Lançamentos orbitais em Setembro de 2016



tiangong-2-9

O mês de Agosto de 2016 terminou com um total de 7 lançamentos orbitais, um dos quais mal sucedido, tendo-se colocado em órbita 10 satélites.

Até 31 de Junho de 2016, foram realizados 454 lançamentos orbitais bem sucedidos neste mês, o que corresponde a uma média de 7,8 lançamentos e a 8,7% do total de lançamentos bem sucedidos realizados desde 4 de Outubro de 1957 (o mês de Janeiro é o mês com menos lançamentos orbitais com 306 lançamento que corresponde a uma média de 5,3 lançamentos e a 5,9% dos lançamentos realizados) e o mês de Dezembro é o mês com mais lançamentos orbitais (530 lançamentos que corresponde a uma média de 9,1 lançamentos e a 10,2% do total de lançamentos realizados).

08-2016-1

08-2016-2

O número de lançamentos orbitais bem sucedidos levados a cabo este ano (53) corresponde a 1,02% do total de lançamentos orbitais realizados desde 4 de Outubro de 1957.

Para Setembro de 2016 estão previstos 8 lançamentos orbitais.

O primeiro lançamento do mês de Setembro deveria ter ocorrido no dia 3 pelas 07:00:00UTC com o foguetão Falcon-9 (029) a colocar em órbita o satélite Israelita AMOS-6. Porém, uma explosão registada a 1 de Setembro durante um teste estático destruiu por completo o foguetão lançador bem como a sua carga, além de inutilizar a plataforma de lançamento durante vários meses.

A agência espacial Indiana, ISRO (Indian Space Research Organization) levou a cabo com sucesso o lançamento do satélite meteorológico INSAT-3DR utilizando o foguetão GSLV-F05. O lançamento teve lugar às 11:20:00UTC do dia 8 de Setembro de 2016 e teve lugar a partir da Plataforma de Lançamento SLP do Centro Espacial Satish Dawan SHAR, localizado na Ilha de Sriharokota. O GSLV-D6 é o décimo voo do foguetão Geosynchronous Satellite Launch Vehicle, sendo também o quarto voo e a quarta utilização do estágio criogénico superior CUS (Cryogenic Upper Stage) desenvolvido pela Índia.

A United Launch Alliance (ULA) levou a cabo com sucesso o lançamento da sonda OSIRIS-Rex da NASA às 23:05:00,2UTC do dia 8 de Setembro de 2016. O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão Atlas-V/411 (AV-067) a partir do Complexo de Lançamento SLC-41 do Cabo Canaveral AFS. A OSIRIS-REx irá explorar o asteróide (101955) Bennu durante um ano antes de proceder à obtenção das amostras da sua superfície. A missão junto do Bennu tem uma duração de dois anos e tem como objectivo estudar o contexto geológico do asteróide que é essencial para a nossa compreensão destes corpos cósmicos. As amostras serão trazidas de volta para a Terra em 2023.

A nova estação espacial Chinesa, TG-2 Tiangong-2, será colocada em órbita a 15 de Setembro. A China prepara-se para dar um novo salto no seu programa espacial tripulado com o lançamento da estação espacial Tiangong-2 e com o lançamento da missão espacial tripulada SZ-11 Shenzhou-11 nos próximos dois meses. O transporte para a plataforma de lançamento teve lugar a 9 de Setembro. O calendário de preparação para o lançamento não será afectado pela recente perda do satélite de detecção remota GF-10 Gaofen-10 no dia 31 de Agosto devido a um problema com o terceiro estágio do foguetão lançador CZ-4C Chang Zheng-4C depois do lançamento a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan. A Tiangong-2 irá receber a visita da tripulação da SZ-11 Shenzhou-11 cujo lançamento está previsto para Outubro de 2016. Esta tripulação será composta por dois elementos ainda por identificar e irá permanecer na TG-2 durante mais de 30 dias. 

O foguetão Europeu de propulsão sólida Vega irá realizar uma nova missão a 16 de Setembro, com o seu lançamento previsto para as 01:16:53UTC. A bordo estarão cinco satélites: o PeruSat-1 e os satélites SkySat-C2, SkySat-C3, SkySat-C4 e SkySat-C5. O PeruSat-1 é um satélite de observação da Terra em alta-resolução para as Forças Armadas Peruanas. Os satélites SkySat-C2, SkySat-C3, SkySat-C4 e SkySat-C5, são satélites comerciais da Skybox Imaging que irão obter images pancromáticas e multiespectrais da superfície terrestre.

No dia 16 de Setembro, pelas 18:26:00UTC, o foguetão Atlas-V/401 (AV-062) será lançado desde o Complexo de Lançamento SLC-3E da Base Aérea de Vandenberg, Califórnia, transportando o satélite WorldView-4. Este é um satélite comercial de observação da Terra em alta-resolução que será operado pela DigitalGlobe. O WorldView-4 irá fornecer imagens pancromáticas com uma resolução de 31 cm e imagens multiespectrais com uma resolução de 1,24 m. Juntamente com o WorldView-4 deverão ser lançados sete CubeSats não identificados.

O lançamento da Soyuz MS-02, com três novos elementos para a trioulação permanente da estação espacial internacional (Expedição 49/50) está previsto para ter lugar às 18:17UTC do dia 23 de Setembro e será levado a cabo pelo foguetão 11A511U-FG Soyuz-FG (R15000-059) a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 (17P32-6) do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão. A Soyuz MS-02 será tripulada pelos cosmonautas Sergei Nikolaevich Ryzhikov e Andrei Ivanovich Borisenko e pelo astronauta Robert Shane Kimbrough. A tripulação suplente é composta pelos cosmonautas Alexander Alexandrovich Misurkin e Nikolai Vladimirovich Tikhonov e pelo astronauta Mark Thomas Vande Hei.

A Índia irá colocar em órbita o satélite SCATSat-1 a 26 de Setembro. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão PSLV-C35 a partir da FLP do Centro Espacial Satish Dawan SHAR, Ilha de Sriharikota. Juntamente com o SCATSat-1 serão lançados os satélites BlackSky Pathfinder-1, PiSat-1, Alsat-2B, Pratham e Alsat-1N.

O SCATSat-1 é uma missão de continuação para o difusómetro do satélite Oceansat-2 para fornecer a continuidade dos dados necessários para a previsão meteorológica, criação de produtos de previsão de vectores dos ventos, detecção de ciclones e rastreamento de serviços para os seus utilizadores.

O BlackSky Pathfinder-1 é um micro-satélite de observação da Terra com a capacidade de obter imagens com 1 metro de resolução. No futuro, uma constelação destes satélites será operada pela BlackSky Global.

O satélite PiSat-1 (PESIT Imaging Satellite) é um satélite Indiano de observação da Terra construído pelo Crucible of Research and Innovation Laboratory of PESIT (Instituto de Tecnologia PES), de Bangalore. É um nano-satélite destinado a demonstração tecnológica e para a obtenção de imagens da Terra.

O AlSat-2B tem como missão obter imagens da superfície terrestre e será operado pela Algerian Centre National des Techniques Spatiales (CNTS) da Agence Spatiale Algérienne (ASAL).

O satélite Pratham é um nano-satélite desenvolvido por estudantes num período de três anos. O satélite será destinado a demonstração tecnológica e para a obtenção de imagens da Terra.

O AlSat-1N (AlSat-Nano) é um CubeSat-3U desenvolvido pela Agência Espacial Argelina e tem como objectivo realizar demonstrações tecnológicas.

Deixe um comentário