Lançamentos orbitais em Fevereiro de 2018

O mês de Janeiro de 2018 termina com um total de 13 lançamentos orbitais, tendo sido colocados em órbita 59 satélites.

O mês de Janeiro de 2018 é um mês completamente atípico quando comparado com outros anos. Temos de recuar até 1978 para encontrar um mês com um número igual de lançamentos orbitais registados neste mês e este número constitui um recorde (tal como em 1978) absoluto para o início de cada ano.


O ano de 2018 perfila-se nesta altura para bater o recorde anual de lançamentos que está estabelecido em 129 ano ano de 1984. Para 2018 estão previstos 177 lançamentos orbitais!

Até 31 de Janeiro, foram realizados 325 lançamentos orbitais neste mês, o que corresponde a uma média de 5,3 lançamentos e a 6,1% do total de lançamentos bem sucedidos realizados desde 4 de Outubro de 1957 (o mês de Janeiro é o mês com menos lançamentos orbitais e o mês de Dezembro é o mês com mais lançamentos orbitais, correspondendo a 10,4% dos lançamentos e a uma média de 9,2 lançamentos por mês de Dezembro desde 1957).

O número de lançamentos orbitais bem sucedidos levados a cabo em 2018 (13) corresponde a 0,24% do total de lançamentos orbitais realizados desde 4 de Outubro de 1957.

Para Fevereiro de 2018 estão previstos 11 lançamentos orbitais, originando da Rússia, China, Japão, Estados Unidos e Índia, com este número a poder chegar aos 14 lançamentos.

O primeiro lançamento de Fevereiro de 2018 teve lugar no dia 1, às 0207:18UTC com o foguetão 14A14-1A Soyuz-2.1A/Fregat-M (N15000-002/122-03) a colocar em órbita os satélites Kanopus-V n.º 3 e Kanopus-V n.º 4 desde o Complexo de Lançamento LC-1S do Cosmódromo de Vostochniy. Juntamente com estes dois satélites foram colocados em órbita os satélites S-Net-1 a S-Net-4, Lemur-2 z1 a Lemur-2 z4, e D-Star ONE v.1.1 Phoenix.

Às 0751:04UTC do dia 2 de Fevereiro, o foguetão CZ-2D Chang Zheng-2D (Y13) colocou em órbita o satélite de detecção sísmica ZH-1 Zhangheng-1 a partir da Plataforma de Lançamento 94 do Complexo de Lançamento 43 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan. Juntamente com o ZH-1 foram colocados em órbita os satélites GomX-4A (Ulloriaq) e GomX-4B, Fengmaniu-1, Shaonian Xing, e o ÑuSat-4 ‘Ada’ (Aleph-1 4) e ÑuSat-5 ‘Maryam’ (Aleph-1 5).

A agência espacial Japonesa, JAXA, vai levar a cabo o lançamento do satélite TRICOM-1R 0503UTC do dia 3 de Fevereiro de 2018 utilizando o foguetão SS-520-5 lançado a partir de uma Rampa de Lançamento instalada na área Kappa do Centro Espacial de Uchinoura.

O TRICOM-1R é um CubeSat-3U experimental com uma massa de 3 kg, que foi desenvolvido pela Universidade de Tóquio.

Adiado de Janeiro, o grande acontecimento espacial de Fevereiro de 2018, e possivelmente um dos grandes acontecimentos espaciais do ano, será a estreia do foguetão Falcon Heavy da SpaceX. O lançamento inaugural está agendado para as 1830UTC do dia 6 de Fevereiro.

O primeiro Falcon Heavy (Falcon Heavy-050) irá lançar o antigo carro Tesla Roadster, de Ellon Musk, em direcção a Marte, ficando posteriormente colocado numa órbita heliocêntrica. Este lançador é composto pelos estágios B1023.2, B1025.2 e B1033, e o lançamento terá lugar a partir do Complexo de Lançamento LC-39A do Centro Espacial Kennedy, Ilha de Merritt.

A primeira missão logística de 2018 para a ISS será levada a cabo pela Corporação Roscosmos a 11 de Fevereiro. O foguetão 14A14-1A Soyuz-2.1A (U15000-030) será lançado às 0858:44UTC a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 (17P32-6) do Cosmódromo de Baikonur transportando o veículo de carga Progress MS-08.

A China planeia o lançamento de dois novos satélites de navegação a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang. Os satélites Beidou-3MEO3 (Beidou-28) e Beidou-3MEO4 (Beidou-29) deverão lançados por um foguetão CZ-3B Chang Zheng-3B/YZ-1 a partir do Complexo de Lançamento LC2, no dia 12 de Fevereiro, pelas 0200UTC.

