Gaia, o cartógrafo do firmamento, fotografa perto do centro galáctico



Gaia, o pesquisador de mil milhões de estrelas da ESA, está a detectar estrelas e a medir as suas propriedades para construir o mapa 3D mais preciso da Via Láctea. Ao medir com precisão o movimento de cada estrela, os astrónomos poderão “viajar” no tempo para entender a história da Via Láctea, a sua evolução e o seu destino.

Em geral, quando Gaia regista as estrelas, apenas os dados que cobrem o objeto de interesse são transmitidos ao solo. No entanto, nas regiões mais densas do céu, há mais estrelas próximas umas das outras em relação ao que o sistema de detecção e processamento de Gaia consegue lidar, o que poderia resultar num censo menos completo nessas áreas lotadas.

Para ajudar a mitigar isso, é feita uma selecção científica de regiões de alta densidade para cobri-las num modo de imagem especial, como ilustrado aqui. Estes tipos de observações são realizados, rotineiramente, cada vez que Gaia explora essas regiões.

A imagem, obtida no dia 7 de Fevereiro de 2017, abrange parte da Janela Sagittarius I (Sgr-I) localizada apenas a dois graus abaixo do Centro Galáctico. Sgr-I tem uma quantidade relativamente baixa de poeira interestelar ao longo da linha de visão da Terra, dando uma “janela” às estrelas perto do Centro Galáctico.

A densidade estelar aqui é de um incrível 4,6 milhões de estrelas por grau quadrado. A imagem cobre cerca de 0,6 graus quadrados, tornando possível que haja cerca de 2,8 milhões de estrelas captadas, apenas nesta sequência de imagens.

A imagem aparece em faixas, cada uma representando um CCD do cartógrafo do céu (veja esta animação sobre o funcionamento da câmara de Gaia). A imagem foi levemente processada para fazer o contraste das estrelas brilhantes e dos traços mais escuros de gás e pó. O aperfeiçoamento revela alguns artefactos de imagem relacionados aos CCDs, incluindo algumas faixas verticais, bem como faixas curtas e brilhantes que indicam raios cósmicos. A análise destas imagens só será iniciada quando a aplicação exigida pelo processamento de dados de rotina assim o permitir.

O primeiro catálogo de Gaia de mais de mil milhões de estrelas, com base nos primeiros 14 meses de coleta de dados, foi lançado em Setembro de 2016. O próximo lançamento está previsto para abril de 2018, com lançamentos subsequentes previstos para 2020 e 2022.

Mais sobre Gaia.

Notícia e imagem: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

Tags:  ,

Deixe um comentário