Lançamentos orbitais para Dezembro de 2018

O mês de Novembro de 2018 termina com um total de 13 lançamentos orbitais, tendo sido colocados em órbita 59 satélites.

Até 30 de Novembro, foram realizados 426 lançamentos orbitais neste mês, o que corresponde a uma média de 7,1 lançamentos e a 8,0% do total de lançamentos bem sucedidos realizados desde 4 de Outubro de 1957 (o mês de Janeiro é o mês com menos lançamentos orbitais – correspondendo a 6,1% dos lançamentos e a uma média de 5,3 lançamentos por mês de Janeiro desde 1957 – e o mês de Dezembro é o mês com mais lançamentos orbitais, correspondendo a 10,4% dos lançamentos e a uma média de 9,2 lançamentos por mês de Dezembro desde 1957).


O número de lançamentos orbitais bem sucedidos levados a cabo em 2018 (97) corresponde a 1,82% do total de lançamentos orbitais realizados desde 4 de Outubro de 1957. De facto, temos de recuar até Novembro de 1973 para encontrar um mês de Novembro mais activo (14 lançamentos orbitais bem sucedidos) do que o mês de Novembro de 2018, que é o segundo mês de Novembro mais activo de sempre no que diz respeito a lançamentos orbitais. O ano de 2018 é o ano com mais lançamentos orbitais dos últimos 16 anos e temos de recuar até 1990 para encontrar um ano mais activo (116 lançamentos) do que o presente ano!

O ano de 2018 perfila-se nesta altura para bater o recorde anual de lançamentos que está estabelecido em 129 ano ano de 1984. Para 2018 estão previstos nesta altura 137 lançamentos orbitais!

Este será um mês de lançamentos orbitais deveras interessante. Para Dezembro de 2018 estão previstos 16 lançamentos orbitais, originando da SpaceX, Rússia, Arianespace, China, Estados Unidos (ULA), Rocket Lab, e Índia.

Adiado de Novembro devido a problemas técnicos, a SpaceX irá levar a cabo o lançamento de cerca de 70 satélites a 2 de Dezembro, pelas 1832UTC. O lançamento do Falcon-9 (B1048.3) terá lugar a partir do Complexo de Lançamento SLC-4E da Base Aérea de Vandenberg. A bordo estarão os satélites ORS-7A (Polar Scout 1), ORS-7B (Polar Scout 2), MinXSS-2, Audacy-0, Eu:CROPIS, BlackSky Global 2, STPSat-5, NEXTSat-1, Hawk-A, Hawk-B, Hawk-C, Fox-1C (Fox-1Cliff), KNACKSAT, Elysium-Star 2, JY1-Sat, KazistiSat (KazSTSAT), KazSaySat-1 (KazSciSat-1), ROSE-1 (RFT Orbital Satellite Experiment), ICEYE-X2, CSIM-FD, Hiber-2, Orbital Reflector (ORS-1), PW-Sat 2, Hamilton-1, MOVE-2, Centauri-2, Eaglet-1, SpaceBEE-9, SpaceBEE-10, SpaceBEE-11, Flock-3s (1), Flock-3s (2), Flock-3s (3), SkySat-14, SkySat-15, AISTECHSAT-2, Astrocast-0.1, BeeSat-5, BeeSat-6, BeeSat-7, BeeSat-8, BlackHawk, BRIO, Capella-1, ESEO, eXCITe, ExseedSat-1, FalconSat-6, ICE-Cap, Irvive-02, ITASAT-1, K2SAT, Landmapper-BC 4 (Corvus-BC 4), RAAF-M1, RANGE-A, RANGE-B, SeaHawk-1, SeeMe, SIRION Pathfinder 2, SNUGLITE, SNUSAT-2, Suomi-100, THEA, VESTA, VisionCube, WeissSat-1 e o ENOCH.

Já recuperada do desaire do lançamento da Soyuz MS-10, a Corporação Espacial Roscosmos irá lançar uma nova tripulação para a estação espacial internacional. O lançamento do veículo  11F732A48 n.º 741, que receberá a designação Soyuz MS-11, está previsto para ter lugar às 1131UTC do dia 3 de Dezembro de 2018 e será levado a cabo pelo foguetão 11A511U-FG Soyuz-FG (N15000-069) a partir da Plataforma de Lançamento PU-5 do Complexo de Lançamento LC1 ‘Gagarinskiy Start’ do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão.

A tripulação principal da Soyuz MS-11 é composta pelo cosmonauta Russo, Oleg Dmitriyevich Kononenko (Comandante da Soyuz MS-11 e que fará o seu quarto voo espacial orbital), pelo astronauta Canadiano, Dadiv Saint-Jacques (Engenheiro de Voo n.º e que fará o seu primeiro voo espacial orbital) e pela astronauta Norte-america, Anne Charlotte McClain (Engenheira de Voo n.º 2 e que fará o seu primeiro voo espacial orbital). Por seu lado, a tripulação suplente é composta pelo cosmonauta Russo, Alexander Alexandrovich Skvortsov (Comandante), pelo astronauta Italiano, Luca Salvo Parmitano (Engenheiro de Voo n.º 1) e pelo astronauta Norte-americano, Andrew Richard Morgan (Engenheiro de Voo n.º 2).

