Lançamentos orbitais em Novembro de 2016



cz-5_inaugural-12

O mês de Outubro de 2016 terminou com um total de 4 lançamentos orbitais todos eles bem sucedidos e sendo dois deles tripulados. Foram colocados em órbita 9 satélites.

Até 31 de Outubro de 2016, foram realizados 485 lançamentos orbitais bem sucedidos neste mês, o que corresponde a uma média de 8,4 lançamentos e a 9,3% do total de lançamentos bem sucedidos realizados desde 4 de Outubro de 1957 (o mês de Janeiro é o mês com menos lançamentos orbitais com 306 lançamento que corresponde a uma média de 5,3 lançamentos e a 5,9% dos lançamentos realizados) e o mês de Dezembro é o mês com mais lançamentos orbitais (530 lançamentos que corresponde a uma média de 9,1 lançamentos e a 10,1% do total de lançamentos realizados).

10-2016-30

10-2016-31

O número de lançamentos orbitais bem sucedidos levados a cabo este ano (63) corresponde a 1,21% do total de lançamentos orbitais realizados desde 4 de Outubro de 1957.

Para Novembro de 2016 estão previstos 10 lançamentos orbitais.

O primeiro lançamento a ter lugar em Novembro de 2016 deverá ocorrer às 06:20UTC do dia 2 de Novembro com o foguetão H-2A/202 (F-31) a colocar em órbita o satélite meteorológico Himawari-9. O lançamento terá lugar desde a Plataforma de Lançamento LP1 do Complexo de Lançamento Yoshinubo do Centro Espacial de Tanegashima. O Himawari-9 é um satélite meteorológico geostacionário igual ao Himawari-8 colocado em órbita a 7 de Outubro de 2014. O satélite é baseado na plataforma DS-2000 e foi desenvolvido pela Mitsubishi Electric e pela Boeing. No lançamento tem uma massa de cerca de 3.500 kg.

O lançamento inaugural do super-foguetão CZ-5 Chang Zheng-5 terá lugar a 3 de Novembro. Nesta primeira missão o foguetão CZ-5 estará equipado com um estágio superior YZ-2. O lançamento terá lugar a partir da Plataforma de Lançamento LC101 do Centro de Lançamentos de Espaciais de Wenchang. A bordo do CZ-5/YZ-2 estará o satélite SJ-17 Shijian-17 que irá testar um sistema de propulsão iónica que no futuro será empregue noutros satélites para a realização de manobras orbitais. É possível que outros pequenos satélites acompanhem o SJ-17 até à órbita terrestre.

Após vários adiamentos desde Setembro, o foguetão Atlas-V/401 (AV-062) será lançado desde o Complexo de Lançamento SLC-3E da Base Aérea de Vandenberg, Califórnia, transportando o satélite WorldView-4. O lançamento está previsto para as 18:30:00UTC do dia 6 de Novembro. O WorldView-4 é um satélite comercial de observação da Terra em alta-resolução que será operado pela DigitalGlobe. Irá fornecer imagens pancromáticas com uma resolução de 31 cm e imagens multiespectrais com uma resolução de 1,24 m. Juntamente com o WorldView-4 serão ser lançados sete CubeSats: RAVAM, U2U, Aerocube-8C (IMPACT-C), Aerocube-8D (IMPACT-D), Prometheus-2.1, Prometheus-2.2 e CELTEE.

O satélite meteorológico GOES-R será colocado em órbita às 21:42:00UTC do dia 16 de Novembro pelo foguetão Atlas-V/541 na missão AV-069. O lançamento será levado a cabo a partir do Complexo de Lançamento SLC-41 do Cabo Canaveral AFS. O Geostationary Operational Environmental Satellite-R, é baseado na plataforma A2100A e foi construído pela Lockheed Martin. 

A 17 de Novembro, pelas 13:06:48UTC, o foguetão Ariane-5ES (L594) será lançado na missão VA233 transportando a bordo quatro satélites de navegação para a rede Galileo. O lançamento terá lugar a partir do Complexo de Lançamento ELA3 do CSG Kourou, Guiana Francesa. O foguetão Ariane-ES foi anteriormente utilizado para colocar em órbita o veículo de carga Europeu ATV. A performance a ser utilizada nesta nova missão, é significativamente mais baixa do que a que era utilizada nas missões logísticas para a estação espacial internacional, atingindo uma massa de 740 kg cada satélite mais 447 kg para o dispensador de carga no qual os quatro satélites estão montados no interior da carenagem de protecção, atingindo um total de 3.407 kg. Porém, o foguetão Ariane-5ES irá transportar a sua carga para uma órbita muito mais elevada a uma altitude de cerca de 23.200 km. Os satélites que serão colocados em órbita são o Galileo-FOC FM07 (Antonianna), Galileo-FOC FM13 (Kimberley), Galileo-FOC FM14 (Tijmen) e o Galileo-FOC FM12 (Lisa).

Após um adiamento devido a problemas técnicos com a cápsula espacial Soyuz MS-02, o lançamento da nova missão espacial tripulada para a ISS deverá ter lugar às 20:20UTC do dia 17 de Novembro. Os três novos elementos farão parte da tripulação permanente da estação espacial internacional (Expedição 50/51). O lançamento será levado a cabo pelo foguetão 11A511U-FG Soyuz-FG (R15000-060) a partir da Plataforma de Lançamento PU-5 do Complexo de Lançamento LC1 (17P32-5) do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão. A Soyuz MS-03 será tripulada pelo cosmonauta Oleg Viktorovich Novitsky (Rússia), pela astronauta Peggy Annette Whitson (EUA) e pelo espaçonauta Thomas Gautier Pesquet (França). A tripulação suplente é composta pelo cosmonauta Fyodor Nikolayevich Yurchikhin (Rússia) e pelos astronautas Jack David Fischer (EUA) e Paolo Angelo Nespoli (Itália).

A Índia irá realizar o seu último lançamento orbital de 2016 no dia 28 de Novembro. O foguetão PSLV-C36 será lançado desde a Plataforma de Lançamento FLP do Centro Espacial Satish Dawan SHAR, Ilha de Sriharikota, para colocar em órbita o satélite de detecção remota ResourceSat-2A. O ResourceSat-2A é baseado na plataforma IRS-1 e tem uma massa de cerca de 1.200 kg no lançamento. Nesta missão será lançados quatro pequenos satélites: o IITMSAT, o Max Valier, o Venta-1 e o Niusat.

Sem datas de lançamento conhecidas para Novembro estão duas missões da China e um possível lançamento militar Russo.

O lançamento do observatório Chinês Hard X-ray Modulation Telescope (HXMT) deverá ter lugar em Novembro. O lançamento será levado a cabo por um foguetão CZ-2D Chang Zheng-2D a partir da Plataforma de Lançamento 603 do Complexo de Lançamento LC43 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan. O HXMT terá como função a observação de buracos negros, estrelas de neutrões e outro fenómenos tendo por base a emissão de raios-x. Este será o primeiro satélite da China dedicado à Astronomia e é baseado na plataforma de reconhecimento JB-3 Jianbing-3.

Também a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan será levada a cabo a segunda missão do foguetão de propulsão sólida CZ-11 Chang Zheng-11. A bordo estarão os satélites XPNAV-1 e Xiaoxiang-1, e possivelmente o satélite LJ-1 Luojia-1 e três pequenos satélites Lishui-1. O XPNAV-1 irá utilizar as emissões provenientes de pulsares para conseguir determinar a sua posição em órbita, deixando assim de depender dos sinais emitidos pelos usuais sistemas de navegação. Utilizando as emissões regulares dos pulsares, o XPNAV-1 irá tentar determinar ou triangular a sua posição em relação ao Sol. O satélite foi desenvolvido pela Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST). O satélite Xioanxiang-1 é um CubeSat-6U que está equipado com um sistema de estabilização para proporcionar uma grande precisão na orientação de um sistema de observação.

Finalmente, o mês de Novembro poderá ainda assistir ao lançamento do satélite 14F150 n.º 2 utilizando um foguetão 14A15 Soyuz-2.1V/Volga a partir do Complexo de Lançamento LC43/4 do Cosmódromo GIK-1 Plesetsk. O 14F150 é um satélite geodésico desenvolvido pela NPO Lavochkin e possivelmente pela TsSKB Progress.

Deixe um comentário