Imagem teste da câmara de monitorização de BepiColombo

Uma visão incomum de parte empilhada da aeronave BepiColombo, obtida por uma das câmaras de monitorização (ou “câmaras de selfie”) fixadas ao Módulo de Transferência de Mercúrio, MTM. A câmara está a olhar em direcção ao acionador do painel solar (no canto superior esquerdo) e no lado traseiro do painel solar mais próximo do “corpo” do módulo da aeronave. A imagem foi tirada no final de Setembro, como parte dos preparativos para o lançamento no Porto Espacial da Europa em Kourou, na Guiana Francesa.

O MTM está equipado com três câmaras de monitorização, que fornecem instantâneos a preto-e-branco com resolução de 1024 x 1024 pixels. Uma das câmaras de monitorização está posicionada no MTM com um campo de visão, como mostrado nesta imagem, olhando para cima, na direcção da Sonda Planetária de Mercúrio (MPO), que fica acima. Os painéis solares do MTM estão atualmente dobrados para o lançamento, resultando na imagem apresentada, mas após a implantação, a câmara terá uma visão mais clara. Em particular, a antena de alto ganho da MPO estará no campo de visão da câmara cerca de um dia após o lançamento.


As outras duas câmaras estão colocadas no outro lado do módulo: uma irá olhar para baixo para o painel solar alongado do MTM, a outra para cima, para a MPO, captando vislumbres da antena de ganho médio, uma vez implantada, e, mais tarde, da expansão do magnetómetro. Clique aqui para ver um diagrama que mostra as posições e exemplos dos campos de visão de cada uma das câmaras.

O desdobramento efectivo dos painéis solares e da antena será confirmado por dados de telemetria enviados pela nave espacial após o lançamento (clique aqui para obter uma cronologia das atividades imediatamente após o lançamento). Mais tarde, as câmaras de monitorização serão ligadas com os primeiros conjuntos de imagens planeadas para serem obtidas em torno de 12 horas e 1,5 dia após o lançamento, e enviadas para a Terra pouco tempo depois.

As câmaras de monitorização serão usadas ad-hoc durante a fase de cruzeiro, principalmente durante os nove sobrevoos à Terra, Vénus e Mercúrio.

Enquanto a MPO está equipada com uma câmara científica de alta resolução, esta só pode ser operada após a separação do MTM ao chegar a Mercúrio, no final de 2025, porque, assim como vários dos 11 compartimentos dos instrumentos, está localizada no lado da nave espacial fixado ao MTM durante o cruzeiro. No entanto, será possível operar ou operar parcialmente até oito dos 11 instrumentos na MPO durante o voo, juntamente com três dos cinco pacotes de instrumentos a bordo da Sonda Magnetosférica de Mercúrio da JAXA. Isto proporcionará algumas oportunidades exclusivas de coleta de dados em Vénus, por exemplo.

A missão BepiColombo é um empreendimento conjunto entre a ESA e a JAXA, a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão. É a primeira missão europeia a Mercúrio, o menor e menos explorado planeta do Sistema Solar interno, e o primeiro a enviar duas aeronaves para fazer medições complementares do ambiente dinâmico do planeta, ao mesmo tempo.

O lançamento está agendado para a 01:45 GMT no dia 20 de Outubro. Verifique as atualizações e siga o lançamento ao vivo via esa.int/live. Quando disponíveis, as imagens das câmaras de monitorização serão publicadas via esa.int/spaceinimages e no Twitter via @ESA_MTM na primeira instância.

Notícia e imagem: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

 

%d blogueiros gostam disto: