Destaque do local de aterragem de Schiaparelli



Mars_ 1

Schiaparelli, o Módulo Demonstrador de Entrada, Descida e Aterragem da missão conjunta ESA/Roscosmos ExoMars 2016, terá como alvo a região do Meridiani Planum para a sua aterragem em Outubro, como se pode ver neste mosaico criado a partir das imagens da Mars Express.

A elipse de aterragem, que mede 100 x 15 km, está localizada perto do equador, nas terras altas do sul de Marte. A região foi escolhida com base nas suas características relativamente planas e rasas, tal como indicado no mapa topográfico, a fim de satisfazer os requisitos de segurança de aterragem para Schiaparelli.

A unidade móvel ‘Opportunity’ da NASA também aterrou nesta elipse perto da cratera Endurance no Meridiani Planum, em 2004, e tem vindo a explorar a cratera Endeavour de 22 km de largura nos últimos cinco anos. Endeavour encontra-se apenas à margem da extensão sudeste da elipse de aterragem de Schiaparelli.

A região também tem sido bem estudada a partir da órbita e contem sedimentos de argila e sulfatos que foram provavelmente formados na presença de água. De fato, um número de canais esculpidos pela água são também claramente visíveis, em particular na porção sul da imagem.

Campos de dunas são visíveis dentro de um número de crateras na região e, juntamente com os depósitos escuros em torno deles, são provavelmente moldados por tempestades de vento e poeira.

Embora a principal missão de Schiaparelli seja demonstrar tecnologias necessárias para aterrar em segurança em Marte, o seu pequeno conjunto de instrumentos científicos vai também registar a velocidade do vento, humidade, pressão e temperatura no seu local de aterragem. Irá também obter as primeiras medições de campos eléctricos na superfície de Marte que, combinadas com medições da concentração de poeira atmosférica, irão fornecer novos conhecimentos sobre o papel das forças eléctricas no levantamento de poeiras, o gatilho para as tempestades de poeira.

Schiaparelli vai em direcção a Marte a bordo do ‘ExoMars Trace Gas Orbiter’. A missão lançada num foguetão Proton a partir de Baikonur a 14 de Março, encontra-se em curso até se encontrar com o Planeta Vermelho a 19 de Outubro.

Schiaparelli separar-se-á da nave-mãe a 16 de Outubro; três dias depois, utilizará uma combinação de um escudo térmico, um para-quedas, um sistema de propulsão e uma estrutura deformável para abrandar durante a sua descida de seis minutos até à superfície de Marte.

A Mars Express da ESA, a qual se encontra em órbita ao Planeta Vermelho desde 2003, está entre a frota de sondas que irá funcionar como um transmissor de dados durante a curta missão alimentado por baterias de Schiaparelli na superfície.

Notícia e imagem: ESA

Deixe um comentário