Marte em Lanzarote



mars_in-1

Matthias Maurer da ESA, juntamente com os astronautas da ESA, Luca Parmitano e Pedro Duque, numa viagem de campo para o curso de geologia planetária Pangea.

Em viagens de campo na paisagem marciana de Lanzarote, uma das Ilhas Canárias espanholas, os alunos foram encarregados de interpretar as características geológicas para compreender a história de como a ilha se formou. O objectivo é ajudar os astronautas a escolher os melhores lugares para explorar e colectar amostras de rochas.

Esta sessão pôs em prática uma semana de formação em Bressanone, Itália, em Setembro passado, onde aprenderam sobre a Terra e os processos geológicos planetários, bem como a forma de reconhecer pedras e meteoritos.

O trio prosseguiu gradualmente em viagens diárias mais difícieis, terminando com uma exploração livre de campo à procura de amostras interessantes, mantendo-se em contato via rádio com os cientistas do “controlo de missão”.

Lanzarote foi escolhida para este curso por causa da sua similaridade geológica com Marte, como uma origem vulcânica, processos sedimentares suaves devido a um clima seco, quase sem vegetação e uma paisagem bem preservada.

O curso ocorreu em colaboração com o Geopark de Lanzarote, uma área protegida com deserto primitivo.

Mais sobre Pangaea

Notícia e imagem: ESA

Deixe um comentário