Em órbita a primeira autoestrada espacial de dados



Eutelsat-9B_Proton 16

O primeiro terminal de laser do Sistema Europeu de Transmissão de Dados chegou ao espaço a bordo do seu satélite e está agora a caminho da sua posição final de operações. 

O EDRS-A foi lançado a 29 de Janeiro, integrado no satélite de telecomunicações Eutelsat-9B às 2220UTC (23:20 CET, 04:20, de 30 de Janeiro hora local) a bordo de um foguete Proton, de  Baikonur, Cazaquistão. 

O satélite foi libertado às 07:32 GMT de hoje, cerca de 36 000 km acima do equador, e está agora a deslocar-se em direcção à sua posição final geoestacionária, a 9ºE, por cima da Europa, onde será operado pela Eutelsat.

O EDRS é o mais ambicioso programa de Telecomunicações da ESA, numa parceria público-privada entre a ESA e a Airbus Defence and Space, com a Airbus a operar o serviço e a DLR German Space Administration a financiar o desenvolvimento do terminal laser.

Conhecido como ‘Autoestrada de dados espaciais’, o EDRS irá revolucionar as comunicações por satélite, como a primeira rede de comunicações óticas da Europa, capaz de retransmitir dados quase em tempo real a uma velocidade sem precedentes de 1,8 Gbit/s.

Normalmente, os satélites de órbita baixa têm de estar à vista das estações em terra para poderem enviar a informação para Terra. 

Em vez disso, o EDRS recolhe as informações a partir da sua posição mais elevada e geoestacionária via laser e reenvia imediatamente para terra, melhorando enormemente o acesso a dados que podem salvar vidas. 

Dentro de alguns dias a ESA, a Airbus e a DLR irão começar a testar o estado geral e a performance do EDRS-A, trabalhando com as estações em terra do EDRS na Alemanha, Bélgica e Reino Unido.

As ligações aos primeiros clientes, os satélites Sentinel do programa Copernicus da Comissão Europeia, serão feitos ao longo de várias semanas, até que o serviço comece neste verão. A retransmissão de dados para a Estação Espacial Internacional começará em 2018.

Completar o sistema

O segundo módulo do EDRS, o satélite dedicado EDRS-C, será lançado no próximo ano para se juntar ao EDRS-A por cima da Europa. Está planeado um terceiro em 2020, por cima da região Ásia-Pacífica, duplicando a cobertura do sistema.   

Saiba mais sobre o EDRS em www.esa.int/EDRS.

Notícia e imagem: ESA

Deixe um comentário