Glaciares enterrados em Marte



colles-1

Este amontoado de blocos erodidos encontra-se ao longo da fronteira distinta entre as terras altas do sul do Planeta Vermelho e as planícies do norte, com restos de antigos glaciares que fluam em torno deles.

Esta fronteira é uma das características mais antigas e mais proeminentes em Marte, marcando uma diferença de altura de vários quilómetros.

A cena aqui apresentada, capturada pela câmara de alta resolução da Mars Express da ESA a 29 de Maio, é apenas um exemplo do terreno encontrado ao longo desta fronteira antiga, e concentra-se em parte da região de Colles Nili.

‘Colles’ vem da palavra latina para ‘colina’, e de fato esta região abriga uma faixa de tais características. São, provavelmente, resíduos de erosão de um antigo planalto, como sugerido pela sua semelhança em altura observada no mapa da topografia.

Focando na principal imagem a cores e vista em perspetiva mostra que alguns dos montes estão rodeados por depósitos lisos e em camadas, levemente escorregando pelas encostas das colinas.

Topografia de Colles Nili

Um olhar ainda mais atento revela outras características mais finas no solo em torno dos montes e dentro de algumas das crateras de impacto: séries de sulcos e depressões.

Pensa-se que ambos os depósitos em camadas e os cumes e depressões possam estar associados com o gelo enterrado que já foi coberto por poeira trazida pelo vento e detritos locais a partir da erosão do planalto, talvez de uma camada de gelo subjacente que recuou.

Vista em perspectiva de Colles Nili

Características semelhantes são encontradas ao longo de toda a fronteira do planeta e pensa-se que representam múltiplos episódios de glaciação nas últimas centenas de milhões de anos.

Mais tarde, poeira vulcânica foi trazida de outro local para criar as riscas marcantes do material escuro visto em vários pontos, mas particularmente dominante no lado direito da principal imagem a cores.

Olhando para dentro da grande cratera de impacto no canto superior direito da imagem principal, e também no canto superior esquerdo da vista em perspetiva, mostra que este material escuro foi empilhados em dunas dentro da cratera, presumivelmente por ventos dominantes.

Vista em 3D de Colles Nili

Mars Express tem orbitado o Planeta Vermelho desde 2003. Na próxima semana vai ter um papel importante na escuta de sinais de Schiaparelli, o demonstrador de entrada, descida e aterragem da ExoMars, à medida que o módulo faz a sua descida de seis minutos através da atmosfera até à superfície.

Mars Express, a nave-mãe de Schiaparelli ‘Trace Gas Orbiter’ e ‘Mars Reconnaissance Orbiter’ da NASA irão gravar sinais provenientes de Schiaparelli para confirmar a sua chegada em segurança, e agirão, posteriormente, como retransmissores de dados a partir da superfície.

Para saber mais sobre ExoMars consulte esa.int/exomars.

Notícia e imagens: ESA

Deixe um comentário