Missão GOCE prestes a chegar ao fim



New_GOCE_geoid_node_full_image

Depois de mais de quatro anos a mapear a gravidade terrestres, com uma precisão única, a missão GOCE está a chegar ao fim e o satélite irá reentrar em breve na nossa atmosfera. 

O Explorador de Gravidade e da Circulação Oceânica – GOCE – tem estado em órbita da Terra desde Março de 2009, na mais baixa altitude de qualquer satélite de investigação.  

Apelidado de o ‘Ferrari do espaço’, graças ao seu design fino e aerodinâmico, o GOCE mapeou as variações na Gravidade terrestre com um detalhe extremo. 

O resultado  é um modelo único do geoide, que é essencialmente uma superfície virtual em que a água não escoa de um ponto para o outro.

Em meados de Outubro, a missão chegará ao seu fim, quando ficar sem combustível e o satélite começar a sua descida em direcção à Terra, a partir de uma altitude de   224 km.

Enquanto a maior parte do GOCE se desintegrará na atmosfera, várias partes poderão atingir a superfície da Terra.

Não é possível prever onde e quando, mas a área afectada ficará restrita à altura da reentrada. Espera-se que esta aconteça três semanas depois de ter acabado o combustível.

Tendo em conta que dois terços da Terra estão cobertos por oceanos e uma área muito vasta está despovoada, o risco para a vida e para os bens materiais é muito baixo.

Todos os anos atingem o solo cerca de 40 toneladas de lixo espacial, mas o seu tamanho e dispersão implicam que o risco individual de ser atingido por um destes pedaços é inferior ao de ser atingido por um meteorito.   

A descida está a ser monitorizada a nível internacional, com o envolvimento do Comité Coordenador Inter-Agências para o Lixo Espacial. A situação está a ser monitorizada continuamente pelo Gabinete de Lixo Espacial da ESA, que irá emitir previsões de reentrada e análise de risco.

A ESA irá manter os seus Estados Membros e as autoridades de segurança em permanente actualização.

Notícia e imagem: ESA

Deixe um comentário