A SpaceX irá levar a cabo um novo lançamento orbital desde a Base Aérea de Vandenberg a 17 de Fevereiro, pelas 1422UTC. O foguetão Falcon-9-051 irá colocar em órbita o satélite de detecção remota por radar PAZ da Hisdesat. O satélite foi desenvolvido pela EADS CASA Espacio e é baseado na plataforma AstroBus, tendo uma massa de 1.200 kg.

Juntamente com o PAZ serão lançados os satélites Microsat-2a e Microsat-2b com o objectivo de testar tecnologias para a futura constelação Starlink da SpaceX que pretende fornecer Internet de banda larga a nível global através de uma constelação de 4.000 satélites. Ambos os satélites t~em uma massa de 400 kg e deverão estar operacionais durante 1 ano.

Um novo lançamento da SpaceX terá lugar a 22 de Fevereiro a partir do Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral AFS. O foguetão Falcon-9-052 (B1044) irá colocar em órbita o satélite de comunicações Hispasat-30W-6 (1F). Este satélite é baseado na plataforma SSL-1300 e foi desenvolvido pela Space Systems/Loral para a Hispasat. Está equipado com 48 transponders de banda-Ku, 6 transponders de banda-Ka, 1 transponder de banda-Ka-BSS e 1 transponder de banda-C. A sua massa no lançamento será de 6.092 kg e o seu tempo de vida útil deverá ser de 15 anos.

O Japão vai realizar o seu terceiro lançamento orbital de 2018 a 25 de Fevereiro, pelas 0400UTC, ao colocar em órbita o satélite militar de observação óptica IGS Optical-6. O lançamento será levado a cabo por um foguetão H-2A/202 a partir da Plataforma de Lançamento LP1 do Complexo de Lançamento Yoshinubo do Centro Espacial de Tanegashima.

A missão ICON (Ionospheric Connection Explorer), também designada Helio EX-1, será lançada a 28 de Fevereiro pelas 1528:00UTC. O lançamento será levado a cabo por um foguetão Pegasus-XL inicialmente transportado por um avião L-1011 “Stargazer” que irá levantar voo desde Kwajalein. 

O ICON será operado pela Universidade da Califórnia, Berkeley, para a NASA e foi desenvolvido pela Orbital ATK e é baseado na plataforma LEOStar-2. Com uma massa de 272 kg, o satélite terá como função explorar o limite entre a Terra e o espaço, a ionosfera, para ajudar a compreender a ligação entre o planeta e o ambiente espacial em torno da Terra.

Ainda a 28 de Fevereiro, um foguetão 14A15 Soyuz-2.1v deverá ser lançado desde o Complexo de Lançamento LC43/4 do Cosmódromo GIK-1 Plesetsk. A carga a bordo é de natureza militar e é baseada na plataforma EMKA.

O mês de Fevereiro poderá assistir ainda a mais três lançamentos orbitais. Possivelmente, a 20 de Fevereiro deverá ser lançada uma missão desde o Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan transportando vários satélites, entre os quais o CubeSat-2U Taurus-1. Este pequeno satélite foi desenvolvido pelo Instituto de Investigação de Engenharia de Sistemas Aeroespaciais de Xangai para propósitos educacionais e de rádio-amadorismo. 

Sem data definida encontram-se dois lançamentos. A China deverá lançar o satélite LKW-4 Ludikancha Weixing-4 a partir da Plataforma de Lançamento 94 do Complexo de Lançamento 43 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, utilizando um foguetão CZ-2D Chang Zheng-2D. A imprensa Chinese refere-se a estes satélites como sendo veículos de detecção remota que são utilizados para a exploração em alta-resolução dos recursos do solo. Porém, como tem sido o caso com os anteriores lançamento deste tipo, os analistas Ocidentais crêem que este tipo de satélites é utilizado para actividades militares.

A Índia prevê lançar o satélite de comunicações GSat-6A no mês de Fevereiro utilizando o foguetão GSLV (F8). O lançamento terá lugar a partir da Plataforma de Lançamento SLP do Centro Espacial Satish Dawan SHAR, Ilha de Sriharikota. O GSat-6A foi desenvolvido pela ISRO e é baseado na plataforma I-2K, tendo uma massa de 2.117 kg. A bordo transporta 10 transponders de banda-C e de banda-S. O seu tempo de vida útil é de 9 anos e será operado pela Insat.

 

%d blogueiros gostam disto: