GOES-P – Relatório de Missão nº 6



O mais recente satélite Geostationary Operational Environmental Satellite (GOES-P) está a ser submetido a uma bateria de testes em preparação para o seu lançamento previsto para ter lugar a 1 de Março de 2010.

O satélite continua a ser processado no interior das instalações Astrotech localizadas em Titusville, Florida. O instrumento de observação e sondagem Imager, Sounder and Solar X-Ray Imager foi já limpo e inspeccionado na totalidade e as coberturas ópticas foram instaladas com sucesso. Estas coberturas são dos últimos mecanismos a ser accionados após o satélite entrar em órbita terrestre.

O GOES-O é o mais recente satélite desenvolvido pela NASA para auxiliar os meteorologistas e cientístas do clima norte-americanos. Os satélites GOES fornecem as imagens do clima tão familiares, proporcionando uma cobertura quase contínua a nível de imagem e detecção remota, permitindo assim aos meteorologistas melhor medir as alterações na temperatura atmosférica e na distribuição de humidade, permitindo assim um aumento na fiabilidade das suas previsões. A informação ambiental fornecida por estes satélites é utilizada num sem número de aplicações, incluindo monitorização do estado do tempo e modelos de previsão.

O GOES-P também contém por entre os seus instrumentos um conjunto de sete mecanismos que estão armazenados no lançamento e que são mais tarde colocados em posição durante a órbita de transferência ou em várias fases dos testes em órbita. Estes mecanismos são: a antena omnidireccional posterior, o Deployable aft blanket (DAB), o painel solar, o posicionador de raios-X, o braço do magnetómetro, as coberturas dos instrumentos radiantes e as coberturas ópticas.

Estes sete mecanismos são operados após o foguetão Delta-IV ter colocado o GOES-P no espaço. Pouco após a separação do último estágio do lançador no primeiro dia da denominada Launch and Orbit Raising (LOR), a antena omnidireccional e o DAB são colocados em posição. Cerca do décimo dia, e uma vez atingida a órbita geossíncrona, o painel solar é colocado em posição para assim fornecer energia ao satélite. No 13º ou 14º dia, o posicionador de raios-X é libertado, seguindo-se o braço do magnetómetro. No 17º dia em órbita, são separadas as coberturas ópticas no final do Bus In-Orbit Testing (IOT). Finalmente, e a cerca de 30 dias após o lançamento, são libertadas as coberturas dos sistemas de radiação.

DE recordar que os dois propulsores laterais de combustível sólido foram acoplados ao primeiro estágio do foguetão lançador a 15 de Janeiro e que no dia 18 de Janeiro o satélite GOES-P foi transferido para a zona de abastecimento. O denominado L-35 Countdown Launch Procedure (CLP) Rehearsal foi finalizado com sucesso a 19 de Janeiro e no dia seguinte o Propulsion System Valve Driver Functional Testing foi finalizado. Nesta altura estão a decorrer as verificações da pressurização do sistema de de propulsãoe da existância de em antecipação do abastecimento.

O GOES-P foi desenvolvido pela NASA para a National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA). A NASA estabeleceu um contrato com a Boeing para construir e lançar o satélite.

O NASA Launch Services Program no Centro Espacial Kennedy suporta o lançamento num papel consultivo. A gestão do programa da NASA para o GOES-P é da responsabilidade do Centro de Voo Espacial Goddard. Após o lançamento, e uma vez terminada a verificação orbital por parte da Boeing e da NASA, o satélite será transferido para a NOAA e rebaptizado GOES-15.

O lançamento do GOES-P será levado a cabo por um foguetão Delta-IV M+(4,2) (D348) a partir do Complexo de Lançamento SLC-37B do Cabo Canaveral, Florida.

Imagem: NASA

Deixe um comentário