Oleg Kononenko, Dadiv Saint-Jacques e Anne McClain irão fazer parte da Expedição 57 da qual já fazem parte Alexander Gerst (Alemanha, Comandante),  Sergei Valerievich Prokopyev (Rússia, Engenheiro de Voo n.º 2) e Serena Maria Auñón-Chancellor (EUA, Engenheira de Voo n.º 3). Mais tarde, Oleg Kononenko irá assumir o comando da Expedição 58 da qual farão parte (para além de Dadiv Saint-Jacques e Anne McClain) Oleg Ivanovich Skripochka (Rússia, Engenheiro de Voo n.º 4), Christina Marie Hammock-Koch (EUA, Engenheira de Voo n.º 5) e Tyler Nicklaus Hague (EUA, Engenheiro de Voo n.º 6) – que serão lançados a bordo da Soyuz MS-12 a 5 de Abril de 2019. Gerst, Prokopyev e Auñón-Chancellor regressarão à Terra a 20 de Dezembro de 2018.

A SpaceX irá lançar uma nova missão logística para a ISS a 4 de Dezembro. O lançamento do foguetão Falcon-9 (B1050.1) transportando o veículo de carga Dragon SpX-16, na missão CRS-16, está previsto para as 1838UTC a partir do Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral AFS. Para além da usual carga para a tripulação permanente da ISS, a missão CRS-16 transporta a bordo os pequenos satélites TechEdSat-8, CATSat e UNITE.

A última missão do foguetão Ariane-5ECA em 2018 terá lugar às 2037:07UTC do dia 4 de Dezembro. A missão VA246 irá colocar em órbita os satélites GSAT-11 e GEO-KOMPSAT-2A (GK2A, Cheollian 2A). O GSAT-11 é um satélite de comunicações geostacionário Indiano desenvolvido pela ISRO e que tem por base a plataforma I-6K, tendo uma massa de 5.725 kg. O satélite está equipado com 32 transponders Ka x Ku, e 8 transponders Ku x Ka. Por seu lado, o GEO-KOMPSAT-2A é um satélite meteorológico geostacionário desenvolvido pela agência espacial Sul-coreana KARI. O satélite irá operar por 10 anos e tem uma massa de 3.420 kg.

Os satélites Sauditas SaudiSAT-5A e SaudiSAT-5B deverão ser colocados em órbita a 7 de Dezembro. O lançamento deverá ser levado a cabo pelo foguetão CZ-2D Chang Zheng-2D/YZ-3 a partir da Plataforma de Lançamento 94 do Complexo de Lançamento LC43 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan. Os dois satélites de detecção remota (e com possível aplicação militar) deverão ser acompanhados por outros pequenos satélites ainda não identificados.

Adiado de Novembro devido a razões não especificadas, o satélite espião KH-11 (17) será lançado pela United Launch Alliance a 7 de Dezembro pelo foguetão Delta IV-Heavy (D381) a partir do Complexo de Lançamento SLC-6 da Base Aérea de Vandenberg. Os satélites KH-11 são desenvolvidos pela Lockheed Martin. O lançamento está previsto para as 0419UTC.

A China irá lançar uma nova sonda não tripulada para o nosso satélite natural pelas 1730UTC do dia 7 de Dezembro. O lançamento será levado a cabo por um foguetão CZ-3B Chang Zheng-3B/G3Z a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang. A Chang’e-4 será a primeira sonda a alunar no lado oculto da Lua, nomeadamente na cratera Von Karman, onde irá colocar um rover na superfície lunar.

Uma nova missão comercial da Rocket Lab está prevista para ter lugar a 10 de Dezembro. Esta será a primeira missão Venture Class Launch Services para a agência espacial Norte-americana NASA. A missão VCLS-1 será lançada pelo foguetão Electron/Curie (F4) a partir do Complexo de Lançamento LC-1 do Centro de Lançamento Máhia. Os satélites a bordo são o ALBus, CeREs, CHOMPTT, Da Vinci, ISX, NMTSat, RSat-P, Shields-1, STF-1, CubeSail-1, CubeSail-2, GeoStare, TOMSat Eagle Scout, TOMSat R3 (AeroCube 11) e SHFT-1.

O satélite de detecção remota Chinês, ZY-2D Ziyuan-2D, deverá ser lançado a 15 de Dezembro a partir do Complexo de Lançamento LC9 do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão CZ-4B Chang Zheng-4B (Y39) e a bordo deverão estar também os satélites BNU-1 ‘Beijing Normal University-1’ e Tianyi MV-1.

A última missão orbital da Arianespace em 2018 deverá ter lugar a 18 de Dezembro. A missão VS-20 será levada a cabo por um foguetão 372RN21A Soyuz ST-A/Fregat-M a partir do Complexo de Lançamento ELS do CSG Kourou (Sinnamary) e a bordo estará o satélite CSO-1 (Composante Spatiale Optique-1). O CSO-1 foi desenvolvido pela Airbus Defence and Space (plataforma) e pela Thales Alenia Space (carga), sendo baseado na plataforma AstroSat-1000. Este é um satélite de reconhecimento electro-óptico de alta-resolução que será operado pelos serviços de informação Franceses, DGA. No lançamento tem uma massa de cerca de 3.500 kg.

