Índia lança missão para Marte



Mangal 01

A Índia levou a cabo o lançamento da sua primeira sonda destinada ao estudo do planeta Marte. A sonda MOM ‘Mangal Yaan’ (MOM – Mars Orbiter Mission) foi lançada às 0908UTC do dia 5 de Novembro de 2013 a partir do Complexo de Lançamento FLP do Centro Espacial Satish Dawan SHAR, localizado na Ilha de Sriharikota. O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão PSLV-C25 (PSLV-XL).

Todas as fases do lançamento decorreram sem problema e a sonda foi colocada numa órbita terrestre com um perigeu a 246,9 km, apogeu a 23.492,5 km e inclinação orbital de 19.2°.

Esta é uma missão de demonstração tecnológica considerando os requisitos operacionais e de propulsão necessários para a missão. A sonda foi projectada para levar a cabo observações das características físicas de Marte e levar a cabo um estudo limitado da sua atmosfera utilizando cinco instrumentos a bordo.

Os objectivos tecnológicos da missão são a projecção e concretização de uma sonda orbital em torno de Marte com uma capacidade de resistir e executar manobras orbitais, sobreviver a uma jornada de 300 dias em direcção a Marte e ser capaz de entrar e operar na órbita de Marte; executar comunicações no espaço profundo, além de navegação, planeamento e gestão da missão; incorporação de características autónomas para lidar com situações de emergência. Por outro lado, os objectivos científicos da MOM são: exploração das características superficiais de Marte, sua morfologia, topografia, mineralogia e atmosfera, utilizando instrumentos fabricados na Índia.

mom-trajectorya

No lançamento a sonda tinha uma massa de 1.337 kg. Os cinco instrumentos a bordo da MOM são o Lyman Alpha Photometer (LAP), o Methane Sensor for Mars (MSM), o Mars Exospheric Neutral Composition Analyser (MENCA), a Mars Color Camera (MCC) e o Thermal Infrared Imaging Spectrometer (TIS).

A missão é composta por três fases: a Fase Geocêntrica, a Fase Heliocêntrica e a Fase Marciana. Após o lançamento a MOMé injectada numa órbita elíptica de parqueamento. Com seis queimas principais por parte do seu sistema de propulsão, a sonda irá gradualmente manobrar para uma órbita hiperbólica com a qual irá escapar da esfera de influência da Terra. Esta esfera termina a uma distância de 918.347 km, para além da qual a principal força de perturbação tem origem no Sol. A MOM irá utilizar a denominada Órbita de Transferência de Hohmann (ou Órbita de Transferência de Energia Mínima) para chegar a Marte com o menor gasto possível de propolentes.

A MOM deixa a Terra numa direcção que é tangencial à órbita terrestre e encontra Marte de forma tangencial à sua órbita. O percurso até ao planeta vermelho é aproximadamente metade de uma elipse em torno do Sol. Eventualmente, a sonda irá intersectar a órbita de Marte no exacto momento no qual Marte se encontra na «mesma posição» da sonda. Esta trajectória é possível quando a posição relativa da Terra, de Marte e do Sol formam um ângulo de cerca de 44º. Tal arranjo orbital ocorre de forma periódica em intervalos de cerca de 780 dias. As oportunidades de trajectórias de energia mínima para o sistema Terra – Marte ocorrem em Novembro de 2013, Janeiro de 2016, Maio de 2018, etc.

A sonda atinge a esfera de influência de Marte a uma distância de 573.473 km numa trajectória hiperbólica. Nesta altura a sonda atinge a sua distância mais próxima de Marte e é capturada na órbita do planeta ao utilizar uma retro-travagem com o seu sistema de propulsão. A sonda deverá chegar à órbita de Marte a 21 de Setembro de 2014.

MOM-exploded_viewa

mom-payloadsa

Estatísticas:

 – Lançamento orbital: 5316

 – Lançamento orbital com sucesso: 4970

 – Lançamento orbital Índia: 40

 – Lançamento orbital Índia com sucesso: 33

 – Lançamento orbital desde Satish Dawan SHAR: 40

 – Lançamento orbital desde Satish Dawan SHAR com sucesso: 33

Para 2013 estão agora previstos 89 lançamentos orbitais. A seguinte tabela mostra os totais de lançamentos executados este ano em relação aos previstos para cada polígono (entre parêntesis estão os lançamentos fracassados se for o caso):

Baikonur – 18 (1) / 23

Plesetsk – 4 / 8

Dombarovskiy – 1 / 2

Cabo Canaveral AFS – 8 / 10

Wallops Island MARS – 4 / 3

Vandenberg AFB – 4 / 5

Jiuquan – 6 / 7*

Xichang – 1 / 3

Taiyuan – 3 / 7*

Tanegashima – 2 / 3

Kagoshima – 1 / 1

Kourou – 6 / 8

Satish Dawan, SHAR – 3 / 4

Sohae – 0 / 1*

Semnan – 1 (1) / 2*

Naro – 1 / 1

Odyssey – 1 (1) / 1

* Valores incertos

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo 36,7% foram realizados pela Rússia; 25,0% pelos Estados Unidos (incluindo ULA, SpaceX e Orbital SC); 16,7% pela China; 10,0% pela Arianespace; 5,0% pelo Japão; 5,0 % pela Índia e 1,7% pela Coreia do Sul.

Os próximos cinco lançamentos orbitais previstos são:

07 Nov (0400:00) – 11A511U-FG Soyuz-FG (048) – Baikonur, LC1 PU-5 – Soyuz TMA-11M

12 Nov (????:??) – 8K82KM Proton-M/Briz-M (53541/88532) – Baikonur, LC81 PU-24 – Globus-1M (13L)

18 Nov (1847:00) – Atlas-V/401 (AV-042) – Cabo Canaveral AFS, SLC-41 – MAVEN

19 Nov (2330:00) – Minotaur-I – Wallops Island, LP-0B – ORS-3 et all

 21 Nov (0710:11) – 15A18 Dnepr-1 (5107681111) – Dombarovskiy, LC370/13 – Dubaisat-2 et all

Deixe um comentário