Cosmonautas russos realizam passeio espacial



RussianEVA39 [5]

Dois cosmonautas russos da Expedição 40, Alexander Skvortsov e Oleg Artemyev, levaram a cabo com sucesso e sem problemas uma actividade extraveícular (passeio espacial) no dia 18 de Agosto de 2014. Focada em actividades científicas, esta saída para o espaço teve início às 1402UTC e teve uma duração de 5 horas e 11 minutos, terminando às 1913UTC.

Após deixaram o módulo Pirs, os dois homens procederam à colocação em órbita do pequeno satélite NS-1, também designado Chasqui. Este é um CubeSat-1U peruano com uma massa de 1,5 kg que foi transportado a bordo do veículo de carga Progress M-22M no passado mês de Fevereiro. O pequeno satélite será capaz de transmitir imagens da superfície terrestre e telemetria.

cosmonauts_400225

Após o lançamento do Chasqui, os dois cosmonautas retiraram a experiência Expose-R da escotilha do Pirs antes de se deslocarem para o módulo de serviço Zvezda. Esta experiência é parte de um conjunto de experiências que investigam a influência das condições espaciais em materiais orgânicos. Aqui, instalaram a experiência numa plataforma universal através da ligações de dois sistemas de ligação e após a confirmação da recepção de boa telemetria por parte dos controladores em Terra, os cosmonautas deslocaram-se para a Automatic Phased Array Antenna (AFAR) que haviam instalado na sua anterior actividade extraveícular. Aqui os dois homens procederam à instalação de um novo ponto de fixação manual.

De seguida, Skvortsov e Artemyev procederam à recolha de amostras das janelas do segmento russo da ISS, verificando a forma como os propulsores interagem com o exterior da ISS. Após a recolha de amostras, os cosmonautas trabalharam nas experiências SKK e Vynoslivost, removendo a Cassete 1 do SKK e no seu lugar instalaram a Cassete 2. Removeram também o Painel 2a da experiência Vynoslivost. Tanto esta experiência como a experiência SKK serão trazidas de volta para a Terra para análises posteriores.

A tarefa final foi o isolamento e a remoção de um contentor da experiência Biorisk que estuda a forma como o crescimento microbiano afecta os materiais no vácuo espacial.

Deixe um comentário