Lançamentos orbitais em Julho de 2018

O mês de Junho de 2018 termina com um total de 8 lançamentos orbitais, tendo sido colocados em órbita 16 satélites.

Até 30 de Junho, foram realizados 496 lançamentos orbitais neste mês, o que corresponde a uma média de 8,3 lançamentos e a 9,3% do total de lançamentos bem sucedidos realizados desde 4 de Outubro de 1957 (o mês de Janeiro é o mês com menos lançamentos orbitais – correspondendo a 6,1% dos lançamentos e a uma média de 5,3 lançamentos por mês de Janeiro desde 1957 – e o mês de Dezembro é o mês com mais lançamentos orbitais, correspondendo a 10,4% dos lançamentos e a uma média de 9,2 lançamentos por mês de Dezembro desde 1957).

O número de lançamentos orbitais bem sucedidos levados a cabo em 2018 (55) corresponde a 1,03% do total de lançamentos orbitais realizados desde 4 de Outubro de 1957.

O ano de 2018 perfila-se nesta altura para bater o recorde anual de lançamentos que está estabelecido em 129 ano ano de 1984. Para 2018 estão previstos nesta altura 167 lançamentos orbitais!

Para Julho de 2018 estão previstos 7 lançamentos orbitais, originando da China, SpaceX, Rússia, Arianespace.

O primeiro lançamento orbital de Julho de 2018 deverá ter lugar no dia 3. O lançamento deverá ter lugar a partir do Complexo de Lançamento LC43/94 do Centro de Lançamento de satélites de Jiuquan e deverá ser levado a cabo por um foguetão CZ-2C Chang Zheng-2C pelas 0350UTC. Não se conhece a natureza da carga a ser colocada em órbita. No entanto, a bordo poderão estar dois satélites de detecção remota para o Paquistão.

A Rússia vai lançar uma nova missão logística para a estação espacial internacional a 9 de Julho. O lançamento da Progress MS-09 está previsto para as 2151:33UTC e será levado a cabo por um foguetão 14A14-1A Soyuz-2.1a a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 (17P32-6) do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão. A acoplagem com a ISS terá lugar cerca de três horas mais tarde. O lançamento poderá ser seguido em directo aqui.

Um novo satélite de navegação para a rede Compass deverá ser lançado pela China a 19 de Julho. O lançamento do Beidou-2I7 será levado a cabo por um foguetão CZ-3A Chang Zheng-3A a partir do Complexo de Lançamento LC2 do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang.

A SpaceX irá leva a cabo o lançamento de dez novos satélites Iridium-NEXT a 20 de Julho. O lançamento está previsto para as 1212UTC a partir do Complexo de Lançamento SLC-4E da base Aérea de Vandenberg, Califórnia, e será levado por um foguetão Falcon-9. Os satélites a colocar em órbita são o Iridium-NEXT (154, 155, 156, 158, 159, 160, 163, 164, 166 e 167). O lançamento poderá ser seguido em directo aqui.

Dois satélites de detecção remota para o Paquistão deverão ser colocados em órbita pela China a 21 de Julho. O lançamento dos satélites Pakistan Remote Sensing Satellite (PRSS-1) e PakTES-1A será levado a cabo por um foguetão CZ-2C Chang Zheng-2C/SMA a partir do Complexo de Lançamento LC43/94 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan.

Quatro novos satélites de navegação para a rede Galileo deverão ser colocados em órbita a 25 de Julho na missão VA244 da Arianespace. O lançamento dos satélites Galileo 23 (Galileo-FOC FM19, Tara), Galileo 24 (Galileo-FOC FM20, Samuel), Galileo 25 (Galileo-FOC FM21, Anna) e Galileo 26 (Galileo-FOC FM22, Ellen) será levado a cabo por um foguetão Ariane-5ES a partir do Complexo de Lançamento ELA3 do CSG Kourou, Guiana Francesa. O lançamento poderá ser seguido em directo aqui.

O mês de Julho poderá assistir ainda a quatro outros lançamentos orbitais provenientes da Rocket Lab, Rússia e Índia.

Adiado de Junho devido a problemas técnicos, a Rocket Lab deverá levar a cabo a sua primeira missão operacional com o lançamento da missão ‘It’s Business Time’ utilizando o foguetão Electron (F3) lançado desde o Complexo de Lançamento LC-1 do Centro de Lançamento de Máhia. A bordo estarão os satélites CICERO, Lemur-2 (78), Lemur-2 (79), IRVINE-01 e NABEO. O lançamento poderá ser seguido em directo aqui.

Os satélites CICERO (Community Initiative for Cellular Earth Remote Observation) são satélites desenvolvidos pela Tyvak Nano-Satellite Systems, Inc. para a realização de ocultação do sinal de GPS e de rádio utilizando a atmosfera terrestre e detecção remota do sinal GNSS por reflexão na superfície terrestre. São operados pela GeoOptics Inc. e têm uma massa de cerca de 10 kg e são baseados no modelo CubeSat-6U. Os satélites Lemur foram desenvolvidos pela Spire e têm como função a observação da superfície da Terra e monitorização do tráfico marítimo. São baseados no modelo CubeSat-4U e têm uma massa de 4 kg. O satélite Irvine-01 foi desenvolvido pela Irvine Public School Foundation. O satélite tem uma massa de 1 kg e é uma missão educacional com o objectivo de proporcionar aos estudantes a experiência na construção, teste e controlo de um nano-satélite. Com uma massa de 1,5 kg, o satélite NABEO é um pequeno demonstrador tecnológico de uma vela de arrasto atmosférico. Foi desenvolvido pela HPS GmbH e é baseado na plataforma CubeSat-1U.

O satélite Bars-M n.º 603 (3L) deverá ser lançado por um foguetão 14A14-1A Soyuz-2.1a a partir do Complexo de Lançamento LC43/4 do Cosmódromo GIK-1 Plesetsk, Arkhangelsk. Os satélites Bars-M são satélites de reconhecimento electro-óptico.

O satélite de comunicações geostacionário GSat-29 deverá ser colocado em órbita em Julho pelo foguetão GSLV Mk-III (D2) a partir da Plataforma de Lançamento SLP do Centro Espacial Satish Dawan SHAR, Ilha de Sriharikota. O GSat-29 é baseado na plataforma I-3K e transporta uma carga de comunicações em banda Ka e Ku, além de comunicações ópticas. O seu tempo de vida operacional será de 15 anos.

Deixe um comentário