China lança Yaogan Weixing-30



лªÉçÕÕƬ£¬¾ÆȪ£¬2016Äê5ÔÂ15ÈÕ     ÎÒ¹ú³É¹¦·¢ÉäÒ£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅ      5ÔÂ15ÈÕ£¬´îÔØÒ£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅµÄ³¤Õ÷¶þºÅ¶¡ÔËÔØ»ð¼ýÉý¿Õ¡£     µ±ÈÕ10ʱ43·Ö£¬ÎÒ¹úÔÚ¾ÆȪÎÀÐÇ·¢ÉäÖÐÐÄÓó¤Õ÷¶þºÅ¶¡ÔËÔØ»ð¼ý½«Ò£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅ·¢ÉäÉý¿Õ¡£      Ò£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅ½«Ö÷ÒªÓÃÓÚ¿ÆѧÊÔÑé¡¢¹úÍÁ×ÊÔ´Æղ顢ũ×÷Îï¹À²ú¼°·ÀÔÖ¼õÔÖµÈÁìÓò¡£     лªÉç·¢£¨Íô½­²¨É㣩

A China levou a cabo um novo lançamento orbital colocando em órbita o satélite civil de detecção remota Yaogan Weixing-30.

O lançamento teve lugar às 02:43UTC do dia 15 de Maio de 2016 e foi levado a cabo pelo foguetão CZ-2D Chang Zheng-2D (Y27) a partir da Plataforma de Lançamento 603 do Complexo de Lançamento LC43 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan.

Todas as fases do lançamento decorreram como previsto e o satélite foi colocado na órbita prevista. O satélite foi detectado numa órbita com um perigeu a 690 km, apogeu a 704 km e inclinação orbital de 98.23°. O YG-30 recebeu a designação internacional 2016-029A e o seu número de catálogo orbital é 41473

A imprensa Chinese refere-se a este satélite, como é usual, como sendo um veículo de detecção remota que será utilizado para a realização de experiências científicas, observação do solo, determinação de colheitas e monitorização de desastres naturais. Como tem sido o caso com os anteriores lançamento deste tipo, os analistas Ocidentais crêem que este tipo de satélites é utilizado para actividades militares.

Yaogan-30 1

лªÉçÕÕƬ£¬¾ÆȪ£¬2016Äê5ÔÂ15ÈÕ     ÎÒ¹ú³É¹¦·¢ÉäÒ£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅ      5ÔÂ15ÈÕ£¬´îÔØÒ£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅµÄ³¤Õ÷¶þºÅ¶¡ÔËÔØ»ð¼ýÉý¿Õ¡£     µ±ÈÕ10ʱ43·Ö£¬ÎÒ¹úÔÚ¾ÆȪÎÀÐÇ·¢ÉäÖÐÐÄÓó¤Õ÷¶þºÅ¶¡ÔËÔØ»ð¼ý½«Ò£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅ·¢ÉäÉý¿Õ¡£      Ò£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅ½«Ö÷ÒªÓÃÓÚ¿ÆѧÊÔÑé¡¢¹úÍÁ×ÊÔ´Æղ顢ũ×÷Îï¹À²ú¼°·ÀÔÖ¼õÔÖµÈÁìÓò¡£     лªÉç·¢£¨Íô½­²¨É㣩

лªÉçÕÕƬ£¬¾ÆȪ£¬2016Äê5ÔÂ15ÈÕ     ÎÒ¹ú³É¹¦·¢ÉäÒ£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅ      5ÔÂ15ÈÕ£¬´îÔØÒ£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅµÄ³¤Õ÷¶þºÅ¶¡ÔËÔØ»ð¼ýÉý¿Õ¡£     µ±ÈÕ10ʱ43·Ö£¬ÎÒ¹úÔÚ¾ÆȪÎÀÐÇ·¢ÉäÖÐÐÄÓó¤Õ÷¶þºÅ¶¡ÔËÔØ»ð¼ý½«Ò£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅ·¢ÉäÉý¿Õ¡£      Ò£¸ÐÎÀÐÇÈýÊ®ºÅ½«Ö÷ÒªÓÃÓÚ¿ÆѧÊÔÑé¡¢¹úÍÁ×ÊÔ´Æղ顢ũ×÷Îï¹À²ú¼°·ÀÔÖ¼õÔÖµÈÁìÓò¡£     лªÉç·¢£¨Íô½­²¨É㣩

O YG-30 será provavelmente um satélite de observação electro-óptica pertencente à série militar JB-6 Jianbing-6. Outros satélites deste série foram o Yaogan Weixing-2 (31490 2007-019A) lançado a 24 de Maio de 2007, o Yaogan Weixing-4 (33446 2008-061A) lançado a 1 de Dezembro de 2008, o Yaogan Weixing-7 (36110 2009-069A) lançado a 9 de Dezembro de 2009, o Yaogan Weixing-11 (37165 2010-070A) lançado a 22 de Setembro de 2010 e o Yaogan Weixing-24 (40310 2014-072A). Todos estes satélites foram lançados por foguetões CZ-2D Chang Zheng-2D a partir de Jiuquan.

Os satélites JB-6 transportam uma carga de sensores de observação óptica de alta resolução e deverão possuir uma resolução de entre 1 a 3 metros, sendo colocados em órbitas que proporcionam condições de iluminação favoráveis para as suas missões de observação. 

O foguetão CZ-2D Chang Zheng-2D

CZ-2DO foguetão lançador chinês CZ-2D Chang Zheng-2D (长征二号丁火箭), fabricado pela Academia de Tecnologia Espacial de Xangai, é um veículo a dois estágios destinado a colocar satélites em órbitas terrestres baixas. O seu primeiro estágio é semelhante ao do foguetão lançador CZ-4 Chang Zheg-4, bem como o seu segundo estágio exceptuando uma secção de equipamento melhorada em relação ao CZ-4.

O Chang Zheng-2D tem a capacidade de colocar uma carga de 3.500 kg numa órbita a uma altitude de 200 km com uma inclinação de 28,0º em relação ao equador terrestre ou uma carga de 1.300 kg para uma órbita sincronizada com o Sol a uma altitude de 645 km. No lançamento desenvolve 2.961,6 kN, tendo uma massa total de 232.250 kg, um comprimento de 41,056 metros e um diâmetro de 3,35 metros.

O CZ-2D é principalmente lançado desde o Complexo de Lançamento LC-43 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan (áreas LA-2B ‘138’, que se encontra desactivada, e LC43/603), mas pode também ser lançado desde Xichang e Taiyuan.

O primeiro lançamento do CZ-2D teve lugar a 9 de Agosto de 1992 (0800UTC) quando o veículo Y1 colocou em órbita o satélite recuperável FSW-2 (1) (22072 1992-051A).

O CZ-2D Chang Zheng-2D pode utilizar dois tipos de carenagens de protecção distintas dependendo do tipo de carga a colocar em órbita. A carenagem Tipo A tem um diâmetro de 2,90 metros (com esta carenagem o lançador tem um comprimento total de 37,728 metros) e a carenagem Tipo B tem um diâmetro de 3,35 metros (comprimento total de 41,056 metros).
CZ-2D_2014-08

CZ-2D_2014-09

O Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan

O Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan (酒泉卫星发射中心), está localizado em Ejin-Banner, na Prefeitura de Alashan da Região Autónoma da Mongólia Interior, e foi o primeiro centro de lançamento de satélites da China, sendo também designado como Centro de Lançamento Shuang Cheng Tze.

Jiuquan 2O polígono de lançamento incluí um um Centro Técnico, dois Complexos de Lançamento, um Centro de Controlo de Comando, um Centro de Controlo de Lançamento, sistemas de abastecimento de propelentes, sistemas de comunicação e seguimento, sistemas de abastecimento de gás, sistemas de previsão meteorológica e sistemas de apoio logístico.

Jiuquan foi originalmente utilizado para o lançamento de satélites científicos e satélites recuperáveis para órbitas terrestres de média ou baixa altitude com altas inclinações. Todas as missões tripuladas da China foram lançadas desde Jiuquan.

Jiuquan 1O Complexo de Lançamento LC43, também designado como ‘Local de Lançamento Sul’, está equipado com duas plataformas de lançamento: 921 e 603. A Plataforma de Lançamento 921 é utilizada para o programa espacial tripulado para o lançamento dos foguetões CZ-2F Chang Zheng-2F (Shenzhou e Tiangong). A Plataforma de Lançamento 603 é utilizada para lançamentos não tripulados com os foguetões CZ-2C Chang Zheng-2C, CZ-2D Chang Zheng-2D e CZ-4C Chang Zheng-4C.

Outras zonas do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan são utilizadas para o lançamento dos foguetões de propelentes sólidos KZ Kuaizhou e CZ-11 Chang Zheng-11.

O primeiro lançamento orbital desde Jiuquan teve lugar a 24 de Abril de 1970 quando um foguetão CZ-1 Chang Zheng-1 colocou em órbita o primeiro satélite artificial da China, o Dongfanghong-1 (04382 1970-034A).

Dados Estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5542

– Lançamento orbital com sucesso: 5190

– Lançamento orbital China: 240

– Lançamento orbital China com sucesso: 228

– Lançamento orbital desde Jiuquan: 84

– Lançamento orbital desde Jiuquan com sucesso: 78

Ao se referir a ‘lançamentos com sucesso’ significa um lançamento no qual algo atingiu a órbita terrestre, o que por si só pode não implicar o sucesso do lançamento ou da missão em causa (como foi o caso do lançamento do Progress M-27M).

A seguinte tabela mostra os totais de lançamentos executados este ano em relação aos previstos para cada polígono à data deste lançamento.

2016-029 1

2016-029 2

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo: 31,0% foram realizados pela Rússia; 24,1% pelos Estados Unidos (incluindo ULA (42,9%), SpaceX (57,1%) e Orbital SC); 17,2% pela China; 10,3% pela Arianespace; 10,3% pela Índia, 3,4% pelo Japão e 3,4% pela Coreia do Norte.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

24 Mai (08:48:43) – 372RN21B Soyuz-STB/Fregat-MT (VS15) – Galileo-FOC FM10 (Danielè); Galileo-FOC FM11 (Alizée)

26 Mai (21:40:00) – Falcon-9 – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – Thaicom-8

28 Mai (??:??:??) – 8K82KM Proton-M/Briz-M (93701/99570) – Baikonur, LC200 PU-39 – DLA-2 (DirecTV Latin America-2) ‘Intelsat-31’

29 Mai (??:??:??) – 14A14-1B Soyuz-2.1B/Fregat-M (G15000-027/112-04) – GIK-1 Plesetsk, LC43/4 – Glonass-M n.º 52

30 Mai (??:??:??) – CZ-4B Chang Zheng-4B – Taiyuan, LC9 – ZY-3 Ziyuan-3 (2); ÑuSat-1; ÑuSat-2

Deixe um comentário