espacial Europeia irá estacionar o seu módulo Philae à superfície do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, a 12 de Novembro.

O ponto de aterragem da Philae, actualmente conhecido como Sítio J, localiza-se no menor dos dois lóbulos do cometa, com um sítio de reserva no lóbulo maior. Os locais foram seleccionados apenas seis semanas depois de a Rosetta ter chegado ao cometa, a 6 de Agosto, após a sua viagem de 10 anos através do Sistema Solar.

Nestes anos, a missão Rosetta tem vindo a realizar análises científicas sem precedentes do cometa, um remanescente de 4,6 mil milhões de anos de história do Sistema Solar. Os últimos resultados da Rosetta serão apresentados na altura da aterragem, em conferências de imprensa sobre o tema.

O foco principal até agora foi fazer um levantamento das características do 67P/Churyumov-Gerasimenko, a fim de se preparar a primeira tentativa de pousar num cometa.

Sítio J foi escolhido por unanimidade sobre outros quatro locais, porque a maioria dos terrenos numa área de um quilómetro quadrado têm inclinações inferiores a 30º em relação à vertical e porque na zona há relativamente poucos pedregulhos. A área também recebe iluminação diária suficiente para recarregar a Philae e esta poder continuar as suas tarefas científicas na superfície do cometa para lá das 64 horas iniciais de duração da bateria do módulo de descida.

Ao longo das últimas duas semanas, as equipas de dinâmica de voo e operações da ESA têm vindo a fazer uma análise detalhada da trajectória de voo e dos horários da Rosetta para descer o lander com a maior brevidade possível.

Foram identificados dois cenários de descida robustos, um para o sítio principal e um para o local de reserva. Ambos antecipam a separação e pouso para 12 de Novembro.

Para o cenário principal, no Sítio J, a Rosetta vai lançar a Philae às 08:35 GMT/09: 35 CET, a uma distância de 22,5 quilómetros do centro do cometa, aterrando cerca de sete horas mais tarde. O tempo de viagem do sinal entre a Rosetta e a Terra a 12 de Novembro é de 28 minutos e 20 segundos, o que significa que a confirmação de pouso chegará às estações terrestres por volta das 16:00 GMT/17:00 CET.

Se for tomada a decisão de usar o Sítio C, de reserva, a separação irá ocorrer às 13:04 GMT/14:04 CET, a 12,5 quilómetros do centro do cometa. A aterragem ocorrerá cerca de quatro horas depois, com a confirmação na Terra por volta das 17:30 GMT/18:30 CET. Os horários estão sujeitos a incertezas de vários minutos.

A confirmação final do local de pouso principal e do seu cenário de aterragem será feito no dia 14 de Outubro, depois de uma revisão formal do estado das operações do módulo de descida, que irá incluir os resultados adicionais das análises de alta resolução dos locais de pouso realizados no mesmo período. Se o sítio de reserva for escolhido nesta fase, a aterragem ainda pode ocorrer a 12 de Novembro.

O concurso para o público escolher um nome para o local de pouso principal também será anunciado durante a semana de 14 de Outubro.

A sonda Rosetta vai continuar a estudar o cometa e o seu ambiente usando os seus 11 instrumentos científicos, à medida que orbitam o Sol juntos. O cometa está numa órbita elíptica de 6,5 anos que o leva para lá de Júpiter, no seu ponto mais distante, até às órbitas de Marte e da Terra no seu mais próximo ao Sol. A Rosetta acompanhará o cometa durante mais de um ano, enquanto ambos giram em torno do Sol e voltam ao Sistema Solar exterior novamente.

As análises feitas pela sonda Rosetta serão complementadas pelas medições no terreno, realizadas por 10 instrumentos da Philae.

Notícia e imagem: ESA

Deixe um comentário