Dois próximos lançamentos orbitais vão colocar em órbita cerca de 100 satélites

Os dois próximos lançamentos orbitais irão colocar em órbita cerca de 100 satélites.

Para 28 de Novembro está previsto o lançamento da missão “SSO-A SmallSat Express” a partir da Base Aérea de Vandenberg, Califórnia. Lançado a partir do Complexo de Lançamento SLC-4E, o foguetão Falcon-9 (B1046.3) estará equipado com um estágio superior SHERPA capaz de acomodar múltiplas cargas.


O estágio SHERPA foi projectado e desenvolvido para transportar cargas secundárias que são colocadas em órbita após a separação da carga principal. O SHERPA foi desenvolvido tendo por base o Spaceflight Secondary Payload System (SSPS) ao incorporar subsistemas de propulsão e fornecimento de energia, criando assim um sistema capaz de manobrar para diferentes órbitas antes da separação das suas cargas.

Desenvolvido pela Andrews Space, uma subsidiária da Spaceflight Industries, o SHERPA pode ser utilizado em quatro versões: SHERPA, SHERPA-400, SHERPA-1000 e SHERPA-2200. Cada versão é capaz de ser lançado em conjunto com outros estágios SHERPA para separação posterior e missão independente.

A versão básica SHERPA é vista como um adaptador de carga geralmente denominado ‘anel ESPA’ e não é propulsionado, sendo utilizado para a colocação de múltiplas cargas na órbita terrestre baixa. esta versão pode utilizar uma vela de arrasto para baixar a sua órbita antes da colocação de determinadas cargas em órbita.

A versão SHERPA-400 pode ser utilizada para colocar cargas na órbita terrestre baixa e está equipada com dois tanques de mono-prepolente. Tem uma massa de cerca de 1.000 kg e pode transportar uma carga máxima de 1.300 kg para uma órbita terrestre baixa. Numa determinada missão, pode servir de ‘rebocador’ a uma carga de 800 kg e depois baixar a sua órbita para libertar cargas secundárias. Por seu lado, o SHERPA-1000 está equipado com quatro tanques de mono-prepolente.

O SHERPA-2200 tem uma massa de 2.000 kg com prepolente e utiliza um bi-prepolente com potente armazenado em quatro tanques. É utilizado para colocar pequenas cargas na órbita geostacionária, bem como para trajectórias trans-lunares.

Na missão que terá lugar a 28 de Novembro (pelas 1832UTC), serão colocados em órbita pelo menos os seguintes 68 satélites: ORS-7A (Polar Scout 1), ORS-7B (Polar Scout 2), MinXSS-2, Audacy-0, Eu:CROPIS, BlackSky Global 2, STPSat-5, NEXTSat-1, Hawk-A, Hawk-B, Hawk-C, Fox-1C (Fox-1Cliff), KNACKSAT, Elysium-Star 2, JY1-Sat, KazistiSat (KazSTSAT), KazSaySat-1 (KazSciSat-1), ROSE-1 (RFT Orbital Satellite Experiment), ICEYE-X2, CSIM-FD, Hiber-2, Orbital Reflector (ORS-1), PW-Sat 2, Hamilton-1, MOVE-2, Centauri-2, Eaglet-1, SpaceBEE-9, SpaceBEE-10, SpaceBEE-11, Flock-3s (1), Flock-3s (2), Flock-3s (3), SkySat-14, SkySat-15, AISTECHSAT-2, Astrocast-0.1, BeeSat-5, BeeSat-6, BeeSat-7, BeeSat-8, BlackHawk, BRIO, Capella-1, ESEO, eXCITe, ExseedSat-1, FalconSat-6, ICE-Cap, Irvive-02, ITASAT-1, K2SAT, Landmapper-BC 4 (Corvus-BC 4), RAAF-M1, RANGE-A, RANGE-B, SeaHawk-1, SeeMe, SIRION Pathfinder 2, SNUGLITE, SNUSAT-2, Suomi-100, THEA, VESTA, VisionCube, WeissSat-1 e o ENOCH.

No dia 29 de Novembro, a ISRO irá levar a cabo o lançamento do satélite HySIS que será acompanhado por vários pequenos satélites. A missão será lançada por um foguetão PSLV-CA (PSLV-C43) a partir da Plataforma de Lançamento FLP do Centro Espacial Satish Dawan SHAR, Ilha de Sriharikota.

Já é usual a ISRO utilizar a capacidade extra dos seus lançadores para colocar em órbita pequenos satélites. Nesta missão serão colocados em órbita pelo menos 30pequenos satélites: Flock-3r (1) a Flock-3r (16), vários satélites Lemur-2, um satélite CICERO, o Hiber-1, HSAT-1, Reaktor Hello World e o 3Cat-1.

 

%d blogueiros gostam disto: