ESA confirma local de descida do Philae



Philae_s_primary_landing_site_mosaic_node_full_image_2

A agência espacial europeia ESA deu luz verde para que a missão Rosetta possa fazer descer o seu veículo Philae até ao local primário no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko no dia 12 de Novembro de 2014, na primeira tentativa alguma vez levada a cabo para se conseguir uma descida suave na superfície de um cometa.

O local de descida do Philae, actualmente designado Local J e localizado no mais pequeno dos dois ‘lobos’ do cometa, foi confirmado a 14 de Outubro após uma revisão intensa sobre os preparativos da missão.

Desde a sua chegada ao cometa, a Rosetta tem levado a cabo uma investigação sem precedentes e uma análise cientifica do Churyumov-Gerasimenko. Ao mesmo tempo, a sonda tem-se deslocado para perto do objecto primordial, iniciando a 100 km a 6 de Agosto e encontrando-se a cerca de 10 km do corpo com 4 km de comprimento. Isto permitiu uma observação mais detalhada dos locais primário e alternativo de descida do Philae para assim se determinar os perigos que o veículo poderia enfrentar na descida.

Philae_s_primary_landing_site_from_30_km_node_full_image_2A decisão tomada para se prosseguir com a missão também confirma o calendário de eventos que levarão à descida. A Rosetta irá libertar o veículo Philae a 12 de Novembro pelas 0835UTC e a uma distância de cerca de 22,5 km do centro do cometa. A descida terá lugar cerca de sete horas mais tarde, pelas 1530UTC.

Com um tempo de demora de 28 minutos e 20 segundos entre a Rosetta e a Terra a 12 de Novembro, isto significa que a confirmação da separação chegará às estações terrestres pelas 0903UTC e a confirmação da descida pelas 1600UTC.

Uma série de decisões para o prosseguimento da missão terão ainda de ser tomadas antes da separação entre os dois veículos, iniciando-se a 11 de Novembro com a confirmação por parte da equipa de dinâmica de voo de que a Rosetta se encontra na trajectória correcta antes da separação do Philae. Outras decisões serão tomadas de 11 para 12 de Novembro tendo em conta a prontidão e envio dos comandos para a sonda, culminando na confirmação da prontidão do Philae para a sua separação. Uma pequena manobra terá de ser levada a cabo duas horas antes da separação que colocará a Rosetta no rumo certo para a separação do Philae na trajectória correcta para desWhat_does_Philae_do_during_descent_node_full_image_2cer no Churyumov-Gerasimenko. A decisão final da separação ocorre pouco após esta manobra.

Após se separar o Philae, a Rosetta irá manobra para cima e afastar-se do cometa antes de se reorientar para estabelecer comunicações com o Philae e se tudo correr bem os dois veículos irão estabelecer comunicações cerca de duas horas após a separação.

Durante a descida de sete horas o Philae irá obter imagens e levar a cabo experiências cientificas, recolhendo amostras do ambiente de poeiras, gás e plasma nas proximidades do cometa. O pequeno veículo irá obter uma imagem de despedida da Rosetta pouco após a separação juntamente com um conjunto de imagens à medida que se aproxima do Churyumov-Gerasimenko. Espera-se que as primeiras imagens cheguem à Terra várias horas após a separação.

Uma vez na superfície do cometa, o Philae irá obter uma imagem panorâmica das redondezas e a primeira sequência de experiências cientificas na superfície será iniciada cerca de uma hora após a descida, tendo uma duração de 64 horas e sendo limitada pela duração da bateria a bordo. Um estudo a longo prazo irá depender da durabilidade e funcionalidade das baterias, bem como da capacidade de recarga das mesmas, o que por sua vez irá depender da quantidade de poeiras que irão assentar nos seus painéis solares.

Em qualquer dos casos, em Março de 2015, e à medida que o cometa se desloca cada vez mais perto do Sol, as temperaturas no interior do Philae irão atingir níveis elevados para permitir a continuação das suas operações e assim a missão cientifica do Philae irá terminar.

Imagens: ESA

Deixe um comentário