Escolhidos os primeiros alvos espaciais do Webb



O gigante de gás Júpiter, moléculas orgânicas em nuvens formadoras de estrelas e galáxias-bebés no Universo distante, estão entre os primeiros alvos para os quais os dados estarão imediatamente disponíveis a partir do Telescópio Espacial James Webb, assim que este comece a lançar o seu poderoso olhar no Universo, em 2019.

Treze programas de “lançamento antecipado” foram escolhidos entre mais de 100 propostas, após um processo competitivo de selecção de revisão por pares, dentro da comunidade astronómica. Os programas receberam quase 500 horas de tempo de observação e exercitarão todos os quatro instrumentos científicos de última geração do Webb.

Os dados serão disponibilizados publicamente, imediatamente, mostrando todo o potencial do observatório e permitindo que os astrónomos melhorem o planeamento das observações de acompanhamento.

O Webb é uma parceria internacional entre a NASA, a ESA e a Agência Espacial Canadiana. Além de fornecer o foguetão Ariane, que lançará o observatório em 2019, a Europa está a contribuir para dois dos quatro instrumentos científicos.

Quatro dos primeiros conjuntos de observações, anunciados ontem, são liderados por cientistas dos Estados membros da ESA.

Ficámos impressionados com a alta qualidade das propostas recebidas. Estes programas não só gerarão excelência científica, mas também serão um recurso sem igual para demonstrar as capacidades de investigação deste observatório extraordinário para a comunidade científica mundial”, diz Ken Sembach, Diretor do Instituto de Ciências do Telescópio Espacial (STScI) em Baltimore, Maryland.

Queremos que a comunidade de pesquisa seja tão cientificamente produtiva quanto possível, o mais cedo possível, razão pela qual estou tão satisfeito em poder dedicar quase 500 horas de tempo discricionário de director para estas observações científicas de lançamento antecipado.”

É emocionante ver o envolvimento da comunidade astronómica ao projectar e propor quais serão os primeiros programas científicos para o Telescópio Espacial James Webb”, afirma Alvaro Gimenez, Diretor de Ciências da ESA.

O Webb revolucionará a nossa compreensão do Universo e os resultados que advirão destas primeiras observações marcarão o início de uma nova e emocionante aventura na astronomia.”

Durante a sua missão, de um mínimo de cinco anos, o Webb abordará tópicos-chave na astronomia moderna, investigando o Universo mais além do que o seu precursor, o Telescópio Espacial Hubble, pode ver.

As suas metas de observação incluem a detecção das primeiras galáxias no Universo e o seguimento da sua evolução ao longo do tempo cósmico, incluindo “buracos negros supermassivos” pesados, que espreitam nos seus centros. Irá construir sobre as observações feitas pelo Telescópio Espacial Hubble, examinando galáxias cuja luz foi esticada em comprimentos de onda infravermelhos pela expansão do espaço – mais além do que o Hubble pode ver – dando aos novos astrónomos novas informações sobre essas cornucópias das galáxias.

O Webb também testemunhará o nascimento de novas estrelas e os seus sistemas planetários, e estudará planetas no nosso Sistema Solar e em torno de outras estrelas, para entender melhor a origem da vida aqui na Terra.

O observatório espacial será capaz de analisar a composição das atmosferas de exoplanetas, o que poderia fornecer pistas sobre a potencial habitabilidade de um planeta. Os astrónomos irão, inicialmente, focar o seu olhar em mundos gasosos do tamanho de Júpiter, o que abrirá caminho para estudos de super-Terras menores.

Estou entusiasmado por ver a lista dos alvos mais fascinantes dos astrónomos para o telescópio Webb e extremamente ansioso para ver os resultados. Esperamos ser surpreendidos com o que encontrarmos”, diz John C. Mather, Cientista Sénior do Projecto para o telescópio Webb e Astrofísico Sénior no Centro de Voo Espacial Goddard da NASA, Greenbelt, Maryland.

A selecção dos primeiros programas é parte da iniciativa STScI Director’s Discretionary Early Release Science, destinada a fornecer toda a comunidade científica com acesso antecipado aos dados do Webb. Os detalhes sobre as propostas seleccionadas podem ser encontrados aqui.

Notícia e imagem: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

Deixe um comentário