Construir pontes



Sem dúvida, os seres humanos irão um dia viajar mais longe do que nunca no espaço, trazendo o nosso universo um pouco mais perto de todos. Ao utilizar a tecnologia espacial, regiões distantes do mundo também podem ser aproximadas ao “construir pontes”. Um novo relatório, sobre a iniciativa Alcantara da ESA, mostra que o espaço pode permitir que pessoas de diversas origens culturais trabalhem juntas em temas de interesse comum.

Alcantara: Parcerias para os Objetivos

Alcantara é a ferramenta corporativa da ESA para apoiar oportunidades de parceria internacional na pesquisa espacial aplicada. Destina-se a promover a cooperação entre grupos de investigação, dentro e fora da Europa, em áreas de estudo de benefício mútuo. Em consonância com o espírito internacional da Agência, o trabalho de Alcantara abrange cinco continentes e tem abordado temas em mais de 17 nações emergentes no domínio espacial. O relatório de revisão de Alcantara, recentemente divulgado, analisa algumas das lições aprendidas desde o início do programa em 2012. É também a introdução de uma série de artigos sobre sucessos recentes em estudos de Alcantara.

A África ocupa um lugar importante dentro de Alcantara, cobrindo dez dos 12 estudos completos durante a primeira rodada do programa. Investir nas habilidades empreendedoras e criativas dos jovens será um dos maiores desafios de África nos próximos anos. Na verdade, todos os dez países com as populações mais jovens do mundo estão em África, de acordo com o Fórum Económico Mundial(WE), e todos os anos, entre 2015 e 2030, 29 milhões de novos participantes se juntarão à força de trabalho africana [Perspetiva Económica Africana, 2017].

Os principais objetivos de Alcantara incluem apoiar o trabalho de líderes de investigação emergentes na comunidade internacional, dando-lhes a oportunidade de contribuir para as actividades, programas e prioridades da ESA. Tendo em conta a importância de criar oportunidades de educação e formação para jovens motivados e promissores no continente africano, Alcantara oferece financiamento e concede e facilita o acesso a capacidades técnicas. Até agora, envolveu institutos de investigação do Gana, Quénia, Marrocos, Egipto, Gabão, Uganda, Tanzânia, Zâmbia, Nigéria, Moçambique e Angola. A iniciativa opera através de estudos-piloto e demonstrou sucesso em apoiar o acesso a recursos e espólios técnicos remotos.

Nadia Akdim, uma investigadora de Marrocos, envolvida no estudo “Monitorização de Esquemas de Irrigação por Sensoriamento Remoto: Fenologia versus Recuperação de Variáveis Biofísicas” define Alcantara como “um trampolim para pesquisas científicas profissionais e uma ponte real para o sucesso.” A participação em Alcântara deu acesso adicional a recursos tecnológicos, como equipamentos e análises de laboratório, dados de satélites e revistas internacionais, além de permitir muitas discussões científicas de alto nível. Além disso, e acrescendo à sua experiência em rede, Akdim observa os valiosos contactos que criou, proporcionando o seu acesso a conferências de investigação através da Europa e África, e a oportunidade de estar posteriormente envolvida como instrutora no Tiger Capacity Building Facility. A iniciativa da ESA abriu a porta para futuras colaborações com os mesmos investigadores em projectos euro-africanos.

As “Parcerias para os Objetivos” do 17º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (SDG) das Nações Unidas são o cerne das actividades de Alcantara da ESA. Alcantara visa promover a colaboração internacional e as oportunidades de capacitação para enfrentar os desafios do desenvolvimento através do uso da tecnologia espacial e da investigação. Nos diferentes estudos, os investigadores locais concentraram-se em melhorar a gestão de recursos hídricos, nomeadamente através da iniciativa Tiger, avaliação de riscos geológicos, gestão de terras e áreas costeiras, entre outras questões. Tais estudos permitem que investigadores europeus e internacionais contribuam para a investigação científica para desafios socioeconómicos e ambientais.

No nosso próximo artigo sobre o estudo “Transporte marítimo no Golfo da Guiné”, que será concluído nas próximas semanas, exploraremos os elos entre o trabalho de investigação espacial de Alcantara e as actividades humanas nos oceanos e mares (SDG14) na África Ocidental.

Para mais informações:

Andrés Gálvez, E-mail: [email protected]

Notícia e imagens: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

Tags:  

Deixe um comentário