EchoStar-XIV – Relatório de Missão nº 6



O foguetão lançador 8K82KM Proton-M/Briz-M (99514/93514) com o satélite de comunicações EchoStar-XIV foi transportado para a estação de serviço para o abastecimento dos tanques de baixa pressão do estágio Briz-M.

O transporte para a plataforma de lançamento está previsto para o dia 17 de Março.

O lançamento do EchoStar-XIV está previsto para ter lugar às 1827UTC do dia 20 de Março de 2010 e terá lugar a partir da Plataforma de Lançamento PU-39 do Complexo de Lançamento LC200 do Cosmódromo GIK-5 Baikonur, Cazaquistão. 

O satélite EchoStar-XIV foi construído pela Space Systems/Loral e é baseado no modelo SS/L-1300. No lançamento tem uma massa  6.384 kg. O satélite irá juntar-se à frota da DISH Network que servem mais de 14 milhões de cleintes de TV por satélite nos Estados Unidos. A partir da sua posição a 119º longitude Oeste, o EchoStar-XIV irá fornecer serviços de banda Ku aos estados continentais dos Estados Unidos. A frota da DISH Network tem a capacidade de fornecer centenas de canais de vídeo e de audio em alta qualidade, incluindo a maior parte dos canais de alta definição nos EUA.

O EchoStar-XIV está equipado com 103 repetidores em banda Ku e a sua vida útil deverá ser de 15 anos.

Neste lançamento o foguetão 8K82KM Proton-M/Briz-M, fabricado pelo Centro Espacial Estatal de Produção e Pesquisa Khrunichev, terá uma massa de 705.000 kg, incluindo a sua carga, e uma altura de 58,2 metros. Os serviços de lançamento são fornecidos pela International Launch Services (ILS).

A missão terá uma duração de 9 horas e 10 minutos. Os primeiros três estágios do lançador irão utilizar um perfil de ascenção standard para colocar o estágio superior com a sua carga numa trajectória sub orbital. A partir deste ponto na missão, o Briz-M irá levar a cabo as manobras orbitais planeadas para se colocar em primeiro lugar numa órbita circular, depois para uma órbita intermédia, seguindo-se uma órbita de transferência e finalmente uma órbita de transferência para a órbita geossíncrona. Com uma inclinação de 26,7º em relação ao equador terrestre, o satélite deverá ficar colocado numa órbita com um apogeu de 35.786 km de altitude e um perigeu de 3.120 km de altitude, a partir da qual irá utilizar os seus próprios meios de propulsão para elevar o perigeu para a altitude geossíncrona, fazendo também baixar a sua inclinação orbital.

 
 
 
 
Imagens: Khrunichev e Roscosmos

Deixe um comentário