Continua a missão científica da missão Rosetta



ESA_Rosetta_NAVCAM_141117_mosaica

Tendo finalizado a missão do módulo Philae, a sonda Rosetta irá agora continuar a sua missão de exploração do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, orbitando-o no próximo ano à medida que o corpo celeste se aproxima do Sol. A aproximação máxima terá lugar a 13 de Agosto de 2015 a uma distância de 186 milhões de quilómetros.

A missão do Philae terminou cerca de 64 horas após ter descido na superfície do 67P quando as suas baterias ficaram esgotadas. No entanto, o pequeno veículo conseguiu enviar imensos dados que serão agora analisados pelos cientistas europeus.

A missão da Rosetta esta longe do fim e a sonda permanece em excelentes condições com todos os seus instrumentos e sistemas a funcionarem sem problemas.

A 16 de Novembro a equipa de controlo deslocou-se da Sala de Controlo Principal do Centro de Operações da ESA em Darmstadt, Alemanha, onde foram levadas a cabo as operações críticas durante a descida do Philae, para a Sala de Controlo Especializada, a partir da qual a sonda é normalmente controlada. Desde então a sonda levou a cabo uma série de manobras utilizando o seu sistema de propulsão, optimizando assim a sua órbita em torno do cometa. Manobras adicionais previstas para 19 de Novembro, 22 e 26 de Novembro, ajustarão a órbita para colocar o veículo a uma distância de 30 km da superfície.

Rosetta_path_after_12_November_node_full_image_2a

A órbita da Rosetta será assim seleccionada e planeada tendo em conta as necessidades dos sensores científicos, pois após a sua chegada a 6 de Agosto, a sua órbita havia sido desenhada tendo em conta as necessidades do Philae.

A 3 de Dezembro a Rosetta irá descer até aos 20 km durante 10 dias, após os quais regressará aos 30 km de altitude. Com a missão de descida agora para trás, todas as futuras manobras serão projectadas puramente tendo em conta as necessidades cientificas. A órbita a 20 km de altitude será utilizada para mapear grande parte do núcleo do cometa a uma elevada resolução e para a recolha de gás, poeiras e plasma.

Imagens: ESA

Deixe um comentário