Foguetão Proton-M só deverá regressar em meados de 2017



A primeira missão do foguetão 8K82KM Proton-M/Briz-M que estava prevista para as primeiras semanas de 2017, não deverá ocorrer antes de Junho ou Julho deste ano após se ter determinado que ocorreram falhas graves no controlo de qualidade dos metais utilizados no fabrico de diversos motores.

Segundo os meios de comunicação social Russos, a Corporação Estatal Roscosmos ordenou a recolha de todos os motores do foguetão Proton-M quando se determinou que ocorreram sérias violações dos procedimentos de fabrico dos mesmos.

Em consequência, a Rússia vê-se perante a situação de ter quase toda a sua frota de lançadores espaciais impedidos de actuar!

A 24 de Janeiro foi revelado que um teste no solo levado a cabo a um motor havia revelado sérios problemas técnicos com os motores RD-0210 e RD-0212, que são utilizados nos segundo e terceiro estágio dos foguetões 8K82KM Proton-M, respectivamente. A falha registada no motor ficou aparentemente a dever-se a uma troca ilegal de ligas metálicas resistentes ao calor nos componentes do motor por materiais mais baratos, mas mais expostos a falhas. Segundo o jornal Kommersant, esta situação poderá estar relacionada com o acidente registado a 16 de Maio de 2015 e que levou à perda do satélite de comunicações MexSat-1 durante a operação do terceiro estágio.

O principal responsável da Roscosmos, Igor Komarov, levou a cabo um encontro a 20 de Janeiro com os responsáveis da empresa que fabrica os motores utilizados no terceiro estágio dos foguetões Soyuz e no segundo e terceiro estágio dos foguetões Proton-M. No final desta reunião foi decido proceder à recolha dos motores RD-0110 para a fabrica em Voronezh, após as suspeitas que um destes motores terá sido o responsável pela perda do veículo de carga Progress MS-04 a 1 de Dezembro de 2016.

Na sequência desta reunião, o Director Geral da fabrica VMZ, Ivan Koptev, apresentou a sua demissão devido ao fraco controlo de qualidade na empresa.

Assim, os foguetões Proton-M só deverão voltar ao activo em Junho ou Julho de 2017.

Tags:  

Deixe um comentário