Japão lança ERG desde Uchinoura



O Japão levou a cabo o lançamento do satélite ERG (Energization and Radiation in Geospace) às 11:00:00UTC do dia 20 de Dezembro de 2016 utilizando o foguetão Epsilon-2 a partir da Plataforma de Lançamento M do Centro Espacial de Uchinoura, Kagoshima. A separação do ERG teve lugar às 11:14UTC.

Esta é uma missão de exploração geospacial que irá actual durante o período de máxima actividade solar e na subsequente fase de declinação do ciclo solar 24.

Também designado SPRINT-B, o ERG (ジオスペース探査衛星) irá focar de forma especial no mecanismo relativistico de aceleração de electrões no contexto do denominado “cross-energy coupling” através de interacções onda-partícula bem como na dinâmica das tempestades espaciais. O inter-relacionamento entre diferentes populações de plasma / partículas da magnetosfera interior; plasmosfera, corrente anelar / folha de plasma, e cinturas de radiação, é uma chave para compreender a aceleração de partículas energéticas. O emparelhamento entre regiões, tais como magnetosfera – ionosfera via FAC e os potenciais campos eléctricos causam as variações espontâneas nos ambientes de campo.

O ERG transporta vários instrumentos: o Extremely high-energy electron experiments (XEP-e); High-energy electron experiments (HEP-e); Medium-energy particle experiments – electron analyzer (MEP-e); Low-energy particle experiments – electron analyzer (LEP-e); Medium-energy particle experiments – ion mass analyzer (MEP-i); Low-energy particle experiments – ion mass analyzer (LEP-i); Magnetic field experiment (MGF); Plasma Wave Experiment (PWE); e o Software-type wave particle interaction analyzer (S-WPIA).

O satélite deverá operar numa órbita com um perigeu a 300 km de altitude, apogeu a 30.000 km de altitude, 31º de inclinação orbital e período orbital de cerca de 580 minutos. A sua massa é de 350 kg.

O foguetão Epsilon

O foguetão lançador Epsilon é um veículo a propulsão sólida para uma nova era, combinando a alta performance e o baixo custo. Tendo por base o foguetão M-V, um foguetão de vários estágios a combustível sólido com a melhor performance no mundo (descontinuado em 2006), tentou-se atingir uma performance melhorada com o novo foguetão e construir um sistema que permitirá lançamentos frequentes ao largamente reduzir os custos operacionais através do melhoramento dos aspectos da sua eficiência operacional, tais como a montagem e inspecção. Ao longo de cada vez maiores oportunidades de lançamento, a JAXA espera que as actividades de desenvolvimento espacial venham a aumentar. O maior objectivo do Epsilon é o de tornar o espaço mais acessível à medida que o lançamento de foguetões se venha a tornar mais fácil.

Os foguetões lançadores convencionais requerem um período significativo de tempo e esforço para o seu lançamento. Com o foguetão Epsilon, os sistemas de lançamento são melhorados e simplificados por ordem a reduzir o tempo necessário para os preparativos para o lançamento. Isto irá tornar o tempo de preparação para o lançamento do Epsilon o mais curto em todo o mundo.

De forma notável, a inspecção dos dispositivos de bordo será feita de forma autónoma pelo próprio lançador. Este avanço irá permitir que o controlo de lançamento seja feito a partir de qualquer parte do mundo simplesmente conectando um computador portátil à rede, o que significa ter um sistema de controlo de lançamento que é independente dos locais de lançamento. Estes conceitos inovadores serão um modelo para os veículos lançadores do futuro.

O Epsilon partilha muitos componentes não só com o foguetão M-V, mas também alguma da tecnologia que é utilizada no foguetão H-2A. As informações apresentadas a seguir, referem-se ao primeiro Epsilon. O veículo utilizado para orbitar o satélite ERG, apresenta um novo segundo estágio (mais comprido do que na versão original), os estágios superiores utilizam agora tubeiras de escape fixas em vez de tubeiras de escape extensíveis, a configuração interna dos estágios superiores foi melhoradas e todo o veículo teve a sua massa total reduzida.

O primeiro estágio tem um comprimento de 11,7 metros e 2,6 metros de diâmetro, tendo uma massa de 75.000 kg (66.300 kg de propolente sólido). O motor desenvolve 2.271 N em vácuo, tendo um tempo de queima de 116 segundos e um impulso específico de 284 s.

O segundo estágio tem um comprimento de 4,3 metros e 2,2 metros de diâmetro, tendo uma massa de 12.300 kg (10.800 kg de propolente sólido). O motor desenvolve 371,5 N em vácuo, tendo um tempo de queima de 105 segundos e um impulso específico de 300 s.

O terceiro estágio (KM-V2c) tem um comprimento de 2,3 metros e 1,4 metros de diâmetro, tendo uma massa de 3.300 kg (2.500 kg de propolente sólido). O motor desenvolve 99,8 N em vácuo, tendo um tempo de queima de 90 segundos e um impulso específico de 301 s.

O estágio PBS tem um comprimento de 1,2 metros e 1,5 metros de diâmetro, tendo uma massa de menos de 100 kg (100 kg de propolente sólido). O motor desenvolve 0,4 N em vácuo, tendo um tempo de queima de 1.100 segundos e um impulso específico de 215 s.

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5595

– Lançamento orbital com sucesso: 5241

– Lançamento orbital Japão: 105

– Lançamento orbital Japão com sucesso: 96

– Lançamento orbital desde Uchinoura (Kagoshima): 37

– Lançamento orbital desde Uchinoura (Kagoshima) com sucesso: 30

Ao se referir a ‘lançamentos com sucesso’ significa um lançamento no qual algo atingiu a órbita terrestre, o que por si só pode não implicar o sucesso do lançamento ou da missão em causa.

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo em 2016: 20,0% foram realizados pela Rússia; 27,5% pelos Estados Unidos (incluindo ULA – 54,5%, SpaceX – 36,4% e Orbital ATK – 9,1%); 23,8% pela China; 12,5% pela Arianespace; 8,8% pela Índia, 5,0% pelo Japão, 1,3% pela Coreia do Norte e 1,3% por Israel.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC): 

20 Dez (20:30:07) – Ariane-5ECA (VA234) – CSG Kourou, ELA3 – Star One-D1; JCSat-15

22 Dez (19:15:00) – CZ-2D Chang Zheng-2D – Jiuquan, LC43/603 – TanSat

26 Dez (03:30:00) – CZ-2D Chang Zheng-2D – Taiyuan, LC9 – GJ-1 Gaojing-1 (1); GJ-1 Gaojing-1 (2); BY70-1

28 Dez (16:26:00) – 8K82KM Proton-M/Briz-M (93702/99571) – Baikonur, LC81 PU-24 – Echostar-XXI

30 Dez (??:??:??) – CZ-3B Chang Zheng-3B/G2 – Xichang, LC2 – Tongxin Jishu Shiyan Weixing-2

31 Dez (??:??:??) – KZ-1A Kuaizhou-1A – Jiuquan – JL-1 Jilin-1 (3); Xingyun Shiyan-1; Kaidun-1

Deixe um comentário