Cratera Neukum nomeada após o fundador da Mars Express



Uma fascinante cratera marciana foi escolhida para homenagear o físico e cientista planetário alemão, Gerhard Neukum, um dos fundadores da missão Mars Express da ESA.

Cratera Neukum em contexto

A União Astronómica Internacional nomeou a cratera de 102 km de largura, na região de Noachis Terra, de “Neukum”, em Setembro do ano passado, após o líder da câmara, que morreu em 2014. O professor Neukum inspirou e liderou o desenvolvimento da câmara estéreo de alta resolução da Mars Express, o que ajudou a estabelecer a geologia regional e a topografia de Marte.

As observações da câmara, em Dezembro de 2005 e maio de 2007, foram usadas para criar o mosaico de imagens da Cratera Neukum aqui apresentada.

A Cratera Neukum localiza-se na região de Noachis Terra, nas terras altas do sul de Marte, densa em crateras, a cerca de 800 km a oeste da maior bacia de impacto do planeta, a HellasNoachis Terra é uma das regiões mais antigas conhecidas no Planeta Vermelho, que remonta a pelo menos 3,9 mil milhões de anos – a época marciana mais antiga, a época Noachian, nomeada após essa região. É representativa da superfície antiga de Marte, que é caracteristicamente salpicada de crateras que foram preservadas durante milhares de milhões de anos, embora muitas se tenham degradado ao longo do tempo.

Visão em perspetiva da Cratera Neukum

Muitas crateras de impacto em Noachis Terra albergam campos de dunas e, nesta imagem, a Cratera Neukum exibe um padrão particularmente interessante, com dunas que cobrem uma área de cerca de 12×17 km, no canto sudeste da cratera. 

Topografia da Cratera Neukum

As dunas individuais estendem-se numa direcção norte-sul, com a face deslizante dominante para o oeste, apontando para um vento predominante vindo do leste. Além disso, areias escuras foram projectadas para o oeste e norte das dunas, indicando os fortes ventos do leste e alguns do sul.

A formação de depósitos de tons claros, a oeste do campo das dunas, não é clara: podem ser pedras ou restos erosivos do interior da cratera rochosa.

O interior raso da cratera foi, provavelmente, preenchido por sedimentos ao longo da sua história. Também está marcado com duas depressões irregulares. Talvez estas sejam um sinal de um material mais fraco que desde então tenha sido corroído, deixando para trás algumas ilhas de material mais resistente.

Ao longo do tempo, o interior da borda da cratera sofreu diferentes graus de colapso, com deslizamentos de terra visíveis na vista em perspectiva. Várias pequenas crateras também marcaram a borda e juncaram o interior desde que a Cratera Neukum foi formada, destacando a sua longa história.

Cratera Neukum em 3D
 
Notícia e imagens: ESA
 
Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

Deixe um comentário