China testou o Dragão Divino?



O Boletim Em Órbita já havia aqui adiantado a possível ocorrência de um lançamento orbital no dia 17 de Março a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan.

No dia 16 de Março os observadores internacionais foram surpreendidos com o aparecimento de um conjunto dos denominados NOTAM, ou NOTice To AirMan, que delimitavam várias zonas localizadas ao longo de uma trajectória originária do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan. Um desses NOTAM excluía uma zona de impacto situada a cerca de 160 km do local de lançamento, uma distância muito curta para os actuais lançadores orbitais chineses. Este facto acabaria por intrigar os observadores do programa espacial chinês, surgindo várias especulações sobre o que a China iria levar a cabo.

Os primeiros estágios dos lançadores utilizados para as missões não tripuladas lançadas desde Jiuquan acabam por cair em zonas mais afastadas, não se explicando assim a existência da zona de impacto criada por um dos NOTAM. Um outro NOTAM excluía um corredor aéreo geralmente utilizado por aviões de transporte comerciais.

Vários observadores avançaram a hipótese de a China vir a testar um novo foguetão de combustível sólido ou então levar a cabo o teste de um míssil balístico de combustível sólido, explicando assim o primeiro NOTAM o local de impacto de um primeiro estágio.

Surgem agora rumores que a China poderá ter realizado um teste de reentrada do seu avião aeroespacial Shenlong, ou Dragão Divino. As primeiras imagens deste avião surgiram em Dezembro de 2007 (imagem em cima) quando várias fotografias mostravam o Shenlong montado na fuselagem inferior de um bombardeiro H-6K.

Até ao momento não surgiu qualquer informação oficial sobre o que ocorreu em Jiuquan a 17 de Março, mas o autor sabe que muitos oficiais militares se deslocaram aquele polígono para observarem um teste de algo importante. Este teste poderá ter sido um teste de reentrada do Shenlong.

Deixe um comentário