O primeiro satélite de navegação da terceira geração Navstar-3 GPS-3 será lançado a 18 de Dezembro, pelas 0015UTC. O satélite GPS-III SV01, designado ‘Vespucci’, será colocado em órbita pelo foguetão Falcon-9 (B1054.1) a partir do Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral AFS. Os novos satélites são desenvolvidos pela Lockheed Martin e são baseados na plataforma A2100A e têm uma massa de 3.680 kg. Os satélites estão equipados com um sistema de propulsão LEROS-1C para as manobras orbitais.

A última missão orbital da Índia em 2018 terá lugar a 19 de Dezembro com o foguetão GSLV-F11 a ser lançado desde a Plataforma de Lançamento SLP do Satish Dawan SHAR, Ilha de Sriharikota, transportando o satélite de comunicações GSat-7A. Desenvolvido pelo ISRO, o GSat-7A (também designado Insat-4F ou Rukmini) é baseado na plataforma I-2K e tem uma massa de 2.650 kg, tendo uma vida operacional de 9 anos. A bordo transporta uma carga de comunicações composta por transponders UHF, banda S, banda C e banda Ku.

O satélite de comunicações militar Blagovest n.º 13L será lançado às 2212UTC do dia 25 de Dezembro a partir da Plataforma de Lançamento PU-39 do Complexo de Lançamento LC200 do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão. O lançamento será levado a cabo por um foguetão 8K82KM Proton-M/Briz-M.

Às 0207UTC do dia 27 de Dezembro, a Rússia irá levar a cabo o seu último lançamento orbital de 2018 com o objectivo de colocar em órbita dois satélites de detecção remota Kanopus-Vulcan (Kanopus-V). O lançamento será levado a cabo a partir do Complexo de Lançamento LC-1S do Cosmódromo de Vostochniy por um foguetão 14A14-1A Soyuz-2.1a/Fregat-M. A bordo estarão os satélites Kanopus-V n.º 5 e Kanopus-V n.º 6, além dos satélites Flock-w (1) a Flock-w (12), SAMSON-1, SAMSON-2 e SAMSON-3. É possível que a bordo também se encontre um pequeno satélite Iraniano.

Um novo lançamento orbital da China poderá ter lugar a 29 de Dezembro, com um foguetão CZ-4C Chang Zheng-4C a ser lançado a partir da Plataforma de Lançamento 94 do Complexo de Lançamento LC43 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan. Não foi identificada a carga a bordo.

Nesta altura prevê-se que o último lançamento orbital tenha lugar às 1638UTC do dia 30, com o foguetão Falcon-9 (B1049.2) a ser lançado do Complexo de Lançamento SLC-4E da Base Aérea de Vandenberg, Califórnia, para colocar em órbita dez novos satélites Iridum-NEXT.

Para além dos lançamento referidos, a China poderá ainda levar a cabo um número indeterminado de lançamentos. É sabido que em Jiuquan existem muitos satélites que aguardam a sua vez para serem colocados em órbita. A maior parte destes satélites são de dimensões e massas reduzidas, o que faz supor que muitos deles irão partilhar missões com cargas principais de maiores dimensões.

O satélite de detecção remota GF-7 Gaofen-7 deverá ser lançado por um CZ-2D Chang Zheng-2D desde Jiuquan. O GF-7 deverá ser acompanhado pelo pequeno Ladybird-1. Outros satélites que poderão ser lançados são os satélites Argentinos ÑuSat-6, ÑuSat-7 e ÑuSat-8.

O Hongyan-1, o primeiro satélite de uma constelação de satélites de comunicações de banda large em órbita terrestre baixa, também deverá ser lançado desde Jiuquan por um foguetão CZ-2D Chang Zheng-2D.

No princípio do ano era anunciado que vários satélites Jilin-1 seriam colocados em órbita por foguetões KZ-1A Kuaizhou-1A de forma sucessiva, no que foi interpretado na altura como uma «salva» de lançamentos consecutivos. Até ao momento, tal não aconteceu.

Vários satélites que compõe o Zhuhai-1 Grupo-3 (OVS-2, OHS-2) poderão ser colocados em órbita por um foguetão de propulsão sólida CZ-11 Chang Zheng-11. A bordo deverão seguir os satélites TY-1(03), TY-1(04) e TY-1(07).

Um foguetão CZ-11 também será utilizado para colocar em órbita os satélites Lingque-1 e Lingque-2, enquanto que os satélites Xingyun-1 (01) e Xingyun-1 (02) deverão ser lançados por um foguetão KZ-11 Kuaizhou-11.

É ainda possível que o foguetão privado OS-M1 venha a fazer o seu voo inaugural.

Imagens: Arquivo pessoal do autor e Sítio Gunter’s Space Page.

 

Comente este post

%d blogueiros gostam disto: