Janela para o passado aquoso em Marte



Esta cratera de 70 km de largura e os arredores oferecem uma janela para o passado aquoso do Planeta Vermelho.

Erythraeum Chaos em contexto

O local, capturado pela sonda Mars Express da ESA, é a combinação de duas imagens obtidas em Março de 2007 e Fevereiro de 2017.

Concentra-se numa grande cratera na região de Margaritifer Terra, no hemisfério sul de Marte, e inclui uma porção de Erythraeum Chaos, a norte (à direita na imagem principal a cores abaixo).

A região está localizada na margem norte de Noachis Terra, que com cerca de 3,7 a 4 mil milhões de anos, representa alguns dos terrenos mais antigos e com a maior cratera em Marte.

Margaritifer Terra e Erythraeum Chaos

Vestígios de canais no vale por toda a imagem, indicam que, outrora, água fluiu através desta região, moldando as características hoje observadas. Na verdade, como mostra a imagem de contexto, Parana Valles fica a leste, enquanto Loire Valles fica a noroeste.

Há uma série de características distintivas dentro da cratera de 70 km, como o impressionante material de cor mais clara, que é interpretado como substrato rochoso exposto.

Erythraeum Chaos e arredores: topografia

O “terreno caótico” é visível dentro e fora da cratera, marcado por blocos aleatoriamente orientados separados por canais.

Em geral, o terreno caótico está associado ao colapso da superfície acima das regiões em que grandes quantidades de água subsuperficial foram libertadas, por exemplo, pelo súbito derreter do gelo. Como tal, os canais de saída geralmente começam nos terrenos do caos.

O terreno caótico também pode marcar os locais de lagos antigos, como no Erythraeum Chaos ao norte (à direita) da cratera nesta cena, entre Loire e Parana Valles.

Erythraeum Chaos e arredores em 3D
 
Notícia e imagens: ESA
Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90
Tags:  ,

Deixe um comentário