China lançará Tiangong-2 em finais de 2014




Os responsáveis pelo programa espacial tripulado da China referiram que a missão SZ-10 Shenzhou-10 será a última missão espacial tripulada ao módulo orbital TG-1 Tiangong-1. A Shenzhou-10 deverá ser lançada entre Junho e Agosto de 2013 e a bordo estará a segunda mulher Chinesa a viajar no espaço, Wang Yaping.

Após a missão Shenzhou-10, o módulo Tiangong-1 não será removido de órbita, sendo no entanto colocado numa órbita mais elevada onde irá permanecer por vários meses. Durante este período os especialistas espaciais Chineses pretendem estudar o comportamento do módulo espacial a uma presença prolongada em órbita, analizando os efeitos na sua estrutura e componentes. Este estudo irá ajudar no desenvolvimento da estação espacial modular Chinesa cujo primeiro módulo deverá ser lançado em 2018.

Em finais de 2014 os princípios de 2015, a China irá colocar em órbita a estação espacial TG-2 Tiangong-2. Anteriormente, havia referências sobre o facto de a TG-2 ser o veículo suplente da TG-1 e que em 2015 ou 2016 seria colocado em órbita a estação espacial TG-3 Tiangong-3. Porém, parece que a China decidiu dar um salto na evolução do seu programa espacial eliminando o passo intermédio que representava o conceito inicial do TG-2, passando para uma estação com dois portos de acoplagem (conceito este inicialmente previsto para a TG-3). Assim, e equipada com dois portos de acoplagem, a Tiangong-2 poderá receber a visita de veículo de carga logísticos que podem reabastecer a estação espacial tanto ao nível de mantimentos e experiências, bem como ao nível de propolentes necessários para manobras orbitais. Aparentemente, a TG-2 estará também equipada com um sistema de manipulação robótica (braço-robot) que será um auxílio para a movimentação de experiências no exterior da estação espacial e um auxílio aos tripulantes em actividades extraveículares.

A estação espacial Tiangong-2 terá uma função maioritariamente cientifica com a presença de várias experiências a bordo. Uma destas experiências é a ‘POLAR’, uma colaboração entre a China e a Suíça para a detecção de buracos negros e para a realização de experiências no âmbito das teorias quânticas. 

A TG-2 deverá ter um comprimento máximo de 14,4 metros e diâmetro máximo de 4,2 metros, com uma massa de cerca de 20.000 kg. A bordo poderá albergar três tripulantes.

Deixe um comentário